domingo, 24 de abril de 2016

25 DE ABRIL, SEMPRE...

É já amanhã! Mais um ano e aí está o 25 de Abril. O nosso blog, não podia estar fora deste dia e da sua comemoração. Todos nós que andamos na guerra, temos orgulho de este dia ter nascido com a nossa ajuda. Só temos pena, que para isso o sangue de tantos tenha sido derramado, outros terem ficado deficientes e ainda outros que de uma maneira ou de outra ficaram com a sua vida estragada. Valeu a pena? Alguns dirão que sim. Outros dirão que não. A certeza que temos, é que a guerra acabou e a juventude a seguir a nós respirou de alívio até aos dias de hoje e a ditadura acabou! Isto é que é a verdade. Tudo tem o seu lado positivo e o seu lado negativo. Tudo depende da maneira de ver de cada um.
Sendo assim, e da nossa parte: VIVA O 25 DE ABRIL E VIVAM TODOS AQUELES QUE O PREPARARAM E O CONQUISTARAM.

Não podia deixar de fora desta comemoração, aquele que a mim me diz muito. Por uma razão: convivi com ele na E.P. de Cavalaria em Santarém. Já adivinharam: SALGUEIRO MAIA. Outro grande homem do 25 de Abril. Para muitos este nome se calhar está esquecido. Para mim não. Até nos separarmos (ele era aspirante na altura e eu instruendo para Cabo Miliciano) tivemos uma sã camaradagem. Já era um senhor. Não havia Aspirante nem Instruendo: eramos militares. Tenho uma frase engraçada dele.Um dia, cheguei ao pé dele e disse. Meu Aspirante. Vai ele assim para mim: ó nosso instruendo, aqui não há aspirante nem instruendo somos os dois militares! Era assim a sua convivência.

Para quem não sabe, Fernando José Salgueiro Maia, foi um dos capitães do Exército Português que liderou as forças revolucionárias durante a Revolução de Abril de 1974, que marcou o final da ditadura e por consequência a guerra do Ultramar.
Nasceu a 1 de Julho de 1944, em Castelo de Vide e faleceu a 4 de Abril de 1992 em Santarém. Era filho de um ferroviário. Frequentou a Escola Primária em S. Torcato, Coruche e concluiu o ensino secundário no Liceu Nacional de Leiria (hoje Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo), regressando, em outubro de 1964, na Academia Militar, em Lisboa.
Acabando o curso, Salgueiro Maia foi colocado na Escola Prática de Cavalaria de (EPC), em Santarém, para frequentar o tirocínio. Na mesma instituição, ascendeu a comandante de instrução e integrou uma companhia de comandos na Guerra Colonial.
Depois da revolução, viria a licenciar-se em Ciências Politicas e Sociais, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Politicas, em Lisboa.

A 24 de Setembro de 1983 recebe a Grã - Cruz da Ordem da Liberdade, e a titulo póstumo, o grau de Grande Oficial da Ordem Militar da Torre Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, a 28 de Junho de 1992 e em 2007 a Medalha de Ouro de Santarém.

 Fica aqui um puco da biografia de Salgueiro Maia.

 E agora , gostava de deixar aqui, uma frase dele: NÃO SE PREOCUPEM COM O LOCAL ONDE SEPULTAR O MEU CORPO.
PREOCUPEM-SE  É COM AQUELES QUE QUEREM SEPULTAR O QUE AJUDEI A CONSTRUIR.


                   

No 25 de Abril


Salgueiro Maia no Quartel do Carmo




Escola Prática de Cavalaria. Era assim. Agora ? Bem. Agora não tenho palavras para descrever o estado em que se encontra... É um pedaço do 25 de Abril esquecido!

Salgueiro Maia no Quartel do Carmo.


VIVA O 25 DE ABRIL VIVA PORTUGAL



Com um abraço paras todos em geral. SANTA





Sem comentários:

Enviar um comentário