quarta-feira, 22 de julho de 2009

Foi há 41 anos...

... que iniciámos o nosso cruzeiro:

23-07-68

Vera Cruz


"Já a vista pouco e pouco se desterra
Daqueles pátrios montes que ficavam;
Ficava o caro Tejo, e a fresca serra
De Sintra, e nela os olhos se alongavam.
Ficava-nos também na amada terra
O coração, que as mágoas lá deixavam;
E já depois que toda se escondeu,
Não vimos mais enfim que mar e céu."

Lusíadas, V - 3




Portaria n.º 23468
Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro da Marinha, declarar que o navio Vera Cruz, da Companhia Colonial de Navegação, é afretado pelo Ministério do Exército, a partir de 18 de Julho de 1968, para transporte de tropas e material de guerra.
Enquanto o navio tiver capitão-de-bandeira só poderá ser utilizado em serviço do Estado, e não comercial. Nestas condições, tem direito ao uso de bandeira e flâmula e goza das imunidades inerentes aos navios públicos.
Ministério da Marinha, 8 de Julho de 1968. - O Ministro da Marinha, Fernando Quintanilha Mendonça Dias.



2 comentários:

  1. Parece que foi ontem, mas já lá vão uns anitos. Naquele dia não tinha familiares à despedida. A opção foi minha. Sentado ao lado do meu amigo fur. Moreira. numa das bóias de salvação (bidons de 200 litros cobertos de pranchas de madeira) à popa do navio, passamos sob a ponte Salazar sem derramar uma lágrima. Mas confesso, senti um frio a percorrer-me a espinha. Estava consciente que nem todos iriam voltar.
    Comemoremos a data. Felizes os contemplados.

    ResponderEliminar
  2. Olhando a imponência do paquete, e se o caso se passasse agora, poder-se-ia até dizer: "Dois milhares de jovens da nossa melhor sociedade deslocam-se num luxuoso e agradável cruzeiro, a fim de descansarem, até às espectaculares prais do Indico. Como habitual vão estar na despedida as suas familias "chorosas", pedindo-lhes que lhes tragam os "souvenirs" da praxe!!
    As coisas que já vivemos... Porra!!
    Ainda bem que se podem mudar os tempos..

    ResponderEliminar