terça-feira, 17 de abril de 2018

SIMPLESMENTE INDIGNADO...

SIMPLESMENTE INDIGNADO...  E porquê? Por isto: Vi imagens na televisão, do regresso ao solo Pátrio, 57 anos depois, dos restos mortais de um nosso camarada de guerra. Os seus restos mortais, perdidos no meio do mato em lugares chamados de cemitérios mas que de cemitérios não têm nada, graças à sua família e alguns camaradas e à TAP, (que tem oferecido gratuitamente o  transporte àqueles que já regressaram à sua terra natal) este nosso camarada regressou. Natural de Germel, no dia 15 de Abril, o seu corpo foi inumado no cemitério da sua naturalidade na Ponte de S. Vicente. freguesia (VILA VERDE).Segundo sei, a família na pessoa da sua irmã, lutou 20 anos para que os seus restos mortais viessem para a sua terra. Para quê? Para acabarem de fazer o seu luto pois estava incompleto. Este caso não é isolado, pois outros já aconteceram.
 Agora sim. Estou indignado, pela inercia do Estado Português em ajudar estas famílias. Eu sei que alguém ao ler este texto vai dizer: Que importância tem isto? São só ossos! Gastar dinheiro com isto? Pois é. Para essas pessoas, eu digo: Não são da vossa família. E ainda assim, têm de respeitar a vontade e o sentimento das famílias em causa. Todos aqueles que lá morreram não pediram para ir para a guerra. Foram todos mandados com responsabilidade do Estado na altura. Logo a responsabilidade está  do lado do Estado em fazer com que cada um viesse para a sua terra. Se o antigo regime assim não o entendeu o novo regime devia emendar o erro.
Mas porquê. Qual o motivo de o Estado Português não fazer um esforço de boa vontade e colaborar financeiramente? Se à tanto dinheiro mal gasto que faz parte dos contribuintes que somos nós! Há dinheiro para tapar buracos nos bancos, dinheiro que é (não é roubado que se diz) desviado... Fico por aqui!
Alguém disse algum tempo: "Mal vai uma Pátria que não sabe honrar os seus heróis"
.


Camarada Aquilino, que agora estejas em paz assim como todos os outros camaradas que já faleceram.


Já agora: No lapidário do Monumento Nacional dos Combatentes da Guerra do Ultramar, estão 9273 nomes de falecidos nesta guerra. Para quando a colocação dos 1416 que faltam?

Com um grande abraço me despeço por hoje

SANTA


1 comentário:

  1. Sentes-te indignado, pois não é para menos. Eu sinto-me envergonhado por ser conterrâneo destes políticos "iluminados" que nos têm "desgovernado" após a revolução. É por demais revoltante virarem costas a um assunto que foi e ainda é tão dramático para milhares de famílias. Gente de bem, como todos eles se arrogam, não faz coisa semelhante por ser demasiado irracional e,por isso, antipatriótico e, se calhar, até anticonstitucional.
    Porquê, então, tanta admiração por deixarem crianças com doenças graves, ao abandono nos corredores dos hospitais com falta dos tratamentos adequados?

    ResponderEliminar