quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

PARA QUE TODOS SAIBAM

Por:   F. Santa   


Que me desculpe o meu camarada e amigo Bastos, mas ao ver esta fotografia uma lágrima rolou pelo meu rosto abaixo. Não se pode ficar indiferente. O Bastos é o que está, na foto, de telemóvel em punho. Andou como nós em Moçambique lá par os lados de Cabo Delgado e Mueda, e é amputado. É meu camarada e grande amigo. Estamos juntos na A.D. F. Armadas (Delegação de Coimbra). Desculpa Bastos, não sei escrever tão bem como tu... mas não faz mal.
Para que todos saibam que a guerra não acabou. Este Homem, o Dentinho - nome pelo qual é conhecido - mora nos arredores de Coimbra, e é o exemplo profundo de que a guerra não acabou. Deitado na sua cama, (na posição em que nos mostra esta foto), este camarada nosso está assim há mais de quarenta e dois anos. Do seu corpo só a cabeça mexe. É duro ler estas palavras, mas é a realidade. Tudo à Pátria deu e da Pátria nada recebeu, e como ele há mais. Enquanto tivermos força, que as nossas vozes não se calem que a nossa indignação seja ouvida por aqueles (os nossos governantes) que continuam surdos e calados, que a este homem a quem nada  deram de direito não queiram agora, também, tirar-lhe os dias que lhe restam, a ele e a todos os outros nossos camaradas que sofrem na pele as agruras da guerra. Força, camarada Dentinho, tens sabido viver, resististe até aqui, vais resistir até ao fim. Que o ano que acaba de entrar te seja mais favorável e alivie a tua dor.
             Que este texto sirva para reflexão de todos, principalmente para os mais jovens que tão puco sabem da guerra do Ultramar. Parece que nada aconteceu!

                                              Do Santa, com um abraço.

18 comentários:

  1. Maurilio Almeida12/01/12, 18:02

    Ao ler este texto,não pude deixar de ficar emocionado,fui um combatente em Angola,e tiva a sorte de vir e estar inteiro,não se calem e divulguem,graças a Deus que nossos filhos são uns felizardos,e ainda bem,que ateimosia da guerra do ultramar acabou,e eu ainda hoje pergunto:porque e para que.Deste amigo
    Maurilio-- Pela ilha de Porto Santo com um abraço

    ResponderEliminar
  2. Sou um ex combatente e cada vez mais estou revoltado com os nossos governos sucessivos desde o 25 de Abril que desprezaram os ex combatentes, que deram a vida e a sua juventude por uma nação chamada Portugal, para depois serem desprezados , como este combatente que devia ser tratado com dignidade e carinho por todos os nossos governantes ,um grande abraço meu amigo, força camaras de armas

    ResponderEliminar
  3. Sim, uma resistencia sem paralelo!! Mais o quê senão um abraço fraterno.!!

    ResponderEliminar
  4. Será que, os governantes, da nossa Pátria não lêem e não vêem estas páginas, estes blogs? Será que só nós os ex-combatentes temos acesso a este meio de informação? Claro que não... claro que os vários governos sabem, de quanto e quantos ex-combatentes sofrem com várias doenças quer do foro psicológico, quer físico, eles ou as "Polícias" e os informadores deles sabem. Então porque não agem em defesa de quem defendeu a Pátria? de quem tudo deu de melhor que tinha, a juventude, os melhores anos das nossas vidas. Força Camarada, "Dentinho". Que o descanso dos vários governantes que por este país passaram, seja igual ao teu sofrimento e ao de todos os ex-combatentes que sofrem as amarguras de uma guerra que foram obrigados a fazer.

    ResponderEliminar
  5. Dentinho é do meu tempo de Ultramar e, como é de Cavalaria, é até capaz de ser do tempo em que estive em Santarém. Mas, o assunto é outro: saber o endereço desse nosso camarada para que o possamos visitar. Não é nada mais que um linimento passageiro, mas é algo que podemos fazer de imediato e a todo o momento. Para outras lutas teremos que nos mobilizar todos e fazer ouvir a nossa voz.

    ResponderEliminar
  6. ... citando, (de um email enviado por um veterano):

    A solução, «é simples: temos de "continuar a ser uns para os outros" - seja, a comunidade de veteranos da Guerra do Ultramar -, pois creio que em nenhuma época como a presente, quem cumpriu o seu dever de
    militar pela defesa dos interesses permanentes da nossa Pátria (apesar de a maioria desconhecer, ainda hoje, quais aqueles eram e deveriam continuar a ser), tem a obrigação moral de zelar pelos seus camaradas-d'armas e bem assim, na medida das possibilidades de cada um, contribuir - embora recorrendo a pequenos lenitivos [...] -, para apaziguar a memória de [...] de cada um que [se lesionou] em campanha, e, também por essa via, subjectivamente ajudar à consolidação da memória colectiva, no que respeita à nossa recente História Pátria.»

    ResponderEliminar
  7. Quando um Pais tem entre os Consel-
    heiros de Estado UM TRAIDOR QUE TRAIU O pAIS E OS SEUS CAMARADAS? ajudando o inimigo a matar camaradas
    e outros que nunca foram tropa ou
    eram "imigrados"nada lhes in teressa
    os antigos combatentes, infelizmente
    ha muitos camaradas nossos no mesmo estado e ninguem se ocupa
    deles,para os "asnoscratas" dos
    nossos (des)governantes nos somos
    um grande peso
    Para terminar espero que o nosso
    camarada "dentinho" tenha um novo
    ano mais feliz que o ultimo
    Um abraço a todos os irmãos d'armas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os nossos Governantes que governam o País, ou seja: servem a Pátria, esquecem-se que este bravo herói assim como tantos outros, também serviram a mesma Pátria, mas em condições mais adversas. Uns servem-na para usufruir bons vencimentos e mais tarde óptimas reformas, outro coitados eu digo coitados, defenderam-na pondo em risco a própria vida e agora é o que se vê: são esquecidos e muitas vezes vilipendiados. Será que os nossos governante são Cegos, surdos e mudos? Força Dentinho, não te deixes abater. Também estive em Santarém na EPC. Um abraço de combatente para outro combatente - Abílio R. Reis

      Eliminar
    2. Quem esquece o caso desse ex-camarada (que não sei se está assim em consequências de ferimentos de guerra)será porque nunca viveu a angústia de uma partida dolorosa, ou viu a morte a seu lado,ou limpou o sangue do seu camarada de longa data,ou viu e sentiu o sofrimento dos pais namoradas /irmãos /irmãs/amigos /amigas que aqui ficavam a sofrer! Os veteranos de guerra (independetemente da convicção ou não que os obrigou a viver na poeira e no perigo das picadas) não podem ser abandonados,sobretudo,quando as portas do infortúnio batem tragicamente como no caso do Dentinho (que não conheço, mas estou profundamente solidário).Um grande abraço,para todos vós que continuais a lutar contra as marés da indiferença e , muito especialmente, ao bravo de Cavalaria que sofre!
      Ex-oficial miliciano de Cavalaria-Moçambique 70/72.

      Eliminar
  8. Amigos, é triste o que estamos a viver nmas é a realidade. Só somos vistos e achados para os problemas do país. No tempo das VACAS GORDAS quando havia subs+idios para tudo e para todos, foram dados e distribuidos de forma a ganhar votos. Agora que estamos em crise quem nada recebeu é chamado a pagar pois os mafiosos sempre encontram maneira de se safar.Isti está como antigamente ou pior. Nós fomos chamados para combater em africa, sem que alguem alguma vez se tivesse preocupado se na infancia e na adolescencia tivemos de comer vestir e calçar,(eu andei descalço até aos 15 anos), fomos mandados para áfrica defender duas ou três familias de ricos que lá tinham interesses, hoje uns morrem com traumas de guerra,outros porque a vida lhe foi madrasta e estao na rua e ninguem se lembra deles. Enquanto há gente sem escrupulos a ganhar altos ordenados, que são uma afronta à humanidade, e vêem à telev isão dizer que tem um valor profissional de marcado.AMIGOS VAMOS ABRIR A PESTANA, e pôr um travão nisto.Vamos unir nos e fazer barulho, pois se nos juntar mos e apresentar mos as nossas ideias eles vão estremecer, pois sabem que estamos do lado da razão. Vamos por as ideologias partidárias de lado, pois já vimos que são todos iguais, ou seja uns pior que os outros. Haja alguem que convoque uma concentraçao, mesmo que silenciosa,não importa o local, mas vamos todos em força dizer de nossa justiça. Quem Sabe uma concentraçao em fátima mesmo que seja indiferente. Vamos a isso.

    ResponderEliminar
  9. ANTÓNIO CAVADAS26/01/12, 18:46

    Caros amigos, boa noite a todos. Conheci o senhor Dentinho há meia dúzia de anos, quando ele tinha uma pequena mercearia que orientava desde a sua cama e/ou cadeira de rodas com a juda de amigos e pessoal a quem ele pagava com os miseros lucros que obtinha.
    Para quem estiver interessado em visitá-lo devo dizer que mora num lugar chamado "Casal Novo" junto às "Meãs do Campo" a seguir a Tentúgal, na estrada Coimbra-Figueira de Foz. Espero ter colaborado, um grande abraço a todos
    ANTÓNIO CAVADAS

    ResponderEliminar
  10. pois caro amigo dentinho. nao o conheço de vista mas ao ver a sua fotografia deitado nessa cama. Fiquei indignado e chocado por ver que està sofrendo à quarenta anos .nao sei como è possivel em 2012 nao aver coraçao nos nossos governos para nao se ocuparen de quen nada pediu para ir para a guerra .E que infelismente houje està sofrendo sen culpa alguma .POIS caro amigo fique sabendo que o meu coraçao esta consigo .estou en frança mas tamben fui a guerra a moçambique mas tive sorte foi depois do 25 de avril .APRESENTO-ME sou natural de milrico concelho de oleiros .o meu nome è julio antunes .costumo ir a portugal no mes de agosto vou-lhe fazer uma visita se deus quiser que me fas muito praser .E mais uma ves ao nosso governo tenho vergonha de ser portugues ao ver que teem homens que defenderao as costas a meia dusia de canalhas que deviao de estar no mesmo sofrimento que vocé esà .SEM MAIS UM ABRACO AMIGO ...

    ResponderEliminar
  11. EU ESTIVE EM MOÇAMBIQUE, NO NIASSA , MAIS TARDE NA ZONA DE NAMPULA E, CONHECI DE PERTO O HORROR DESTA GUERRA. HÁ MUITOS "DENTINHO", COM QUEM ME SOLIDARIZO, POR ESTE PAÍS FORA...
    NINGUÉM QUER VER PORQUE É MAIS FÁCIL "IGNORAR"--DÓI MENOS NAS CONSCIÊNCIAS...ACHO QUE É DE MOSTRAR ESTES CASOS; DIVULGAR DE TODAS AS FORMAS PARA QUE AS MEMÓRIAS NÃO SEJAM TÂO CURTAS...PARA QUE "NÂO VOLTE A ACONTECER"!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo Dentinho,não o conheço pessoalmente mas sinto o seu sofri-
      mento e da sua familia.Também fui ao
      Ultramar e vi coisas tristes.Sou Por-
      tugués e orgulho desta raça,lamento
      apenas a corsa de dirigentes que nos
      espoliam a cada momento.Quando vejo
      os noticiarios da Assembleia e aque-
      les vermes a insultarem-se sem nada
      produzirem sinto vontade que fossem
      lançados às feras do Zoologico,ali
      haveria justiça.Desejo-te algo
      de bom,se for ainda possivel.
      Um Katuas-Timor

      Eliminar
  12. Olá amigo Dentinho, é só para manifestar-lhe todo o meu apoio moral, pois também estive em Mueda e sei o que por lá passávamos! Infelizmente perdeu-se uma juventude e os que regressaram, vieram marcados física e psicológicamente.Ex-oficial mil. de Operações Especiais, Moçambique 72/73

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apoio e solidariedade . Um abraço de fraternidade .
      Estive na Guiné 1970-72 . e accionei uma mina anticarro , ficando ferido e com 30 % de defiiciencia .
      Francisco Palma

      Eliminar
    2. Como ferido em combate e uma defeciencia de 30%, venho expressar toda a minha solIdAriedade , para com com o Camarada Dentinho . Um abraço cheio de frateneridade e admiração por ti ao lutares todos estes anos com uma vida madastra , para a qual não contribuites nem mereces. Que Deus te alivie o sofrimento .

      Eliminar
  13. E ASSIM A GENTE VE O QUE OS HIPOCRITAS DOS GOVERNOS QUEREM SABER DE QUEM SOFRE DE QUEM MORREU SERA QUE O PRESIDENTE DA REPUBLICA ELE HIPOCRITA QUE DA MEDALHAS A QUE AJUDOU A DESTRUIR PORTUGAL E NADA FAZ EM PROL DOS SOFRERAM E SOFREM E MRRERAM EM DEFEZA DE PORTUGAL BASTARDOS SAO ELES TOUDOS TENHO DITO

    ResponderEliminar