quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

ÉVORA...

ÉVORA - MURALHAS A DENTRO

Mais um poema do amigo Carlos Silva...

As tuas belas cantigas
Que as raparigas
A voz lhe dão
Cantando ceifam espigas
Cigarras formigas
Que lindas são

Searas ao vento onduladas
P'lo sol douradas
Se perdem de vista
De papoilas salpicadas
Ao molho atadas
Nobre conquista

Évora terra bela
Loiros à janela
De glória e fama
Tem os ossos na capela
Orgulhoso com ela
O Templo de Diana

Planície de verdes prados
Extensos montados
Sobro e azinho
Solares abrazonados
Campos semeados
De pão e vinho

Os teus museus e mirantes
Recebem visitantes
Com amizade
Nomes ilustres sonantes
Toda a humanidade

As tuas pedras lavradas
À mão trabalhadas
Com arte esculpidas
Decoram velhas arcadas
Em estátuas armadas
De branco vestidas

Desde as portas d' Aviz
Largo do Xafariz
Giraldo ao centro
Deus pra te ver feliz
Quis a Sé e a Matriz
Muralhas a dentro

Princesa do Alentejo
Doce desejo
Tudo és para mim
Sou quem te quer bem
Me perdoe a minha mãe
Se não a amei assim.

                Isto, é Carlos Silva e a sua veia poética!

  Para a próxima, vai um poema que se chama a " A PROCISSÃO" que também, tem o seu quê de interessante!

                      Por hoje é tudo. Um abraço para todos. Atenção ao frio!

                                                     SANTA

,

Sem comentários:

Enviar um comentário