* * * * Sábado, 20 de Maio ==> Convívio anual da "BRIOSA" 2415 em Montemor-o-Velho * * * *

sexta-feira, 28 de abril de 2017

MAIS UMA BAIXA...

Mais uma baixa...Ligou-me o nosso camarada Carlos Silva, para trocarmos algumas impressões sobre o nosso convívio e ao mesmo tempo dar a triste notícia, que faleceu o nosso camarada, Filipe Martins Sentieiro. Agora que soubemos desta triste notícia, todos os camaradas da C.Cav2415, enviam os mais sentidos pêsames a toda a Família e que a alma dele repouse em paz.



                        Pela C. Cav2415
                                
                            SANTA

quarta-feira, 26 de abril de 2017

"20 DE MAIO 2017"

"20 de Maio 2017". Sabem que data é esta? Pois bem. É a data que marca o convívio da Companhia de Cavalaria 2415. Sendo assim, faço um apelo: Que todos participem nele. Que ninguém fique em casa. Todos aos "PATINHOS" em Montemor O velho no dia 20.

Conforme vem sendo hábito da minha parte, aqui vai o convite na integra e o mapa, com a respetiva rede viária que vos levará ao local do convívio. Que ninguém se perca...








 "HÁ AMIZADES QUE SE TORNAM ETERNAS, MESMO QUE AS CIRCUNSTÂNCIAS MUDEM OU OS SEUS CAMINHOS TOMEM OUTRO RUMO. E A NOSSA É UMA DESSAS"



Espero que todos percebam o que se pede no convite e que consigam entender o "rabisco" Mapa!

    Será escusado dizer, que espero pela malta toda. Não me deixem ficar mal! Um abraço, e fico á espera da vossa adesão:   SANTA                                                                                


terça-feira, 25 de abril de 2017

QUANDO O CORAÇÃO SOFRE

De Maria Irene Nunes, "Quando o coração sofre".

O coração é um membro muito frágil,
Controla-lo, não é coisa fácil,
Quando ele sofre a valer,
É digno de dó,
Mas prefere que o deixem só,
Para pensar sozinho, quanto custa sofrer...

O coração, é o pai da solidão,
Quando sofre, á sempre alguém, que lhe quer dar carinho,
Mas ele diz: Por favor, deixem-me ficar sozinho,
Quero chorar à minha vontade,
Viver por toda a eternidade,
Apenas, na companhia, desta grande paixão...

Quando o coração sofre, com a dor se alimenta,
E não se conforma, com os conselhos que lhe dão,
Aceita apenas, a sua opinião,
Quando no seu interior,
Só existe dor,
Ou vive assim, ou então rebenta.

Neste dia em que se comemora a liberdade, mando um abraço para todos. SANTA.



sábado, 22 de abril de 2017

LOCAL DO NOSSO CONVÍVIO

Para aguçar o apetite, aqui vão algumas imagens sobre o local onde vai ser o convívio da C.Cav. 2415. Desde já, deixo mais uma vez este recado: Venham os que puderem. Tragam a família como também podem trazer amigos vossos. Todos juntos, vamos reviver a nossa estadia em terras de África e continuar a cultivar as amizades que lá construímos. Vai ser um dia bem passado.









     Brevemente, vai sair no nosso blog e o envio para casa, da ordem de serviço para o dia 20 de Maio!

                                                                  Um abraço. SANTA.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

CONTINUAÇÃO DO DOMINGO DE PÁSCOA.

Aqui vão as últimas fotos...


                                           ALMOÇO COM A FAMÍLIA.


PAUSA PARA DIGESTÃO

                                                PAISAGEM DA SERRA

                                                   PRAÇA E IGREJA



MONUMENTO  AOS COMBATENTES DO ULTRAMAR.

Por hoje é tudo, um abraço. SANTA.

domingo, 16 de abril de 2017

DOMINGO DE PÁSCOA...

Aproveitando o lindo dia de Páscoa, com um sol a convidar o passeio, assim aconteceu. 
Vou colocar no nosso blog, algumas fotos tiradas no roteiro que fiz:


CASTELO DE MONTEMOR O VELHO


ENTRADA DO PORTO DA FIGUEIRA DA FOZ
A PERSONAGEM DA FOTO É O VIGIA!!!



UM VELEJADOR SAINDO DO PORTO DA F. DA FOZ
AO FUNDO O FAROL DE SANTA CATARINA


VOLTANDO PARA TRAZ, EIS PENACOVA.
 PENACOVA. VISTA SOBRE O RIO MONDEGO E PRAIA
FLUVIAL.



VISTA DA SERRA.

Claro, no fim foi o almoço com a família. (continua)

Esperando que todos tenham passado um bom Domingo de Páscoa, me despeço com um abraço.  SANTA

quarta-feira, 12 de abril de 2017

"PÁSCOA"

Quer queiramos ou não, ao falar da Páscoa, não se pode falar só de férias! Não faz sentido, falarmos sem associarmos o que se passa á volta da palavra Páscoa. Páscoa, é uma festividade Religiosa quer queiram ou não. Páscoa é uma festa religiosa em que se celebra a Ressurreição de Jesus. O que é certo, é que uma parte dos católicos sabem o que se passa nestes dias , só que outros valores se levantam e não fazem parte deles. Os não católicos (desculpem) bem: servem-se destes dias á boleia! Com isto tudo, eu respeito todos da mesma maneira. Respeito a maneira de ser e a opinião de cada um. Não podia pensar de outra forma. Espero também que respeitem a minha opinião.
Este tempo Pascal, deveria de ser um tempo de reflexão para muita coisa. Acabar com o ódio e as guerras. Acabar com a indiferença para quem sofre. Acabar com a morte infligida por ideias absurdas. Etc. Etc. Etc... Cultivar sim, a Paz o amor e amizade.Tantas vezes, que entre amigos, cuja amizade se julgava com bons alicerces e bem cimentada, com atos vividos e partilhados em comum ao longo dos anos, vemos de repente surgir ruturas. Ruturas que ganham espaço, para criar ódios, inveja e outras rivalidades.
Estamos num tempo, em que tudo já bem empacotado e com prazo de validade indicado! Como é possível existir nos tempos de hoje, um amor a prazo; de um Pai e uma Mãe a prazo; um amor filial a prazo e de uma amiga ou um amigo a prazo? Parece que o nosso planeta, persiste em viver em conflitos de toda a ordem. Basta ver os últimos meses. Como podemos acreditar num mundo melhor? Quando o homem nada faz para inverter os acontecimento terríveis que têm acontecido?
Não é com a guerra, nem com o ódio e o desprezo pelos outros, e não pensarmos que todos somos seres humanos, que se pode almejar a Paz.
O homem gosta de viver sob o espetro da guerra, ameaçando não só alguns, mas o aniquilamento de todos. Caminhamos irreversivelmente para a autodestruição.
No meio disto tudo, faço votos para que a minha frase anterior, não se concretize. 

Depois de tudo o que já escrevi, dirijo-me agora, a todos os meus companheiros da C. Cav.2415 e suas famílias, bem como para as famílias daqueles que já partiram, uma Santa Páscoa com muita saúde, Paz e amor, e muitas alegrias e que as amizades não se percam e o respeito seja fortificado. 

Estes votos, são também extensivos a todos os camaradas que andaram na guerra, bem como a todos aqueles que têm visitado o nosso blog.



           UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA PARA TODOS.

                                 Não comam muitas amêndoas. Têm muito açúcar...

                         COM UM GRANDE ABRAÇO PARA TODOS, SANTA.





segunda-feira, 10 de abril de 2017

A VOZ DO SILÊNCIO...

            "SOLIDÃO"

Com o silêncio eu moro,
Mas não é da minha vontade,
Se alguém descobrir que eu choro,
Saibam que é com saudade.

Compreendam-me: eu imploro
Eu não queria chorar,
Porque não quero ninguém magoar,
E muito menos, alguém por quem eu choro.

Eu, compreendo; querem ouvir-me falar,
Mas, apetece-me apenas chorar,
E pra longe, tenho que fugir,
Para que ninguém, me possa ouvir.

Eu medito, e às vezes a vida ignoro,
E eu pergunto:Onde está o meu eu?
Que não encontro, desapareceu...
Alguma coisa me falta,
Então, penso em voz alta,
Eu, já não sou eu;Já nem sei onde moro...

                                                 Maria Irene Nunes Pereira

                          UM ABRAÇO. SANTA

sexta-feira, 7 de abril de 2017

CUIDADO!...

Pensem bem...

    "INTERNET"

Cuidado com a internet
Veja lá, nas que se mete...
Arranjou noivo sem se ralar...
Mas, de uma coisa se esquece,
É que depois, mal o conhece,
E o casamento, pode fracassar...
----------------------------------------
Não brinque com a internet,
Veja lá, nas que se mete...
Não faça jogo, ás escondidas,
Se carrega mal nos botões...
Perde milhares de tostões,
E fica de orelhas torcidas!...
----------------------------------------
Se não tiver competência,
Não faça jogo de experiência,
Pelo menos peça ajuda,
Mantenha-se, sempre alerta,
Porque, se a jogada não dar certa...
Certa, lhe sai a taluda!!!...
----------------------------------------
Um dia, certo idoso,
Falou em público, queixoso,
Pedindo ajuda de alguém.
Ficou com a cabeça tonta,
Quando lhe apresentaram a conta,
Para pagar, o que não tem...
----------------------------------------
E coitado do homenzinho...
Lá ficou, a resmungar!
O que é que querem que eu faça?...
Se eu não tenho para pagar? !

                                        Mais uma vez: Irene Nunes Pereira



       Com amizade, um grande abraço e um bom fim de semana para todos. Para quem já está de férias umas boas férias!

                                                                            SANTA










domingo, 2 de abril de 2017

VERGONHA. ESQUECIDOS...

Nesta linda tarde de sol, puxei de uma cadeira e fui para o meu jardim ler um livro sobre a Guerra Colonial. De tantos livros que já li sobre este assunto, este foi só mais um. O cantar dos pássaros em diversas melodias, não me tiraram os diversos cenários de guerra que o livro continha.
 Tudo isto, me fez lembrar de muitas coisas que não podem ficar esquecidas. Nele, o livro, tinha algumas fotos sobre cemitérios onde repousam os restos mortais de muitos camaradas nossos. Claro. Para mim pessoalmente, é uma coisa que me revolta. Podem dizer que eu falo sempre na mesma coisa. Será? Falarei até que eu tenha voz para falar. Calar? Nunca. Jovens que foram obrigados para uma guerra inútil, sem qualquer razão, e que nela morreram e ainda por cima, a sua trasladação para cá, custava ás famílias (na altura) 11 mil escudos ou mais, o que naquele tempo, para muitos, era difícil de suportar. Acham que o dever era das famílias fazer aquilo que competia ao estado? Trazê-los para cá? E assim, o Movimento Cívico dos Antigos Combatentes, e muito bem, denunciou julgo eu em 2013, que 1750 combatentes mortos ficaram por lá em campas abandonadas, a maior parte delas vandalizadas. Isto, já para não falar daqueles que por cá andam nos sem abrigo! 
 Tudo isto vem por uma frase que li que diz o seguinte: "Não serão renegados os Heróis das Guerras do Ultramar." Afirmou a Comissão Coordenadora do Movimento das Forças Armadas, após o 25 de Abril de 1974. O que fizeram? Nada.
É triste, saber que há famílias que ainda hoje choram a morte deles. Famílias que gostavam de ter feito luto por eles. Saber que os seus restos mortais se encontram ao abandono (a maior parte) DÓI. Diz o Movimento Cívico Dos Antigos Combatentes (e muito bem): "É um dever patriótico dignificar os nossos mortos". "Foram muitos a partir e nem todos regressaram". E agora pergunto eu: PORQUÊ? Falta de dinheiro para transladar os restos mortais deles? Não me digam..., quando hoje damos conta de tanto dinheiro desviado sabe-se lá para onde e para quê. Para onde foi o dinheiro? Desapareceu? Não! Um diz que não foi, o outro diz também que não foi, fui eu? Claro. Para trazer para cá os restos mortais dos nossos camaradas é que não á dinheiro, pois ele faz falta para... Não digo mais nada.
 Alguns já regressaram, graças á Liga dos Combatentes. Daqui um bem haja para o seu desempenho nesta luta, mas com eles, deveriam ter estado (e estar), os governos deste país.Que fariam agora os políticos do nosso país se tivessem os filhos ou netos nesta situação? Sim. Que fariam? Só que as nossas tropas de hoje (e ainda bem), já não sofrem da mesma situação igual á que nós sofremos. Em conversa, já muitos me disseram: é pá, deixa lá isso. São ossos. Custa-me ouvir e ás vezes respondo com um tom um pouco ríspido.
Da minha parte, já lá vão 48 anos. Mas a memória raramente se esquece dos episódios de guerra. Todos nós que lá andamos, estamos todos na recta final das nossas vidas. Que pelo menos os nossos filhos e os nossos netos se lembrem de nós, quando deixarmos esta vida.


Esta foto é só para recordar um de muitos.

Para mim, tudo isto é uma vergonha nacional.

Sem mais por hoje. Do calor da tarde, ao frio da noite. Um grande abraço para todos vocês.

SANTA






quarta-feira, 29 de março de 2017

LEMBRAR...

Olá malta da 2415! Passo a lembrar que o nosso convívio está perto! É no próximo dia 20 de Maio no restaurante      "Os Patinhos" em Montemor O Velho. Comecem já a pensar em guardar este dia para o efeito. Se possível, contactem outros camaradas que possam estar esquecidos para que venham.
*****************************************************************************************

"MEDITAÇÃO" LÁGRIMA

A lágrima sai, e corre sem parar,
Ela pede, que a deixem correr,
Porque há qualquer coisa, que ela quer dizer,
Mas em segredo, não pode falar.
,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
A lágrima, é uma gota de água, transparente,
Corre pela face, por vezes, apressadamente,
Alguém tenta, fazê-la parar,
Mas não pode, ela corre, para o coração aliviar.
,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
A lágrima, é uma gota de água misteriosa,
É um pingo de chuva, caído num botão de rosa,
Pode formar-se, e cair em qualquer momento,
A lágrima, é o testemunho, de algum sofrimento.
,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
A lágrima, é uma fonte, em todos os rostos,
Rebenta, em qualquer estação,
Não tem Inverno, nem Verão,
E, ou corre por alegrias, ou por desgostos..      
                     ,,,,,,,,,,,,,
                  
                                                  Maria Irene N. Pereira Lopes
                                                                     ,,,,,,,,,,,,

Hoje sim. Neste lindo dia de sol, me despeço de todos com um grande abraço.

                                                                SANTA

Hoje

segunda-feira, 27 de março de 2017

Dream team



Apresento a equipa de futebol de sonho do Niassa, época 1969. Tratava-se duma selecção composta pelos "melhores players" de todos os pelotões que compunham a CCav.2415.
Neste jogo disputado no nosso estádio em Lione mais precisamente em Fevereiro de 1969 recebemos a visita da equipa, não tenho certeza se da Companhia que estava em Massangulo ou  se uma outra do Batalhão do Catur; uma destas foi com certeza. Também já não me recordo do resultado. Será que ainda há alguém que saiba?
Quanto aos nossos craques podem ver-se o Rações (guarda-redes), Castro, Lisboa, Sintra, Cabrita, Vale, fur-enf., e ainda o Matias e o 1001. Que me perdoem aqueles de que já não lembro.
Para avivar as memórias recordo que os equipamentos tinham listas horizontais de cor roxa e calções pretos que o MNF fez o favor de nos oferecer.
E já agora veja-se a qualidade do terreno, lá durinho era e deixava marcas quando alguém ia ao chão!

Num aparte, hoje fico todo arrepiado ao pensar naquela atitude irresponsável de um punhado de loucos, com a maior das calmas, fazerem-se à picada tão perigosa pelas minas e emboscadas, em duas "berliets" , únicamente pelo prazer da confraternização e dar uns pontapés na bola de "catchum" e, para isso, terem  de passar pela famosa zona do Caracol, aliás, local bem nosso conhecido pois lá tombaram dois dos nossos, o fur. Santos  e o sarg. Carvalhinho.
Não me canso de continuar a fazer as mesmas perguntas e também a não conseguir  obter respostas: "Que guerra era aquela?" "Que mentalidade bloqueada era a nossa que fazia com que desprezássemos a própria vida?"
Pois é; no fim vou sempre parar à simplificação das coisas: Quem teve sorte safou-se, quem não teve acabou por fazer a sua contribuição para a crueza dos números:

                                                 9 000 mortos
                                               30 000 feridos
                                              14 000  deficientes físicos 
                                            120 000  neuróticos de guerra
Para mim é assunto que, até ao meu fim, vai continuar sempre na ordem do dia. É sério e grave demais para relativizar. 
                                                

sexta-feira, 24 de março de 2017

MAIS UMA VEZ: PORQUÊ?

Porquê? Pergunto eu! Porque é, que tu mundo, enveredas por este caminho de terror? Já estou cansado de fazer esta pergunta e ainda não obtive qualquer resposta válida. Não há dia nenhum que a televisão não entre casa dentro e nos brinde com notícias que nos chocam. Já não bastavam os políticos, agora tem sido o terror dos atentados e os assassinatos em série...
Que se passa contigo "MUNDO" que tinhas tudo para seres feliz, e nos fazer felizes a todos que em ti habitamos? Sei que não tens explicação porque nem tu sabes! Quem sou eu para te mudar? Mas poderei perguntar-te se tu sabes o que é o "AMOR" o que é viver em paz e igualdade como teus filhos que somos. Porque nos tratas assim? Pensa e vez que estás errado. Ainda estás a tempo de mudar. Para quê tanto sangue derramado, vidas tiradas e famílias destroçadas? Será que me podes responder? Se calhar não... Todavia, e sendo assim, é necessário que sejamos lúcidos, conscientes que o mundo que habitamos está longe de ser o quadro ideal para que possamos viver em paz com a hostilidade que ele nos dá. O homem vive e age em termos de poder, riqueza e força e outras coisas estranhas. O homem gosta de viver sob o espectro de guerra aniquilando tudo e todos. Era tão simples, inverter esta caminhada de moribundos que se cercam da morte, se eles a transformassem em VIDA. De contrário, o que será desta bolinha que habitamos?
  Isto é mais um desabafo de quem gosta de viver a vida e a tem como o bem mais precioso. Era bom que todos pensassem assim.


      
       Com um grande abraço me despeço de todos, esperando que o tempo aqueça mais um pouquinho, pois por aqui está muito frio!
           
                                                                SANTA

quarta-feira, 22 de março de 2017

MUNDO DESCONHECIDO...

Mundo, já ninguém te conhece?

Eu tento lembrar-me de ti,
Mas, se me lembrei, já te esqueci,
E quero voltar a recordar-te, mas não consigo.
...............................................
Já não sabes de ti, propriamente,
Já nem sabes, em que ano nasceste,
Nem quais os caminhos, que já percorresse,
E menos ainda, o caminho certo, para seguires em frente.
..................................................
A tua forma de ser, provoca algum nervosismo,
Em certo aspecto, tu sabes demais,
Mas por vezes, perdes-te na linha, e ficas sem saber onde vais,
Quando te aperceber, estás caído num abismo.
..................................................
Tu tens amor ao próximo, mas muito baralhado,
Nem sequer, dá para se compreender,
Porque às vezes, trocas o caminho, que devia percorrer,
E nem te aperceber, que enveredaste por um caminho errado...
...................................................
As tuas ideias, resolveram mudar de sítio,
Ficaste virado, com cabeça para os pés,
Às vezes, queres disfarçar-te, e pássaros por aquilo que não és,
Fazendo uma ultrapassagem, que te faz cair num precipício.
.....................................................
Muitos dos teus homens, estão a brincar às escondidas,
São procurados, mas pela polícia,
Desculpam-se, que no seu comportamento, não há malícia,
Mas esquecem-se, que o seu gozo, deixou as vítimas feridas.
.......................................................
Tudo o que é mal feito, está na moda,
A triste criminalidade, avança,
Faz-se aquilo que dá na Gana, à pobre criança,
E até se envenena, a sopa da sogra!...
.........................................................

Mais uma poesia da nossa já conhecida, Maria Irene  Nunes.
Está poesia, até se pode enquadrar um pouco nos tempos de hoje. Depois das imagens que acabei de ver na televisão sobre o que aconteceu em Londres, bem pode dizer-se "que o mundo está virado, com a cabeça para os pés".

                      Para todos, um abraço. SANTA.
 

domingo, 19 de março de 2017

A IDADE CONTA...

Pois é. A idade, é uma coisa que em nós avança sem que possamos fazer alguma coisa. É sobre a idade, ou por outra, a velhice, que eu hoje escolhi este poema da nossa já conhecida Maria Irene com o titulo: "VELHICE IMPACIENTE."

A velhice, chega impaciente,
Porque em cada dia, se acha diferente,
A idade, avança, e chegam as confusões,
Porque a velhice, não quer contradições.

Se alguém contrariar a velhice,
Já sabe que vai ter chatice,
Se é jovem, cuidado! Que com a velhice se encontra,
Não diga nada, senão, mais tarde dá bronca.

Com a velhice, tudo vai fraquejando,
O ouvido, vai deixando de ouvir,
As forças, começam a cair,
E o fim, vai se aproximando.

O que é a velhice?

Velhice, é o sinal da saudade,
Que fica marcado, ao distanciar-se, da sua mocidade,
E cada vez, acha mais longa, a sua existência,
Até ao ponto de pensar, que viver, é uma penitência.

                                                         De Maria Irene Pereira Lopes


      Neste fim de dia, cinzento e frio, daqui mando um abraço para todos.

                                               SANTA



quinta-feira, 16 de março de 2017

O ZUMBIR DAS ABELHAS...

O zunbir das abelhas é mais um poema de Maria Irene Pereira Lopes.

As abelhas, esses valiosos insetos,
Que são tratados, por alguns homens, com muitos afectos,
Dão o doce mel, para o delicioso xarope,
Mas, as suas amargas picadas, fazem alguém , andar a galope.

Quando o seu zumbir, apresenta uma voz esganiçada,
É sinal que temos de nos prevenir,
E o melhor que podemos fazer, é fugir,
Quando não, já sabemos que levamos picada...

A sua morada, em tradição antiga, é feita de cortiça
O seu telhado, é seguro com pregos de madeira,
Que foram feitos no inverno, ao serão, ao calor da fogueira.

As abelhas, deliciam-se, com perfume das flores,
Carregando nas patas, o seu suco de cores,
Andam quilómetros e quilómetros, a voar,
Para esse ingrediente, no seu celeiro ir colocar.

Quando a sua casa, ficar mesmo cheia,
Então, terão que sair, para fora da colmeia,
Formam um grupo, e toca a voar,
Combinam-se todas, e um enxame vão formar,
E ficam à disposição, de quem as quer apanhar,
Mas, com a intenção, de uma picada lhe dar...




Até á próxima. Um abraço
SANTA







domingo, 12 de março de 2017

A GUERRA AINDA NÃO ACABOU...

Algum tempo atrás, escrevi um artigo no nosso blog com titulo: " A guerra ainda não acabou! " Pois é. Muita gente pensa o contrário. Ela acabou. Passou á história. Mas não é tão fácil assim, ela desaparecer da vida de quem combateu, daqueles que ficaram deficientes para toda a vida, daqueles que viram diante dos seus olhos camaradas morrerem e outras situações horríveis. Como esquecer? É impossível. A guerra só acabará, quando morrer o último combatente. Mesmo assim, aquelas que ficaram viúvas e as que vão ficar não a esquecerão. A memória não pode ser tão curta. Aquelas mães,esposas, noivas e namoradas que nunca mais os voltaram a ver para fazer luto, que ficaram lá enterrados de qualquer maneira, já esqueceram?
Tudo isto, bem a propósito, do nosso camarada António Calvinho (que tão bem conhecem do nosso blog pelas poesias de guerra) ter á poucos dias sido amputado de uma perna devido ainda aos ferimentos de guerra. Para quem não sabe, ele foi ferido pelo rebentamento de uma mina incendiária (de fósforo) tendo sofrido graves ferimentos no corpo principalmente nos membros inferiores. Ao seu lado, morreu o capitão Valente. Tudo isto, perto de Metangula (Niassa). Como Alferes, foi comandado por Ramalho Eanes (então Capitão) É aqui que o cenário do texto muda. Ramalho Eanes não se esqueceu do homem que esteve sob o seu comando e foi visitá-lo ao Lar Militar  visitando ainda todos aqueles que lá se encontram.
Obrigado Senhor General Ramalho Eanes. Homem como o senhor, hoje, existem poucos.Obrigado por estar sempre desde a primeira hora ao lado de quem combateu e ao lado daqueles que ficaram deficientes. E aqui, a A.D.F.A está-lhe grato por tudo que tem feito. Devia ser um exemplo a seguir por outros!
O nosso blog, não podia ficar indiferente ao sucedido. Daqui, os camaradas da Companhia de Cavalaria 2415, que esteve também em Moçambique no Niassa, lhe prestam esta homenagem dizendo: Obrigado Sr. General Ramalho Eanes por estar sempre ao lado de todos aqueles que sofreram na pele uma guerra injusta. A SOLIDARIEDADE E A AMIZADE são duas coisas que muita gente não entende, mas bem hajam aqueles que a ainda a cultivam e não as deixam morrer.
 Daqui do nosso blog, camarada Calvinho, tu que lutaste tanto para que hoje exista a A.D.F.A.todos nós te enviamos um grande abraço e com os votos sinceros de rápidas melhores.

      

Alguém disse:

"OS VERDADEIRO AMIGOS
NOS FAZEM SENTIR QUE NÃO
IMPORTA O PROBLEMA QUE
TENHAMOS QUE ENFRENTAR,
ELES SEMPRE ESTARÃO AO NOSSO LADO."


Daqui, mando um grande abraço para todos. SANTA.

sexta-feira, 10 de março de 2017

DESTAQUE...

É mesmo em destaque.
Ao nosso camarada e amigo Alferes Magalhães, os camaradas da 2415, desejam-te as rápidas melhores e que o pior já tenha passado. Esperamos todos por ti em Maio para comer o apetitoso Leitão.
                
      UM GRANDE ABRAÇO DE TODOS E AS MELHORAS RÁPIDAS
=====================================================

quarta-feira, 8 de março de 2017

Madagascar no N/M "Pátria"


Numa destas ultimas tardes invernosas de domingo estava eu com o meu filhote ao colo a ver na Tv um filme animado chamado "Madagascar". Para os que não sabem do que se trata, a imagem acima logo identifica o assunto mas, ao fim e ao cabo, é sobre as gozadas aventuras daqueles quatro animaizinhos com predominância para a simpática zebra.
Acontece que, enquanto olhava as divertidas imagens saltou-me à memória uma "aventura" também com zebras e acontecida durante a nossa estadia/regresso de Moçambique.

Em Nov.69 estávamos nós em Tenente Valadim e era hábito do Batalhão contratar caçadores nativos da aldeia a quem compravam os animais que abatiam, aliás, de boa qualidade de carne, para matar a fome ao pessoal. Lamentávelmente essa qualidade era desperdiçada pelos "Chefs" aquando da sua confecção. Mas o que importava, acima de tudo, era o estômago aconchegado! (Prometo ainda um dia aqui contar algo semelhante sobre a melhor maneira de tratar a arte da culinária pelos nossos "profissionais" em Lione).

Um dia os ditos caçadores vieram fornecer ao Batalhão um boi-cavalo (como lhe chamavam) e duas zebras. Logo ali, no átrio em frente à cozinha, as desmancharam sem desperdício das peles.
Abeirei-me deles para as comprar ao que acederam de bom grado, pois não era hábito ninguém se interessar por peles mas sim por carne.
Pedi-lhes para as limparem e secarem o melhor possível, pois tinham como missão seguirem viagem quando chegasse a hora. Assim o fizeram e, após algum tempo entregaram-mas, no seu entender, em bom estado de conservação, já enroladas e atadas para a prometida viagem transatlântica que se avizinhava.


(Uma das "zebras" durante a secagem na aldeia em Tenente Valadim. Fazia parte do sonho de quase todos nós que era "sonhar" com a decoração a dois, após o regresso,  da futura casa dos sonhos).





(Aqui as "zebras" já enroladas e atadas com o Cabrita sentado em cima e o falecido Fuzeta logo atrás. Ao lado, protegido pela G3 (a FBP já era!) a minha pessoa, com aspecto cansado. Que me perdoe o soldado de Cavalaria mais atrás por já não lembrar o seu nome. E, ao fundo à direita, na pose habitual de mãos à cintura, o falecido Conde (amanuense) junto do chefe do Moreira do GRC-9, o Sr. Afonso, limpando as unhas!
Foi em Fev.70 na estação de Nova Guarda, enquanto esperávamos o comboio para Nampula. O destino seria o "resort" de António Enes).

Entretanto, estabeleceu-se uma confusão por causa da data do regresso, um dia era o Niassa noutro dia logo se vê. O atrazo, quanto a mim, tinha a ver com a falta de barcos uma vez que aquele que estava destinado a levar-nos de volta teve uma avaria, e daí a oferta de última hora do "resort" por mais alguns  poucos meses.

Enquanto isso, as "zebras" enroladas continuavam expostas também ao sol de Angoche (A.Enes) e, nessa altura, detectei um odor algo desagradável que exalavam, mas logo virei costas ao problema. A vida bem gozada na cidade não deixava tempo para preocupações.

Por fim chegou o tão ansiado dia do regresso e logo dei prioridade ao dito rolo. Dentro do "Patria" as instalações que me calharam em sorte foi na parte mais funda do porão, quase dentro do duplo-fundo. Como quase todos conhecemos, era um enorme espaço com beliches de madeira virados para todos os lados.
Acondicionei a "carga" o melhor possível debaixo dum beliche e fiz-me ao mar, tentando distrair-me, vez em quando, com uma "lerpa" jogada em cima de caixotes de boa madeira (digo eu, agora, se calhar "sucupira" ou outra), compridos e rectangulares, que a malta ia buscar num canto onde estavam amontoados e que também serviam para nos sentarmos.
Mais tarde, já após a chegada, constou-me que dentro desses caixotes vinham as urnas com os corpos daqueles que tinham falecido durante a missão.
Se sim ou não, ainda hoje não tenho certeza, mas que até faz muito sentido, lá isso faz!

Ao dobrarmos o Cabo das Tormentas, saindo do Indico para entrar no Atlântico, com Capetown à vista, lembro-me que o barco foi bastante fustigado com o mau tempo obrigando-o a adornar a EB e BB, forte e feio.
E, foi isso, que logo pôs a malta quase toda a "gritar pelo gregório". Quem habitava nos fundos, nem tempo tinha para chegar ao varandim do 1º convés, logo ali despejava tudo o que tinha e o que não tinha!

Entretanto, a viagem seguia já com uns poucos de dias e o cheiro das "zebras" enroladas debaixo do beliche tornou-se muito desagradável e, fosse ou não, porque os estômagos e narizes da malta ficou mais sensível por causa dos enjôos sofridos, o que sei é que os meus "vizinhos" (já não sei quem eram) fizeram-me um ultimato:  Tens de tirar esta merda daqui, pois isto deita um fedor que tresanda.
Ainda resisti durante algum tempo, explicando-lhes o inexplicável, enquanto pensava na melhor forma de resolver o assunto.
Se, por acaso, já estivéssemos com o Forte de S.Julião da Barra à vista, acho que ainda aguentava mas, assim, com o horizonte alfacinha ainda tão longínquo, não me ocorria nenhuma solução a contento.
Mas, acontece, que nem me deram tempo para os acalmar, logo arrastaram o rolo debaixo do beliche e o cheiro, acreditem ainda me lembro, era mesmo insuportável.
Acho que com a ajuda de alguém, só podia ser, continuo a não me lembrar de quem, lá conseguimos subir até ao convés com as duas "zebras" mal cheirosas às costas. E, sem solução, nem sequer me interessei por ver os seus estados de saúde.
Despedi-me delas e, com um funeral digno, foram atiradas ao oceano!

Como qualquer história (esta sendo verídica)  também tem uma moral: "Os inteligentes são algo estúpidos!






HOJE DIA DA MULHER...

Pois é. Hoje dia da mulher, o nosso blog não podia ficar indiferente àquelas que nos têm aturado este tempo todo. Nada melhor que publicar no nosso blog, um artigo que veio no nosso jornal "O ELO" da autoria dos nossos camaradas José Diniz e Rafael Vicente. É uma maneira do nosso blog também lhes prestar homenagem.





Para todas as mulheres, um grande beijinho da malta da 2415. SANTA.

domingo, 5 de março de 2017

INSTRUÇÃO TOTAL...

A criança ao nascer,
Começa logo aprender,
A palavra pequenina,
Começa por pai e mãe,
Pelos avós também,
E a seguir pela madrinha.
...........................................
Ao dar os primeiros passos,
Aí, começam os fracassos,
Sem equilíbrio cai ao chão,
Mais alguns meses passados,
E mais uns passos mal dados,
E já sai um palavrão...
..................................................
Quando entra na escola primária,
Sua tarefa diária,
Já tem a instrução total,
Aí, começa aprender,
Tudo o que ouve dizer,
Seja bem, ou seja mal.
............................................
Em certa fase do ensino,
Ou seja menina ou menino,
O que lhe ensinarem, aceita,
E como coisa natural,
Recebe a instrução total,
Até, de como foi feita...
............................................
E ao fim de alguns anos de estudo,
Está preparada em tudo,
Para o que lhe apetece fazer,
Só não lhe foi ensinado,
Que pode ter como resultado,
Uma vida para sofrer...
          ...........,...
    Hoje, num domingo chuvoso, mal encarado, eu me despeço que o dia de amanhã venha mais bonito que o de hoje. Um abraço para todos.SANTA.

quinta-feira, 2 de março de 2017

QUANDO OS PASSARINHOS CANTAM...

Quando os passarinhos cantam, eu choro,
Mas que não se zanguem comigo, porque eu os adoro,
A sua voz, ao cair da noite, faz-me lembrar alguém que já não existe,
Por isso o seu cantar, me deixa ainda mais triste,

Quando ouço o som da sua voz, sair do meio do deserto,
Mantenho o silêncio, para sentir tudo mais de perto,
Então, novo no passarinho, uma voz enternecida,
Pensando talvez, por quem vai ser ouvida?
Será por alguém, que se considera um passarinho perdido,
Ou será por alguém, para que a vida já não faz sentido?

Será talvez, um passarinho, que eu penso que canta, e ele chora,
Procurando o filhinho, que saiu do ninho, e foi embora,
Cheio de mágoa, procura no deserto,
E aí, larga a sua voz, mas a solidão, cada vez está mais perto...

                                                          Maria Irene Nunes Pereira Lopes

           (Continua)
                                             Um abraço. SANTA.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

ACHADO...

Andando eu a remexer numas caixas que tinha guardado numa dispensa, encontrei um livro de poemas que sinceramente não me recordo como me veio parar ás mãos! O titulo do livro é: Manta de Retalhos ...com...de tudo um pouco. Mas, o engraçado, é que nunca o li, mas agora vejo que tem poesias engraçadas e com certeza, desconhecida de muitas pessoas. Julgo eu! Sendo assim, vou transcever algumas para o nosso blog.

Então aqui vai. "SARDINHA À MODA ANTIGA"

Comprava-se a sardinha,
Guardava-se no armário.
Num prato ou numa escudela,
Era o sustento diário,
Mas a última, era comida,
Quando já era amarela...

Comia-se sardinha boa,
Quando se comprava na feira,
Assada e comida com broa,
Era sardinha à maneira.

Enquanto feira não havia,
Ia-se comprando à porta,
Às vezes só Deus sabia,
Quanto tempo, tinha de morta!...

O peixeiro era inteligente,
Lavava bem, a sardinha,
Para poder dizer ao cliente,
Que ela era fresquinha...

Mesmo assim ninguém dizia:
Esta sardinha não presta!!...
Com a fome que havia,
Aquilo, era uma festa...

Mas, onde havia garotada,
Aí o caso era feio,
A sardinha não chegava,
Era partida ao meio.

Então aí, é que era a confusão,
Todos queriam o rabo, a cabeça é que não.....
E aqueles que faziam gato-sapato,
Não comiam nada...
E a cabeça ia pró gato!!...

                                          Quem é a autora? Maria Irene Nunes Pereira Lopes.

  Para a próxima, irão ler outras poesias dela, bem engraçadas.

    Espero que se divirtam no Carnaval. Para todos um grande abraço.

                                             SANTA






quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O VINHO...

O vinho, que toda a gente conhece, parecendo que não, é uma bebida saudável desde que seja bebida com moderação. Sendo assim, aqui vai outra poesia do nosso amigo Carlos Silva em que fala do dito...

" O VINHO QUER É MÚSICA"

Se o vinho não fosse importante
   Não tinha zona marcada
  Ai o verde de Amarante
Só quer leitão da bairrada

Ó vinhas que eu caminhei
    Da sepa até ao lagar
Que vos fizeram não sei
Nem uma para recordar

O vinho aqui de Leiria
  É história de tradição
Tão bem que me conhecia
 Pregou comigo no chão

  Fui baptizado com água
Bem podia ser com vinho
Quem não afoga essa mágoa
 É o senhor meu padrinho

Aprendi com a vinha bem cedo
  A tratá-la sempre com amor
Por isso o vinho que eu bebo
  Às vezes me sabe a suor

  Bebe-se vinho nos mares
   E nas tascas de Lisboa
Também agora nos bares
 Assim é que a vida é boa

   As sardinhas em Lisboa
   Pelos Santos Populares
Nem Santo António perdoa
Se com vinho as não regares

   Ó Évora terra bela
D`adega Cartuxa saíste
Ficaram os frades com ela
e a gente aqui que se lixe

Amigos tudo o que eu quero
 Aqui juntinho ao Degebe
  É dar ao pé no Bolero
E mais um copo que se bebe.

                                          CARLOS SILA



          Já agora: A vida é como o vinho: se a quisermos saborear bem, não devemos bebê-la até á última gota.

                              "George Lord Byron"

E é assim. Mais um poema do nosso amigo da 2415, passado para o blog no dia da "Poeirada"que nos aborreceu quase o dia todo! São coisas...

                 Um abraço para todos e um bom Carnaval (para quem gosta)!!!
                                                          
                                                       SANTA


domingo, 19 de fevereiro de 2017

REBUSCANDO CARLOS SILVA...

Sim. Rebuscando mais alguma poesia do nosso camarada Carlos Silva.

" A CANÇÃO QUE TE DESCREVE"

A canção que te descreve
Fui eu que a inventei
A sorte nada me deve
Vida em ti encontrei

Tenho beijos a voar
Da minha boca para a tua
Em teus lábios irão pousar
Assim que saias à rua

São tantos os meus desejos
Que dão pra ter e para dar
Pra mim corressem teus beijos
Como os rios correm pró mar

Meus dedos entrelaçados
Nos teus cabelos a deslizar
Os meus olhos fixados
No brilho do teu olhar

Inspirado no teu sorriso
Um romance comecei
Do acabar o que preciso 
É de ser amado como eu te amei.

                                              CARLOS SILVA
  (continua)

Hoje neste dia bonito, (Domingo) ao sol estou. Agora parecendo que ele se está para ir embora, também do blog me vou.
   
                                                       Despeço-me por hoje com um abraço. SANTA.

                                               

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

CURIOSIDADES...

Estando eu no Centro Cirúrgico de Coimbra, li numa revista algo que vou partilhar com todos no nosso blog...

Aqui vai...

   "VOCÊS RIEM DE MIM
POR EU SER DIFERENTE,
     E EU RIO DE VOCÊS
POR SEREM TODOS IGUAIS"

                      Bob  Marley

"OS VALORES SÃO COMO
AS IMPRESSÕES DIGITAIS.
NINGUÉM TEM OS MESMOS
MAS DEIXAMO - LOS EM TUDO
       QUE FAZEMOS".
     
                    Elvis Presley

   "DEIXÁMOS DE ESCUTAR
AS VOZES QUE SÃO DIFERENTES,
OS SILÊNCIOS QUE SÃO DIVERSOS".

                       Mia Couto

É AQUILO QUE FAZEMOS DO QUE TEMOS
       E NÃO O QUE NOS FOI DADO
QUE DISTINGUE UMA PESSOA DA OUTRA.

                                Nelson Mandela

                         "Tenho dias.
Tenho dias em que acredito que o comportamento dos homens,
                             um por um,
                         Vai - se modificar
             mas tenho outros dias em que vejo que o homem
             está caminhando inevitavelmente para o seu fim
                           e que tudo isto,
             se tiver alguma interpretação futura,
poderíamos dizer que este bocado do universo a quem chamam terra,
                             foi habitada por homens,
alguns dos quais viveram uma relação estrita com um homem que era Deus,
                mas, porque não tirou aos homens a liberdade,
                                está a assistir agora à sua destruição".

                                      António Alçada Baptista

                Hoje, por aqui me fico. Um abraço. SANTA

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

PARA MEDITAR...

Um colega meu, escreveu este pequeno artigo para o nosso jornal "O ELO" que é o jornal da nossa associação, e que eu passo a partilhar com todos:


Para todos um abraço. SANTA.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Ida a Moçambique

Estas quadras são da autoria do nosso amigo Choné, mais  um dos grandes poetas que pertenceu, ou melhor, pertence à nossa Companhia.
Foi durante o almoço anual em Coimbra, Maio de 2010, que me entregou o manuscrito com as mesmas pedindo-me  para editá-las no blog.
Só que, e há sempre um "só que", este vosso amigo nunca mais se lembrou do pedido, mas guardou-o no baú da tropa.
Hoje mesmo, enquanto lá remexia, dei com o papelinho e aqui estou a penitenciar-me de tão grande lapso.
Peço-te perdão, amigo Choné. mas mais vale tarde que nunca. E, passados seis anos, vê-se bem que continuas actualizadissimo. Um grande abraço para ti.
 
Então é assim:
 
Ida a Moçambique 
 
Parti um dia                                   Que maus momentos
pró ultramar                                   tantas torturas
cabeça fria                                     tantos tormentos
só de pensar.                                e mais loucuras. 
 
No meu regresso                          Nessa experiência
mas bem depressa                       que por mim passou
porque o progresso                     minha inocência
não ia nessa.                                 bem me marcou.
 
Só Portugal                                   O que bem sei
queria a razão                               da minha sorte      
para uma guerra                           é que fiquei 
sem solução.                                 muito mais forte.
 
Autor: Avelino Torcato Pereira                                      

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

AS ÚLTIMAS DO NOSSO AMIGO MOREIRA...

É mesmo assim. As últimas...


Acho que as fotos não precisam de legendas. A primeira mostra o antes e as outras o depois...!

SANTA. Um abraço para todos.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

RECORDANDO. CONTINUAÇÃO...

Continuando a recordar, mais 3 fotos do nosso amigo Moreira.


A primeira, mostra um momento de descontração. A segunda, o nosso amigo Moreira tomando banho numa das mais modernas casas de banho! Reparem no chuveiro! A terceira, está ele com uma das nossas mascotes.

Um abraço. SANTA.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

EDITORIAL...

Achei interessante o Editorial do nosso Jornal " O ELO" 1ª edição de 2017. Dendo assim, achei por bem, publicá-lo no nosso blog.



Com um abraço, Santa.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

ÉVORA...

ÉVORA - MURALHAS A DENTRO

Mais um poema do amigo Carlos Silva...

As tuas belas cantigas
Que as raparigas
A voz lhe dão
Cantando ceifam espigas
Cigarras formigas
Que lindas são

Searas ao vento onduladas
P'lo sol douradas
Se perdem de vista
De papoilas salpicadas
Ao molho atadas
Nobre conquista

Évora terra bela
Loiros à janela
De glória e fama
Tem os ossos na capela
Orgulhoso com ela
O Templo de Diana

Planície de verdes prados
Extensos montados
Sobro e azinho
Solares abrazonados
Campos semeados
De pão e vinho

Os teus museus e mirantes
Recebem visitantes
Com amizade
Nomes ilustres sonantes
Toda a humanidade

As tuas pedras lavradas
À mão trabalhadas
Com arte esculpidas
Decoram velhas arcadas
Em estátuas armadas
De branco vestidas

Desde as portas d' Aviz
Largo do Xafariz
Giraldo ao centro
Deus pra te ver feliz
Quis a Sé e a Matriz
Muralhas a dentro

Princesa do Alentejo
Doce desejo
Tudo és para mim
Sou quem te quer bem
Me perdoe a minha mãe
Se não a amei assim.

                Isto, é Carlos Silva e a sua veia poética!

  Para a próxima, vai um poema que se chama a " A PROCISSÃO" que também, tem o seu quê de interessante!

                      Por hoje é tudo. Um abraço para todos. Atenção ao frio!

                                                     SANTA

,