domingo, 25 de fevereiro de 2018

EM 23 DE JULHO DE 1968 COMEÇAVA ASSIM...


Em 23 de Julho de 1968, começava assim. Era a partida para a Guerra do Ultramar. Ao comemorarmos os cinquenta anos da nossa partida, vamos repor de uma forma mais contínua, isto é: com mais tempo de exposição visual o filme que foi feito pelo nosso Alferes Magalhães. Claro. A imagem não é a melhor mas atendendo ao tipo de máquina na altura, foi o que se pode arranjar. Ora então aqui vai. Vamos então recordar!

PARTE 1



PARTE 2


Para a próxima vai o resto!

Com um grande abraço e um resto de um ótimo domingo para todos me despeço.

SANTA


terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

ESTAMOS QUASE...!

Pois é. Estamos quase a fazer 50 anos que partimos do Cais da rocha Conde D'Óbidos . Com certeza que ainda nos lembramos todos do dia 23 de Julho de 1968. Na memória parece que foi ontem mas no tempo assim não é. São os tais 50 anos desde o dia da partida até hoje. Todos nós nos lembramos da formação da C. Cav.  2415 em Cavalaria 7. Quando de noite íamos ver as estrelas e ainda da famosa aplicação militar na mata de Monsanto. Já para não falar na semana de campo na Fonte da Telha! Aqui, quem também não se lembra das patrulhas que lá fizemos, das emboscadas e do treino de tiro que fizemos na praia com rebentamentos de "trotil". Tudo isto fizemos como fosse uma brincadeira de crianças! Julgo que nesta altura no nosso pensamento a guerra ainda estava um pouco distante. Quem não se lembra também do célebre 10 de Junho no Terreiro do Paço sob um sol abrasador? Depois, foram mais uns dias e então sim: a guerra começou a entrar mais no nosso pensamento e a angústia da despedida começava a corroer no nosso dia a dia. Eramos jovens, com o "sangue na guelra" como se costuma dizer. Mas esta situação, claro que não matava mas amolentava! Chegava o dia. Aquela multidão humana no cais,  com lenços acenar, com certeza ainda ninguém se esqueceu daquele cenário sinistro. Depois, foi o afastar do cais e os lenços brancos, quais "gaivotas brancas"saiam da nossa visão para dar lugar ás águas profundas do Oceano. Era nesta altura que começava  a viagem rumo a Moçambique para um terreno de guerra desconhecido para nós. O resultado da epopeia da 2415, já todos sabem: tivemos mortos e feridos e o resto com mazelas até aos dias de hoje.

É por tudo isto companheiros, que temos que estar presentes no próximo dia 5 de Maio no nosso almoço convívio de comemoração dos 50 anos da nossa partida. Posso ser considerado "chato"de estar a bater sempre na mesma "tecla", isto é: de vos estar á aborrecer para que estejam presentes. Mas isto deve-se á minha maneira de ser de gostar de cultivar amizades, e neste caso, estas amizades é com todos vós. Não foi uma viagem qualquer, foi uma viagem para uma guerra que nos era imposta e sem saber se havia volta  e de que maneira ela se ía efetuar e em que estado. Por isso companheiros, apelo mais uma vez á boa vontade de todos os que possam, dizerem: PRESENTE. Serve este dia também, para nos lembrar-mos dos nossos companheiros que nos deixaram e que ficaram na nossa saudade. O que nos resta agora, com a idade que temos, é saber viver estes momentos da nossa vida com aqueles que andaram com cada um de nós por aquelas picadas e por aqueles trilhos em patrulhas. Brevemente, vão seguir as cartas com os convites. Peço também, para quem tiver fotos que traga.

                                                                                                                                                               

O VALOR DA AMIZADE...
O VALOR DA AMIZADE/NINGUÉM O PODE QUANTIFICAR/ISSO ERA TER A VELEIDADE/DE AS ESTRELAS DO CÉU PODER CONTAR
              Carlos Silva

           Para todos, me despeço com um grande abraço, com a esperança que a malta da 2415
           em força, diga: SANTA, VOU ESTAR AÍ.


                                                                  SANTA

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

A GUERRA AINDA INCOMODA...

Pois é. A guerra do ultramar parece que ainda é, uma espinha entalada na garganta de muitos. Fico com a impressão, que nós deficientes ou não, que andamos lá, fomos porque quisemos! Depois de tantos anos, é incompreensível  como ainda há pessoas que têm mau olhar para nós. Como é que certas pessoas de agora, que já não vêem os seus filhos e os seu netos irem para a guerra, têm esta maneira de pensar perante quem morreu nela ou dela veio deficiente? Isto tudo por mais uma situação que se passou comigo. A delegação de Coimbra da A.D.F.A., tem dois lugares de estacionamento para quem vai tratar de assuntos referentes á sua deficiência. Pois é raro o dia que não estejam ocupados por quem não tem direito, e em alguns casos o dia todo. Mas, é bom dizer, que a mesma falta de respeito se passa para os lugares para deficientes assinalados com a respetiva "cadeira de rodas". Ora chegando eu para estacionar num dos nosso lugares, qual não é o meu espanto que ao fazer marcha atrás, vejo um senhor a tentar estacionar primeiro que eu. Mas como eu continuava a fazer a respetiva marcha atrás, o senhor buzinou diversas vezes até ao ponto que nem eu nem ele podia estacionar. Calmamente, abri a porta e perguntei o que se passava. Respondeu ele: Não vê que quero estacionar... Respondi eu: Eu é que quero estacionar! Eu até julgava que ele fosse deficiente mas não era. Então, apontei para a placa, o que ele respondeu imediatamente, que a mesma não lhe dizia nada... Amavelmente, expliquei-lhe que aqueles 2 lugares eram destinados aos D.F.Armadas que necessitavam de ir á sua Delegação. Pois é. O Sr. todo irritado, disse para li tanta baboseira sobre os deficientes da guerra do Ultramar que eu nem tenho coragem de os transcrever aqui. Alguns, bastante ofensivos. Claro que ameacei com a polícia e a muito custo se foi embora a falar sozinho! Mas este não é caso único aqui neste estacionamento como também há situações com outras entidades. É pena que neste país, os deficientes das forças armadas sejam mal vistos, tendo muitas vezes atentado contra eles falta de respeito. Mas atenção, aqui entra também a mesma falta de respeito para com o deficiente civil. Aqui na nossa zona, é raro o estacionamento para deficientes, não estar ocupado por quem não tem direito. Aqui eu pergunto: Ora se a quem não tem direito a ocupar os lugares para deficientes, além da multa, são tirados pontos na carta de condução, porque não se faz cumprir? E se o deficiente estiver estacionado ao lado e não pôs a respectiva moedinha na "maquineta"? Como se diz em português:" chupa que é cana doce"! É multado! É por isso que eu digo: leishá muitas, fazê-las cumprir... é o diabo!
Sendo assim, vamos lá todos termos um pouco de civismo por quem é deficiente, ou militar ou civil, porque ao pensarmos que só aconteceu aos outros para quem olhamos com desdém, o mesmo não nos pode bater á porta mais depressa do que se julga. Aqui, vira-se o "feitiço contra o feiticeiro". Depois quero ver.
Estava agora aqui a lembrar-me de uma outra situação passada com um colega meu. Esta parece uma anedota, mas não é. Estava ele a chegar a um parque de estacionamento na zona da Portagem em Coimbra ( ele é amputado da perna esquerda e com problemas na esquerda), com a esposa para ir á Casa de Saúde, ao dirigir-se para o estacionamento para deficientes, estava a estacionar um casal a quem ele perguntou amavelmente se era deficiente. Ele disse que não. Então o meu colega disse: Eu sou deficiente de guerra, não tenho uma perna, tenho o direito de estacionar ai e  o senhor não. Agora não se riam por favor! Sabem qual a resposta do senhor? Ninguém o mandou ir pra guerra. Olhe, vou beber um café ali e espere que eu já volto! Palavras para quê?

Já somos poucos, mas ainda incomodamos  muita gente. "Temos pena"


   Por aqui me fico hoje, para não falar também na vergonha que se passa no estacionamento  nas grandes superfícies pois também ninguém respeita. Não vou dizer mais nada pois posso dizer mais alguma coisa que se pareça comigo...

Já agora, para quem gosta, um bom dia de carnaval!

             Um abraço com amizade para todos.
                              
                                        SANTA


quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Cartas da Guerra


Fiquei de alma cheia como se costuma dizer! Sei que muitos não ligam "peva" ao assunto, ou fazem que não ligam, outros evitam recordar, falar ou debater o passado, invocando não terem paciência mental e emocional que a idade lhes foi tirando. Só tenho é de respeitar mas ainda bem que não perfilho nenhuma dessas teorias. E, acho eu, também, que a maioria está do lado contrário, daqueles a quem o passado não incomoda, e ainda bem que assim é.
Isto a propósito do filme "Cartas da Guerra" que a RTP passou ao serão num destes últimos fins de semana. E, como digo, encheu-me a alma de emoções, pois aquelas cenas ficcionadas e passadas com outros militares, posso dizer, com toda a propriedade, que a CCav.2415 também lá cabia inteirinha.
As cartas e os aerogramas carregados de juras de amor eterno que voavam semanalmente dum lado para o outro e, após chegados à metrópole, logo eram atados com fitinhas cor-de-rosa.
Quem as não tem? Ou nunca as teve? Acho que ninguém, só que hoje estão cheios de pó e amarelecidos dentro de um qualquer baú ou sótão ou até já destruídos, quem sabe?!
Este filme entrou no circuito no verão de 2016 e nunca tive oportunidade de o ver, felizmente, agora, entrou-me casa adentro. É baseado em escritos (cartas) que o famoso António Lobo Antunes, na altura alferes-médico num batalhão em Angola, escrevia à sua jovem esposa deixada em Lisboa.
Para os que já viram ou ainda irão ver deixo aqui, entre as muitas cenas "gagas" do filme, aquela do major a perguntar ao "impedido" quando é que o rancho ia mudar para qualquer coisa mais comestível, pois estava farto de lhe servirem ao almoço e ao jantar sempre a mesma coisa: arroz com salsichas ou atum com arroz, e já não aguentava mais!
Fiquei muito admirado pois não sabia que os majores, mesmo dentro dos batalhões no "mato", estavam sujeitos àqueles suplícios. Será? Tenho sérias duvidas!
Enfim, afinal o que importa, seja um filme ou um livro a conclusão é sempre a mesma, vale bem a pena conseguir algum tempo para olhar o passado.
 

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

À BEIRA DO MAR...

À BEIRA DO MAR é mais um poema de Carlos Silva...
  
À beira do mar
Num silêncio profundo
Como quem quer afogar
As mágoas todas deste mundo

Ao longe uma voz
Cantando dizia
O que seria de nós
Se a noite cobrisse o dia

A ausência forçada
São penas d'uma ilusão
É como a espada afiada
Atravessando o coração

À vida punha fim
Se visse aí solução
Desejava mal a mim
De DEus não tinha perdão

As estrelas juntinhas
Como peixes em cardume
Não descobrem mesinhas
Que me matem o ciúme

Se eu pudesse esquecê-la
Como esqueço a má acção
Não chorava só de vê-la
junto a ele de mão na mão

De ternura e de amor
Fiz a mais bela pintura
Aos seus olhos fui à cor
À sua boca formosura

Se não fosse o mau perder
Meu orgulho enterrava
Não se me dava morrer
Sabendo que ela me chorava

                                                CARLOS SILVA



A gripe voltou
P'ra cama vou voltar
A outra já passou
Esta tenho de aguentar

Ela de mim não toma posse
Chega de nariz entupido
E de noite tanta tosse
Ela não brinca omigo
                                               
É que é mesmo assim
A gripe não me quer deixar
Mas ai dela e não de mim
Tenha ela a certeza que a vou despachar!


          Não tenho mesmo jeito para a poesia...! Até breve com um grande abraço.

                                                       SANTA

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

DE CARLOS SILVA...

De Carlos Silva, "ENTRE A VIDA E A MORTE"

Entre a vida e a morte
Vai uma curta distância
Não há foice que corte
Recordações de infância

Quando se é pequenino
Tudo é felicidade
Mais meigo, mais traquino
Tudo se faz sem maldade

O homem só não é perfeito
Porque a mentira ele inventou
À condenação ficou sujeito
E dela nunca mais se livrou

É tão perto da morte á vida
E tão longe da terra ao céu
Que a sentença seja comedida
De clemência precisa o réu

Isto é apenas um retrato
De passos dados vida além
Pois cada um veste o fato
Á medida do corpo que tem

As coisas aqui retratadas
São comuns a toda a gente
Tornam-se águas passadas
Se o coração não as sente

As escolas e os mestres
Que ninguém os menospreze
Desde os tempos rupestres
Que o homem o saber lá bebe

Quem universidades não frequentou
E nunca passou pelas prisões
Contenta-se com oque a vida lhe ensinou
Não é por isso que não é digno de Camões

Entre a vida e a morte
Há um caudal a transbordar
Ou é do destino ou da sorte
Ou das margens que o vão apertar

O coração sente e cala
Com a alma é solidário
A língua lhe dá fala
Aos ombros cruz ao calvário

Não dei p'lo tempo passar
Ai de mim que o desperdicei
 Contas dele hei-de dar
E eu que nisso nunca pensei

A vida é água da bica a correr
É pena leve que com o vento voa
A vida é nuvem a passar sem se ver
É badalada do sino que ao longe soa 

"Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós"

                                             Do nosso camarada e amigo, CARLOS SILVA.

   Para todos com um abraço.
                                                           SANTA
                                                                            


sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

MAIS UMA VEZ RELEMBRANDO...

Pois é. Depois de alguns dias de "molho", pois a constipação também me contemplou, e que foi acompanhada por uma tosse chata, e agora como se costuma dizer, estou pronto para outra! 
 Sendo assim, aqui vai.  De Carlos Silva:

   "O SORRISO DOS SESSENTA"

Recordo-me de ouvir
Os mais velhos dizer
Um homem para sorrir
De ternura e prazer
Sessenta anos há-de ter.

D' à família mais um membro
Do São João e das ogueiras
Com isto é que eu me entendo
Recordando outras brincadeiras
Com a camisa num rememdo

Como eu me lembro
Do tempo das sementeiras
Das colheitas em Setembro
Do milho seco nas eiras
Falando à travesseira
Sobre ela deitadinho
A memória sorrateira
Traz-me adega e o vinho

Azeitona d'Inverno varejada
 A vindima é no Outono
Em mim ficou marcada
A sombra dessa latada
Onde à sesta deixava o sono

Deitado no chão olhava
Sem nada dizer ao dono
Apalpar a uva amadurada
Se acaso a encontrava
Por ali ao abandono

Eu não me arrependo...

Dos cigarros que não fumei
Das noites que não vivi
De companhias que rejeitei
Não vale a pena
Recordar o passado
Que noite e dia me condena
A revivê lo em todo o lado


Não dou o tempo por perdido
Da vida tenho o que é preciso
Aos sessenta deixo o sorriso
Tomar conta do juízo

                                         

     =================
                            
Com um abraço, me despeço por hoje.
                                                                      SANTA



domingo, 21 de janeiro de 2018

TERMAS DE S.PEDRO DO SUL. FIM...

Aqui vão as últimas fotos: Estas fotos fazem parte do museu das termas.






Esta foto refere-se á foto de cima.




Esta foto, mostra o comboio na era do "vapor" em direção á estação das termas.

Um resto de um domingo bem passado.
Um abraço. SANTA.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

SÓ LEMBRAR...

Olá companheiros da 2415! É só para lembrar o próximo convívio da malta! Este aviso feito com antecedência, não é mais, senão, para que todos tenham tempo de organizar a vida para que neste dia possam estar presentes. O próximo convívio tem um sentimento especial: SÃO OS 50 ANOS DA NOSSA PARTIDA PARA O ULTRAMAR. Para todos nós, este convívio  deve ter um significado especial. Sendo assim, todos na medida do possível devem fazer um esforço suplementar para estarem presentes! Para que desde já todos fiquem a saber o respectivo convívio vai realizar-se no próximo DIA 5 DE MAIO. Não foi para julho derivado ser período de férias e alguns companheiros não poderem estar presentes. O local é o mesmo do ano passado. NO RESTAURANTE OS PATINHOS EM MONTEMOR-O-VELHO. Sendo assim, vai-te preparando tu é a família para este grande aniversário. Podes trazer um amigo também. Contacta outros companheiros da 2415 que moram na tua zona ou que tenhas conhecimento noutros lugares. Vamos fazer neste dia uma grande festa de amizade e companheirismo entre todos e relembrar aqueles que já nos deixaram. Tu que nunca vieste ou tu que deixaste de vir, vem agora. Porquê? Todos vamos gostar de vós ver e matar saudades com vocês. São anos que passaram e damos todos graças  por ainda cá estarmos. É um pequeno esforço que vos peço em nome de todos os que têm vindo. Sempre é melhor que tendo andado na PICADA...
Vai havendo notícias...

Com um abraço bem grande para todos os camaradas da 2415, SANTA.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

A Viagem...

Tenho estado desde o Dia de Reis na bela cidade da F. da Foz. Na semana passada resolvi ir à Coimbra para resolver uma situação e decidi ir de comboio o que já não acontecia á muito tempo. Fiquei surpreendido com o tempo que se demora entre a duas cidades, cerca de uma hora e um quarto! Julgava que nos tempos de hoje, seria um pouco menos. Mas á coisitas que poderiam ser evitadas se calhar com um pouco de boa vontade, é que chegados a Coimbra B, estamos ali a secar quase um quarto de hora para depois seguir viagem para Coimbra A! Mas pronto. Eu vim a saber que existe um mais rápido, só que o horário é diferente, e para quem entra em apeadeiros tal não é possível pois não para! Isto tudo para dizer que a viagem até é agradável e que as estações apeadeiros estão ser renovados o que é bom. Mas, á sempre qualquer coisa que estraga o que é bom. Dizia-me em conversa um passageiro que partilhava a viagem comigo, que as obras eram como as obras de "Santa Engrácia". Isto é: nunca mais têm fim... Realmente, pelo que me é dado ver á minha porta (pois moro junto á via férrea e a um apeadeiro) assim é! O comboio em si é bom, tem ar condicionado, a menina avisa da aproximação das estações e apeadeiros e até me disseram que no princípio tinham música. Na minha viagem não houve!!! Depois á outras coisas também menos boas. Na viagem de volta, com tempo de chuva, entram uns jovens todos alegres para a minha carruagem, e sem mais nem menos sentam-se e vai de pôr os pés todos sujos em cima dos bancos. Claro, custou-me um pouco ver o que se estava a passar e disse: ó jovens, é pá não ponham os pés em cima dos bancos que ficam todos sujos pra depois outras pessoas se sentarem. Qual foi a resposta? Ouça lá, ó amigo, o comboio é seu? E eu disse: não, mas é uma questão de boa educação. Logo disse outro: vá lá dar educação para sua casa. E este que era o único que não tinha os pés em cima dos bancos, acabou por po-los também! Um jovem que tinha chegado pouco depois, e estava sentado noutro banco e que devia ser conhecido deles disse: é pá, tirem os pés de cima dos bancos. Não houvem? Não vêm que o senhor tem razão. Responderam eles: também tu? O comboio é teu? Olha, vai dar também uma volta! Agora tirem o moral desta história. Ainda bem, qe nem todos os jovens pensam como aqueles. Nem tudo é feito da mesma farinha! Já agora, a situação acabou com a chegada do revisor que não esteve para brincadeiras. A viagem estava a chegar ao fim. Estava outra vez na F. da Foz. Na saída da estação ainda voltei a ouvir uns "piropos" dos quais fiz orelhas "moucas". Em sinal de remate, deixo esta pergunta no ar: como serão estes jovens em casa deles? Como disse atrás, ainda bem que nem todos são assim, e que á sempre no rebanho de boas ovelhas, uma ovelha ranhosa! Da minha parte, um bem haja para todos aqueles que se sabem comportar.
E já agora "a atalho de foice" como se costuma dizer, estamos na terceira semana de 2018, e já foram atacadas três mulheres á facada por violência doméstica! Por mais que queiramos, não podemos passar ao lado de tudo isto e perguntar ao Estado para quando uma legislação capaz para por cobro a tal situação. As conversas sobre esta situação, houvem-se em toda parte com os comentários mais variados! É que, enquanto os nossos políticos se entretêm a resolver os problemas DELES, o nosso país avança a passos largos para a insegurança!!! Já não é tempo para esses senhores olharem para o país real?
Este texto também se poderia chamar "Histórias do nosso tempo"

                                               ....................................................................
      ADORMECI E SONHEI QUE A VIDA ERA ALEGRIA,
      ACORDEI E VI QUE A VIDA ERA DEVER,
      AGI E CONCLUÍ QUE O DEVER ERA ALEGRIA

           "RABINDRANATH TAGORE (1861-1941)
                                                                            .......................
Com um abraço, SANTA.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

DA QUE PENSAR...

Pois é. Dá que pensar! Os dias passam e as notícias que nos são dadas ouvir na televisão ou ler nos jornais roem o nosso dia a dia. Eu tenho vergonha de certas coisas que se passam no nosso país. Quando qualquer um de nós não paga ao fisco, e por vezes importâncias tão irrisórias, de imediato se recebe uma carta a informar: tem x dias para pagar caso contrário vai ser penhorado parte do salário ou reforma e ás vezes até a  casa entra. Já ouvi pessoas a queixarem-se de quantias de seis euros outras de cem euros a levarem pela mesma tabela! Mas o que é isto? Coitado do Zé pequeno, porque o Zé grande esse esfrega a barriga de contente. E digo isto porquê? Porque é incompreensível  a notícia que se ouviu á poucos dias: o Estado perdoa á Brisa cento e vinte cinco milhões de euros, dizendo melhor concede-lhe o perdão fiscal dessa importância. É engraçado não é? Por ordem de ideias, se a mim me penhoravam qualquer coisa... á Brisa  pelo menos penhoravam as Autoestradas! Isto é fazer puco daqueles que lutam pela  vida e que ás vezes não têm dinheiro para comprar o mínimo para a sua subsistência. Depois irrita ainda aquilo que se houve de alguns senhores com peso na governação dizer que todos têm que pagar ao Estado!
Outra coisa. O que se passa com as nossas forças de Segurança? Todas as semanas se houve: GNR atacados, tiveram que receber tratamento hospitalar. Patrulha da GNR atacada.Roubaram a arma a um dos soldados! Um deles foi tratado por uma enfermeira particular. Mas isto é quase toda as semanas!  Isto, já para não acrescentar mais nada. São tantas coisas que chega a ser ridículo! Mas então não se faz nada?  Quem tutela as forças de segurança faz vista grossa a tudo isto? Nada se passa de grave? Onde passa a estar a nossa segurança? Por aqui me fico.
                      ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,.                                     ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
Para todos com amizade um grande abraço.   SANTA.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

AINDA PELAS TERMAS DE S.PEDRO DO SUL...

Continuando pelas Termas de S. Pedro do Sul, aqui vão mais umas fotos...





Três fotos tiradas na Serra da Freita





Ao fundo do lado direito pode ver-se a Capela de S. Martinho


As fotos acima, mostram as escavações que estão a ser feitas nas ruínas Romanas e Medievais.


        Jardim em frente ás termas. Pode ver-se um "repuxo" onde sai também água quente.
               Já agora mais uma vez,aproveito para dizer que a água brota em todas as fontes a uma                                                                  temperatura de 68ºC.



        Esta foto, só para dizer mais uma vez  que as Termas de S. Pedro do Sul são banhadas pelo Rio Vouga. Estas Termas são as mais frequentadas do País.

                                                                                                              (continua)

            Termino por hoje, fazendo votos para que este início do ano 2018, esteja a ser bom para todos. Um abraço.
                                                                  SANTA
                              

sábado, 6 de janeiro de 2018

DIA DE REIS




       Para todos que esteja a ser um bom dia de REIS e que assim continue.

                    Como presente meu, um abraço para toda a gente!

                                                   SANTA


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

ENTÃO AQUI VAI...

Que este meu primeiro texto em 2018 seja o primeiro de muitos!
Neste meu primeiro texto, vou falar de um pequeno passeio que fui dar por S. PEDRO DO SUL, e principalmente pelas suas termas, no primeiro dia do novo ano. O tempo não estava muito bom para passear mas sempre deu para alguma coisa. Sendo assim, e para quem não conhece, vou inserir no nosso blog algumas fotos.




                                         Duas vistas da parte norte 



                 Praça Central, onde se encontra o edifício das termas

Edifício das Termas


Fontenário na praça. Na bica da esquerda corre água quente com um cheiro bastante intenso. É água termal, na bica direita, corre água fria tratada. A temperatura da água é cerca de 68º centigrados.











Estas últimas fotos, dizem respeito ao Rio Vouga que atravessa  toda a zona das termas.

                                                          (continua)

Continuação de um Bom Ano.

SANTA



segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

2017 JÁ SE FOI...

2017 JÁ SE FOI! OLÁ 2018! ESPERO QUE TODOS EM GERAL, TENHAM FEITO A PASSAGEM DE UM ANO PARA O OUTRO TODOS COM SAÚDE, E BEM DIVERTIDA, E QUE NÃO SE TENHAM ESQUECIDO AO SOAR AS 12 BADALADAS, DAS 12 PASSAS E DO RESPETIVO DESEJO! ESTE É O PRIMEIRO DIA DE 2018 DO NOSSO BLOG!!!

QUE O NOVO ANO TRAGA MAIS GENTE A PARTICIPAR. ISTO É: A ENVIAR TEXTOS OU FOTOS AINDA POR REVELAR! SÓ ASSIM, PODE HAVER UMA CONTINUIDADE DO NOSSO BLOG.

           PARA TODOS SEM EXCEÇÃO; UM SANTO E FELIZ ANO DE 2018 E QUE CADA DIA SEJA UM DIA COM MUITA SAÚDE E MUITA PAZ!



UM GRANDE ABRAÇO PARA TODOS

SANTA

        

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

O NATAL JÁ SE FOI...

Pois é. O Natal já se foi! Mas já ninguém se lembra que á dias a traz foi Natal. Mas foi mesmo Natal? É que eu vi tanta coisa que me deixou frustado! Para mim, pelo que me foi dado ver, não foi o nascimento do menino Jesus que se celebrou isto é, o Natal mas sim dia do Pai Natal!!!
Parece que foi o Pai Natal que nasceu a 25 de Dezembro. Dirão alguns: lá está ele outra vez! Mas é mesmo assim. Já á gente que diz ás crianças que o Pai Natal nasceu neste dia!!! Outros dizem a elas que não existe Pai Natal, querendo tirar a fantasia daquilo que á de mais belo para a inocência das crianças. Então? Eu conto-vos uma coisa que se passou com um sobrinho meu. Depois de festejarmos o NATAL e de ter terminado a consoada, chegou a altura de se distribuir os presentes. A mãe do meu sobrinho mandou-o ir á janela para então ele ver se o Pai Natal estava a chegar. Na altura que eu fazia soar uma campainha o Céu (por coincidência) era atravessado por uma estrela cadente! Para o meu sobrinho, era o Pai Natal! Era uma alegria. Ninguém disse nada e esta história foi aguentada por algum tempo. Depois, o caso desmanchou-se e a verdade desvendou-se. Ele riu-se, achou graça, e nunca o afetou! Eu quando era criança, também punha o sapatinho na chaminé para o menino Jesus lá colocar a prenda. Isto só para dizer, deixem as crianças sonharem! Á alguém mais puro que as crianças? Deixem-nas viver a sua inocência. O Natal, hoje em dia é a altura em que á sombra da quadra se  fazem compras desenfreadas gastando-se mais do que se devia. É um consumismo total!!! Que os homens não se esqueçam do que se celebra neste dia (25)!
A partir deste dia, em que tudo parece ser paz e amor, (pelo menos é o desejo de uns para com os outros) tudo volta á mesma forma. Volta o ódio etc, etc, etc. Não vale a pena dizer mais nada...
Pois é. O Natal já se foi, e vem agora aí o o ano 2018. O 2017, já sabemos como é que foi, o 2018 neste momento é uma incógnita. Julgo que vai continuar a faltar a Paz e o Amor entre os homens. Vão continuar os destruidores da Paz e os fazedores de guerras!
Vamos todos ter (embora ténue) a esperança que este ano seja melhor que a paz reine e haja entendimento entre os homens. Que neste 2018, os nossos governantes não se lembrem só deles. Lembrem-se também dos mais desfavorecidos, dos mais...etc, etc, etc. Eles sabem bem quem são! Que não se esqueçam da floresta e daqueles que tudo perderam nos incêndios.
No essencial, que este Ano seja melhor que o ano anterior. Que o homem esqueça tudo o que ficou mal para traz e pense naquilo que seja melhor para o futuro.

Para os nossos amigos em geral e para quem visita o nosso BLOG, a 2415 deseja a todos um Santo e um Bom Ano Novo Cheio de saúde e muita paz e que vos traga também, muitas alegrias.

Companheiros e amigos da C.Cav. 2415. Desejo a todos voz e vossas famílias, um ano de 2018 cheio de Saúde Paz e Amor e já agora muitas alegrias, mas acima de tudo, muita SAÚDE pois sem ela é muito difícil ter um bom ano! É um dos bens mais preciosos que cada um de nós pode ter. Não podemos esquecer também, as famílias daqueles companheiros que já nos deixaram. Para elas são extensivos os mesmos votos.




                      UM SANTO E FELIZ ANO NOVO PARA TODOS

                                     COM UM GRANDE ABRAÇO

                                                    SANTA





segunda-feira, 25 de dezembro de 2017


Natal é dia de anos...


Parabéns ao aniversariante !

* * * * *

A todos os amigos e visitantes
desejamos

BOAS FESTAS


sábado, 23 de dezembro de 2017

NATAL

 É Natal! Vivemos numa época completamente baralhada e sem boas ideias. É difícil não dar por ela.   Celebramos o Natal. Milhões de ser humanos celebram o Natal. Nasceu o Deus menino. Só assim se justifica o dia 25 de Dezembro. Fala-se sempre nesta época, em Paz e Amor! O que foi alterado no comportamento dos homens por este nascimento? O que conseguiram modificar depois da celebração desta Festa? Nada... Continuam as guerras, morrem crianças pela indiferença de todos nós, são violentadas as liberdades do ser humano, povos abandonados em campos de refugiados, deixados completamente ao abandono pior que animais, é o racismo, é a corrupção a proliferação da corrupção, a violência doméstica e a violação de crianças, pessoas que vivem em "casas"miseráveis, pessoas que não têm que comer, e mais coisas que podia aqui acrescentar... Pois é: mas é Natal e os homens comemoram o Nascimento do Filho de Deus.                                                                                Olhai o que se passou este ano em todo mundo particularmente no nosso querido Portugal. O flagelado por uma onda de incêndios sem igual. Estes, provocados na maior percentagem pela mão humana, uns sem querer, outros por mão criminosa. É desta Paz que o homem fala? Ainda á poucos dias ouvi da boca de alguém... com responsabilidade neste país, que 2017 foi um ano muito saboroso! Para quem? É de ficar de boca aberta! Mas é Natal, Para mim, tudo isto me merece tristeza e ao mesmo tempo, lamentação. O homem não busca mais a Paz enquanto viver com esta maneira de pensar. O homem, devia parar silenciosamente  junto do Presépio e tentar ver e sentir, para além do facto histórico, a mensagem que ele nos transmite como valor espiritual. Talvez, no silêncio desta meditação, o homem possa penetrar e entender o que é a Paz e o Amor. Eu quando falo, falo para todos em geral com todo o respeito que me merece todo o ser humano qualquer que seja a sua edeologia. Para quem tem sensibilidade, o convite do Presépio foi, é e será sempre, um convite á Paz e ao Amor.                                                                                                                                                    A noite de Natal, não pode ser, uma diversão ser só um jantar em família e dar prendas. É mais do que isso. A partir daqui, devíamos seguir o exemplo de Belém de Judá..., mas... ainda está longe de chegar aos corações dos homens. Vamos continuar a viver e agir em termos de poder, riqueza, ódio e o de pensar, quero mando e posso, e acima de tudo de continuar a fomentar a guerra e a desigualdade. É neste contexto, com a s luzes, comida, prendas e grandes cenários festivos referentes á época natalícia que o homem esquece o nascimento do menino Deus.                                                                Sendo assim, era bom que este Natal, fizesse transbordar os corações dos homens de PAZ e AMOR para o tempo que ainda temos pela frente.                                                                                                    Peço perdão, para quem não possa estar de acordo com este texto. É o meu sentimento. Assim como eu vos respeito, peço também que me respeitem a mim.                                                                                                                                                                                                                                         Com isto tudo, eu desejo a todos os companheiros da C.Cav 2415 e suas famílias, um Santo e Feliz Natal com muita Paz, Saúde e Amor bem como ás famílias daqueles que já nos deixaram.. Os mesmos votos, vão também para todos os outros companheiros, que nas mesmas guerras andaram e ainda também, para todos os que acompanham o nosso "BLOG" e que são a razão de ele existir.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 EM GERAL, UM SANTO E FELIZ NATAL PARA TODOS                                                                                                                                                                                                     



Com um grande abraço, e que todos passem um SANTO NATAL com muita Paz , Amor e  também muita Saúde.

SANTA

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

FESTAS FELIZES E UM BOM ANO NOVO



Em meu nome, do Moreira e do Fuzeta, já falecido, envio a toda a malta da CCav.2415 e famílias, votos de Festas Felizes e um Bom Ano Novo.
Esta foto rara foi tirada em Lione na tarde do dia de Natal de 1968. Por trás pode ver-se, acho eu, um "embondeiro" a fazer de árvore de Natal! 



segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

ALMOÇO DE NATAL

Realizou-se como bem sendo hábito, desta vez na "Quinta Quinhentista do Sobreiro", o almoço de Natal da Delegação de Coimbra da A.D.F.A.. Participaram mais de duzentas pessoas e onde esteve presente o Presidente da A.D.F.A Comendador José Arruda  o Capitão Calvinho um dos fundadores da nossa associação e ainda  o Presidente da Delegação de Coimbra José Soles Girão.
O almoço foi animado. No final, os discursos apelaram á coesão de todos os associados para que estejam firmes e assim termos uma associação apta para continuar a defender as nossas causas. Com coesão e firmeza de todos nós em redor do Presidente se pode resolver o problema de muitos deficientes. Problemas esses, que ao fim de tantos anos os governos ainda não resolveram.

Aqui vão algumas fotos do acontecimento...



Este é o sobreiro que dá nome á quinta. (Século XVIII)




Não podia faltar a vida animal...



Um aspecto da concentração dos sócios.



Chegada do Capitão Calvinho.


                                                  Chegada do Comendador José Arruda.



Um aspecto da sala.


Á direita o Presidente José Soles Girão, ao centro o Vice Presidente José Temido e á esquerda um dos membros da mesa da Assembleia da Delegação, Deus Almeida.


Um aspecto da mesa de honra com os nossos já conhecidos...


Comendador José Arruda num momento pensativo...


Capitão Calvinho com toda a atenção ao discurso do Presidente Girão.


Presidente Girão no seu discurso.


E o brinde final.



Eram já as despedidas.

E assim foi o nosso almoço de Natal !!!

Para o ano, se lá chegarmos, que se repita.

Saudações Natalícias para todos.







                                                                ATÉ LÁ...      SANTA