sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

NOVAMENTE OS QUATRO...

Ora aqui vai como prometido o resto das fotos...











Estas 10 fotos, fazem parte do memorial da guerra. Isto é: Desde o embarque até á chegada e por último, dos que infelizmente perderam a vida. Este memorial, encontra-se por trás do monumento que já fez parte do texto anterior. Como podem verificar, este memorial foi todo pintado em azulejo.



Estação da Trofa. Aqui, já era a partida (falta o Artur que foi o fotógrafo) e até para o ANO!

Um abraço e um bom fim de semana para todos.

SANTA

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

MAIS UM RETALHO...

Mais um retalho da " Manta de Retalhos" de M. Irene Nunes.

"COIMBRA
        ...
Coimbra, tu és uma cidade, muito antiga,
Mas preparas muitos estudantes, para a vida,
Dentro de ti, se formam muitos Doutores,
Dentro de ti, se sofrem muitas dores,
Dentro de ti, se curam muitas feridas,
Dentro de ti, se libertam muitos mais,
Há em ti, desilusão para muitos países,
Dentro de ti, termina a vida de pessoas queridas,
Dentro de ti, se estampa nos olhos, dor e saudade,
Dentro de ti, com algum desespero, se arranja amizade,
Dentro de ti, as ambulâncias não param de apitar,
Correndo loucamente, para alguém ir salvar.
Dentro de ti, em fim de curso, há fitas a arder,
Há estudantes, empalhaçados,
Por vezes passados,
De tanto beber...
                        ............
                                                M. Irene Nunes Pereira
...........................................................................................

EIS O QUE DEVES FAZER: AMAR A TERRA, O SOL  E OS ANIMAIS;
DESPREZAR A RIQUESA, DAR ESMOLA
A QUEM A PEÇA, DEFENDER OS ESTÚPIDOS
E OS LOUCOS, DEDICAR OS TEUS PROVENTOS E O TEU
TRABALHO AOS OUTROS, DETESTAR OS TIRANOS...
                                     ............
                                                                WALT  WHITMAN  (1819 - 1891)...
                                    .................
Um grande abraço para todos e uma boa quadra Natalícia
                                      SANTA


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

NOVAMENTE OS QUATRO...

Mais uma vez os quatro! Desta vez cumpriu-se o que estava prometido. Fazer o almoço convívio de Natal na cidade onde mora o nosso Ex. Alferes Soares. Em Famalicão! Depois, já fartos, aproveitou-se o tempo  para ir visitar o Museu Da Guerra do Ultramar que tanto o Moreira , o Artur, e o Soares não conheciam. Demos também uma volta por Ribeirão ( com o Guia Soares) onde se encontra o respectivo Museu. Aqui, fizemos una visita ao memorial da Guerra do Ultramar e á Associação dos Combatentes de Ribeirão. Segue-se as respectivas fotos que ficam para a posteridade! 


           
                                             Tirada do comboio...




Na estação de Campanhã. ( Porto)


Que tal? Uma maravilha!







Todos bem satisfeitos!

Seguem-se algumas imagens de Ribeirão







Para a próxima vão o resto das fotos. Somos quatro nesta iniciativa. Estamos abertos a outros da 2415 que queiram. É só contactar connosco. Afinal, são estes encontros que nos dão vida e que nos fazem esquecer as agruras deste mundo. Que possamos sempre nestas alturas, brindar á VIDA.

Para todos um grande abraço e um bom fim de semana.

SANTA

domingo, 3 de dezembro de 2017

RELEMBRAR...

Ora aqui está! Relembrar o nosso amigo Carlos Silva. Lembram-se? Então aqui vai...

SER POBRE E ALEGRE

Menina da sua rega
Dê-me água faça favor
A água nunca se nega
Seja lá a quem for

Alguém à porta de fora
Ouvi agora truz truz
Chegou a última
Valha-me Deus ai Jesus

Dai esmola ao pobrezinho
Que anda triste esfomeado
Passa a vida no caminho
Dorme ao relento abrigado

Um prato a mais na mesa
Sabe-se lá para quem
É sempre boa surpresa
Se for visita de bem

Nossa Senhora das Dores
Ó minha estrela do Norte
Não deixes os pecadores
Entregue à sua sorte

Estão os cães a ladrar
Com este frio que faz
O quer que vá a passar
É tudo gente de Paz

Não há alegria maior
Quando se dá com amor
Nenhuma paga é melhor
Que a do Nosso Senhor

...................................................

O PINHEIRO PONDERADO

Muito bem lembrado
O casal  oliveira/pinheiro
Até no nome é comparado
Com o casal azinheira/sobreiro

A família pinheiro com a família oliveira
Povoam de arvoredo tanto o val como o outeiro
A compara da família sobreiro com a família azinheira
Ocuparam com montado d`azinho e sobro o Alentejo inteiro

A oliveira assanhada tinha de ter a última palavra
És robusto e musculado mas não és mais forte que o vento norte e as tuas raízes
aprumadas não se comparam às minhas raízes fasciculadas que dão segurança ao
ponto de me chamarem árvore eternizada.

Depois desta feia discussão/da rama à raiz/ a história em questão/ teve um final feliz.

                                                                               Do nosso amigo Carlos Silva

É verdade. Com tanto frio que faz por aqui (Coimbra), vou até á lareira aquecer os pés ou por outra: vou aquecer-me todo!!! O frio faz bem para matar a "bicharada" mas o que era preciso agora, era a chuva que tanta falta está a fazer.

          Para todos, com um grade abraço me despeço por hoje.

                                                
    SANTA



sexta-feira, 1 de dezembro de 2017



«Portugueses celebremos
O dia da redenção,
Em que valentes guerreiros
Nos deram livre a Nação.

A fé dos campos de Ourique,
Coragem deu e valor,
Aos famosos de quarenta,
Que lutaram com ardor.

P'rá Frente ! P'rá Frente !
Repetir saberemos as proezas Portuguesas
Avante, Avante,
É voz que soará triunfal,
Vá avante mocidade de Portugal,
Vá avante mocidade de Portugal.»



segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Homenagem...

Já disse á uns meses atrás, que o nosso blog deve tratar também de outros assuntos com interesse sem ser os da nossa guerra. Pois os assunto relacionados com ela, são cada vez mais escassos derivado á ausência dos camaradas da 2415. A não ser que apareça em alguns dos baús guardados alguma coisa... Para que o nosso blog não adormeça no tempo (como já aconteceu com alguns) e espere que alguém o pique... para acordar, e que deixe de ser um ponto de encontro, aqui vai um exemplo: "O que quer que faças, faz com integridade. Onde quer que vás, vai como como lider. Quem quer que sirvas, serve com carinho. Quando sonhares, sonha com todo o seu ser. E nunca, nunca desista. Quem disse isto? MANUEL ANTUNES. Quem é Manuel Antunes? É  o Director do Centro de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Manuel Antunes, está entre os quatro melhores especialistas do mundo não só em transplantes como no tratamento de válvulas cardíacas, sem recurso á sua substituição. É Director deste Centro á 30 anos. Ele e a sua equipa já efectuaram cerca de 35 mil cirurgias ao coração e 349 transplantes cardíacos. Li num jornal, uma frase dele muito engraçada: " Por vezes dizem-nos que damos novos corações aos pacientes, mas o que fazemos é aplicar peças usadas, mas em bom estado".
Para fazerem uma ideia da equipa com quem trabalha, (de quem ele se orgulha) fazem parte 18 médicos, 70 enfermeiros, 16 auxiliares, cinco secretárias e seis técnicos de circulação extracorpórea.
Como vêm, é um médico português. Tantas vezes enaltecemos outros fora das nossas fronteiras e esquecemos o que temos de bom no nosso país. Mas ainda bem, que ele tem sido lembrado cá com algumas homenagens como aquela que foi feita no Domingo passado no Casino da Figueira da Foz, e ainda por aqueles a quem ele e a sua equipa deram uma nova vida, fazendo um almoço de convívio todos os anos.
Segundo li, falta meio ano para acabar com a sua actividade profissional por atingir o limite de idade. Com certeza que ele vai deixar um substituto á sua altura e que os suçessos irão continuar. Para esta equipa, um bem haja por tudo o que fizeram até hoje, dando vida a muita gente, e com certeza por aquilo que irão fazer também no futuro.

Que os nossos governantes (sejam eles de que cor forem) deem as ajudas necessárias para que homens como estes, tenham a possibilidade de ficarem no nosso país, e aplicarem todo o seu saber em prol de todos nós. O seu sonho, diz ele, era ver uma sala híbrida nos HUC . Se o seu sonho se concretizar será a primeira no nosso país.

        Com um grande abraço: SANTA

domingo, 26 de novembro de 2017

RECORDAR...

É verdade, amigo Soares. Tu estavas em Santa Margarida e eu estava em Castelo Branco a dar recruta. Tinha vindo passar o fim de semana a casa, mas até ao fim de Domingo não sabia o que se estava a passar. Deixei a namorada para apanhar o comboio rápido (na altura era o rápido que havia) em  Coimbra para fazer a viagem até ao Entroncamento e depois apanhar a ligação para Castelo Branco. Quando cheguei ao Entroncamento é que eu e a malta que ia para C . Branco constatamos que algo de anormal se passava. Havia muitos comboios parados na estação e muita gente, neste caso passageiros, que iam para outros destinos. E foi então que ficamos a saber que tinha havido inundações e que a linha férrea estava interrompida em Vila Franca de Xira, portanto os comboios não passavam. Mas, ninguém na altura sabia a dimensão daquilo que tinha sucedido realmente. Só quando cheguei a C. Branco ao quartel, já era manhã, é que fiquei a saber realmente a tragédia que tinha acontecido em Lisboa mas com mais incidência nos arredores. Como é sabido, o governo fascista de Salazar escondeu (ou tentou esconder) até o mais tarde possível a dimensão  da catástrofe. Depois, foi lidar com uma certa aflição de determinados soldados daquelas regiões por causa de possíveis familiares residentes naquelas zonas inundadas. Os primeiros dias, foram para esquecer.
Agora um aparte. Tenho um colega meu que estava em Santa Margarida, que foi para a zona daquele paiol que explodiu, para procurar material de guerra e que teve o azar, de  rebentar uma granada que lhe ceifou o braço direito.
Isto são as nossas histórias da vida (histórias verdadeiras) que nos ficam na memória pelas piores razões. E hoje, ao ver na televisão imagens e depoimentos daquela gente que sobreviveu, (na maior  parte se não a maior parte) pobre, vivendo na maior das pobrezas, é arrepiante.
              Um abraço. SANTA.
          

sábado, 25 de novembro de 2017

HÁ CINQUENTA ANOS: O DILÚVIO

Meio século depois, soube mais sobre a tragédia agora  do que na altura dos acontecimentos.
Recordo-me bem dessa fatídica noite: Era sábado e eu estava de serviço no Regimento de Cavalaria 4 (RC4) em Santa Margarida. Foi uma noite de intensa invernia, mas sem quaisquer consequências nefastas para o quartel, situado num ponto elevado, como muitos saberão. Havia no gabinete do Oficial de Dia um aparelho de rádio, pelo qual me fui apercebendo que as coisas não corriam bem, mas não tive a noção da amplitude da desgraça.
As instalações do RC4 ou RCSM (foto recente da NET)

Eu era um "aspirante miliciano" recente, do curso que terminara em Setembro de 1967 na EPC de Santarém. Aqui em Sta. Margarida passei uns (poucos) meses de "dolce far niente" até ser mobilizado para a nossa 2415.
A Igreja
O Campo Militar de Santa Margarida era composto por diversas unidades, com os quartéis ladeando uma enorme avenida ( a qual, dizia-se, podia servir de pista de aviação). No topo da avenida havia uma igreja, e o RC4 era o último à esquerda de quem sobe...
A entrada do Campo Militar e a avenida...
(foto recente , da NET)
Entre outras comodidades havia um cinema, e o primeiro filme que lá vi tinha o sugestivo título de VIVA O DESCANSO ...

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

AÇORES XI

Agora sim! Terminam as fotos da viagem aos Açores. Espero que tenham gostado, outros nem tanto, mas... na verdade não se pode agradar a todos.





















E aí está! Fim da viagem. Chegada a Lisboa.

Um abraço para todos.

SANTA








sexta-feira, 17 de novembro de 2017

HOMENAGEM...

Foi assinalado no passado dia 14 pela Liga dos Combatentes de Coimbra, o 99º aniversário do Armistício da 1ª Guerra Mundial e os 43 anos do fim da Guerra Colonial. Este ano, a cerimonia foi realizada junto ao Monumento aos Heróis do Ultramar na praça com o mesmo nome. Antes, houve Missa na Igreja da Graça situada na Rua da Sofia, por alma de todos aqueles que tombaram nas duas frentes.
Para esta cerimonia, foi convidado o Presidente da Delegação de Coimbra da Associação dos deficientes das Forças Armadas que se fez representar por dois membros da Direção. Fernando Santa e Cortesão, que depositaram a respetiva corôa de flores no Monumento.

Eis algumas fotos sobre o acontecimento:










                                                  Com um grande abraço: SANTA.