sexta-feira, 6 de julho de 2018

É VERDADE...

Olá amigo Artur! Sejas bem vindo. Claro que à uma verdade em tudo o que dizes no teu texto. Já algumas vezes me manifestei com respeito ao esquecimento de todos os que combateram na Guerra do Ultramar. Neste caso, e ao que te referes no teu texto, parece tudo estranho mas não é. Não tenho nada contra os camaradas que combateram na grande guerra, antes pelo contrário. Foram heróis no seu tempo como nós fomos no nosso tempo. Mas muita gente já se esqueceu, que também esses heróis foram esquecidos na altura. Alguns chegaram a mendigar pelas ruas. Agora que já todos desapareceram, lembram-se deles! Um dia que já não haja nenhum de nós talvez aconteça a mesma coisa! Sempre disse e volto a dizer: é uma vergonha para o Estado Português nada fazer para trazer aqueles que estão sepultados naqueles cemitérios se é que alguns são cemitérios, e que tudo deram pela nossa Pátria e a pátria hoje nem um lugar no seu solo lhe dá. O Estado Português, tem obrigação de ajudar monetariamente as famílias que querem trazer para cá os seus ante queridos. mas nem isso fazem. O folclore é muito bonito mas é para quem o dança! Já é sabido amigo Artur, que sempre nos tentaram esconder. Já nos tempos da outra senhora (e tu sabes bem) os mortos vinham (aqueles que vinham) pela calada da noite bem como os feridos de guerra para ninguém ver, hoje calam as vozes, não falam de nós, para ficar-mos esquecidos no tempo como nada tivesse acontecido. Fazem-se homenagens aos que combateram e morreram na Grande Guerra. Mais que justo e a nossa história não os pode esquecer. Mas, a nossa história também não pode esquecer os que combateram e morreram na Guerra do Ultramar. Uma e outra complementam-se no tempo. Diferentes, mas foram guerras. E então, sendo assim, eu pergunto: Para quando uma homenagem a nível Nacional aos combatentes da Guerra do Ultramar? Já ouvi algum tempo, algumas palavras do nosso Presidente da República sobre este assunto. Espero que não fique esquecido. Grande Guerra, Guerra do Ultramar, foram todos combatentes e filhos desta Pátria que é Portugal. Senhores Governantes, não queiram fazer ver que nada se passou. São muitas as testemunhas ainda vivas e sofrem os horrores de uma guerra mais que injusta, e só isto, já dá para que não nos ponham no rol do esquecimento.


    Com um grande abraço para ti, amigo Artur. Para todos em geral, também um grande abraço.

                                                                      SANTA

Sem comentários:

Enviar um comentário