* * * * Sábado, 20 de Maio ==> Convívio anual da "BRIOSA" 2415 em Montemor-o-Velho * * * *

domingo, 30 de outubro de 2016

CÁ ESTOU EU...

Como disse, ia estar ausente uns dias. Fui até ao Algarve dar uns dias de descanso á minha mulher. Isto é: da parte que me toca ela merece. Não houve pequeno almoço, almoço, nem jantar nem cama para fazer. Só o tempo é que não ajudou muito, embora tivesse chovido alguma coisa eu não me posso queixar disso. Porquê? porque a zona onde estive choveu muito pouco. Estive em Portimão. De Armação de Pera para o lado de V.Real de Santo António é que choveu bastante. Mas foi só uma noite e um dia.
Deu para passear um pouco e visitar algumas coisas que ainda não conhecia. É certo que conheço muita coisa do Algarve, mas á sempre mais uma coisa a descobrir. Para ilustrar o que digo vou aqui mostrar algumas fotos:

  Estas três fotos, foram tiradas num parque que fica na estrada para Monchique. Chama-se Parque da Mina É interessante. Claro que não vou colocar no blog todas as fotos, Tornaria-se massudo!

    





As próximas quatro fotos, mostram a exposição de construções de areia em Algoz, perto de Armação de Pera. Tinha como tema: "A música" 







As duas próximas, mostram um pouco do Zoo de Lagos.






Agora o cenário é outro! Aproveitei estar no Algarve para visitar dois companheiros da C.Cav.2415. O  João Vieira Rodrigues e o Vitorino. Foi uma almoçarada daquelas...! Peixe grelhado de diversas qualidades e bem regado com um tinto de boa qualidade!







Sendo assim, despeço-me por hoje com um grande abraço e para a próxima vai o resto.



SANTA



sexta-feira, 21 de outubro de 2016

OUTRA VEZ CARLOS SILVA...

Continuando Carlos Silva, gostava de transcrever algumas coisas interessantes dele. Ora vejam...

A vida não é feita só de beleza e candura/ mesmo assim quem me dera as ilusões do passado voltar a tê-las/ se não fosse a noite escura/ como via-mos a lua e as estrelas?

Coisas que a vida dia a dia nos ensina/ tudo isto fui ouvindo e aprendendo/ se não consegui dar a volta por cima/ mas se tentei, nada lhe estamos devendo

Uns de cabeça erguida, outros com ela pendida, nada de alma vencida, nem de cabeça louca varrida, só temos coração e uma vida e, todos sabemos que é tara perdida.

Ninguém está contente com a vida que tem/ tudo barafusta quando a vida lhe corre mal/ mas se a vida lhe corre bem, sorriem ao pai e a mãe, como é lógico e natural.

Tudo se resume: " à alma, ao coração e à vida", ao querer e ao saber, ao ser e ao viver.

Numa tela por mim assinada// gostava eu de descrever o passado/ até à ultima pincelada/ deixando o retrato a preto e branco retocado.

A vida começa na infância/ o ano em Janeiro//Junho, do princípio e do fim à mesma distância/ Dezembro fecha o ciclo, assim é a vida até entregar o corpo ao coveiro.

As quatro estações do ano// às varias fazes da vida se comparam/ para uns tudo isto é um engano// para outros a vida é pequena se dela nem tudo aproveitaram.

O homem acha sempre que nunca chega a sua vez// de exercer o direito de mandar// mas há duas coisas que não pode dizer que não fez// foi a de chorar e a de mamar.

O homem assim mesmo há-de ser// insaciável como o sol por não ter a lua à  sua beira// mas alguma coisa há-de ter// a certeza da morte, quer ele queira quer não queira.

Não foi o homem que inventou a natureza/ apenas a descobriu e dela usufruiu/ como donzela inocente bela e indefesa/ Sr. homem quando partir deve deixa-la como a encontrou, ouviu?!

 Muito mais este nosso camarada da 2415 escreveu. Está no seu sangue esta maneira de escrever e é como ele diz:

  " Eu dependo tanto da música e da poesia, como do pão de cada dia "

    E mais: Diz quem depende do vinho
                                                                    
                 Que encontra nele alegria

                A abelha depende do rosmaninho

                 Como eu da música e da poesia

                                                                                             
      Assim a minha alma me diz
      Sou de poeta e de louco
      Quanto baste para ser feliz
     Porque me contento com pouco

                                               CARLOS SILVA

Mais uma vez camarada, colega, amigo e companheiro. Tudo isto, porque foste companheiro das andanças da guerra com todos da 2415. Ao inserir a tua poesia no nosso blog, é com toda a amizade que tenho por ti e que se estende a toda a malta da companhia. Um grande abraço meu para ti em nome da 2415.

  Esta semana vou estar ausente. Para todos um grande abraço.
                        
                                                                                 SANTA

                                                                          










quinta-feira, 20 de outubro de 2016

FALANDO SOBRE A EXPOSIÇÃO...

Terminou este Sábado a exposição sobre a Guerra do Ultramar, feita pela Delegação de Coimbra da A.D.F.A na Biblioteca Municipal de Anadia. Para nós, (Delegação) que não somos experientes na matéria, pois foi a primeira que fizemos, nem correu mal, antes pelo contrário. Fizemos diversas palestras para algumas escolas que correram até muito bem. Os alunos mostraram-se interessados e fizeram algumas perguntas bem como os professores. Um dos professores disse: "Agradeço em nome de todos esta oportunidade que nos deram de ouvir falar da Guerra do Ultramar. É um tema que está um pouco esquecido nas escolas. E isto que fizeram aqui, serve realmente para que esta juventude tenha conhecimento da realidade que foi a Guerra do Ultramar."
Sendo assim, da nossa parte, sentimos que continuamos no caminho certo. E o caminho certo é divulgar o que foi a guerra do Ultramar para que a mesma não seja esquecida e que ela não volte ou qualquer outra, para atormentar esta juventude de agora e a vindoura.
Não podemos deixar de agradecer á presidente da Câmara de Anadia e á directora da Biblioteca Municipal e de todos os participantes e ainda alunos e professores das diversas escolas.

Já que falamos de guerra, encontrei nas minhas arrumações, uma folha de papel com algo que achei interessante:

« É a guerra aquele monstro que se
   sustenta de fazendas, de sangue, das
   vidas, e quanto mais come e consome,
   tanto menos se farta. É a guerra
   aquela tempestade terrestre, que leva
   os campos, as casas, as vilas, os castelos, 
  as cidades e talvez em um momento 
  sorve os reinos e monarquias inteiras.
  É a guerra aquela calamidade composta
  de todas as calamidades, em que
  não há mal algum que ou se não
  padeça, ou se não tema; nem bem que
  seja próprio e seguro. O pai não tem 
 seguro o filho; o rico não tem segura
 a fazenda; o pobre não tem seguro o
 seu suor; o nobre não tem segura a
 honra; o eclesiástico não tem segura
 a imunidade; o religioso não tem
 segura a sua cela, e até Deus nos templos 
e nos sacrários não está seguro.»

                De quem é? 
                                             Padre António Vieira

No meio de tudo isto, que bom que era que a humanidade ficasse livre desta palavra: "GUERRA" e aquela que se ouvisse mais,  fosse a palavra "PAZ". 

Termino por hoje, com um grande abraço para todos vós.

                                    SANTA

   

sábado, 15 de outubro de 2016

VISITA Á EXPOSIÇÃO...

Pois é! Recebi por estes lados (Anadia) um grupo bem conhecido, identificável logo á primeira vista, vindo dos lados do Porto! Vieram de comboio até á Mealhada, onde os fui esperar mais o Ex. Furriel Paulo. Depois de uns dedos de conversa, já só se falava em almoçar. Para eles já cheirava a " Leitão" por todos os lados. Lá fomos todos até ao restaurante onde então saciamos a fome com duas travessas de leitão á maneira regado com "champanhe" bem fresquinho! Á medida que o almoço ia decorrendo, lá vinham á memória as facetas da guerra. É a lembrança de um a lembrança de outro que decorridos estes anos todos nós tentamos recordar. Todos nós ficamos bem almoçados. No fim, lá fomos direitos á Biblioteca Municipal da Anadia ver a exposição. Depois, bebemos umas águas para matar a sede e lá fomos (eu e o Paulo) levar os meninos á Curia (pois podiam perder-se) para apanhar o comboio para o Porto. (Não foi preciso entregá-los ao revisor). Já sei que todos chegaram bem!

Sendo assim, aqui vai a foto dos "culpados" para memória Futura! 



Da esquerda para a direita: Ex. Alferes Soares, Ex. Alferes Magalhães, Ex. Furriel Paulo, eu Ex. Furriel Santa, Ex. 1º Cabo Moreira Rádio Telegrafista e Ex 1º Cabo Artur Castro Operador Cripto.

São estes seis elementos que além do almoço convívio da companhia, se juntam todos os anos para um são convívio lembrando as peripécias da guerra e mantendo a amizade que nos une desde que viemos.

Para todos um abraço e continuação de um bom fim de semana.
SANTA

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

O TERROR Á SOLTA...

É verdade. O Terror anda á solta. O que se passa neste país? Refiro-me a este acto bárbaro de que foi alvo está patrulha da GNR. Como é que o ser humano é capaz de tal crueldade? E pensar eu que o meu neto queria ir para esta força de segurança. Que condições dão a estes homens? No mundo em que se vive, estas forças deviam ter da parte do estado toda a protecção devida . Quando falo da GNR, estendo este reparo a todas as forças policiais que se encontram ao serviço no nosso país e que fazem parte da nossa segurança. Mais um jovem a quem lhe é roubada a vida . Vinte e nove anos! Mais: um casal, praticamente da mesma idade que sofreu também as mesmas consequências que o jovem militar. Senhores que mandam neste país. Olhem com olhos de ver para esta gente que zela pela segurança do nosso país. Gente que estando ao cuidado do Estado Português, dá a vida por cada um de nós. Para onde vão os nossos impostos?
Espero que algo seja feito para bem de todos. Não digo mais nada.Fico-me por aqui...

Mudando de assunto. Li um comentário anónimo sob o comboio do Catur, que me deixou um pouco confuso.
Sobre este assunto, só tenho a dizer, que o respectivo comboio do Catur era linha estreita e com máquinas a vapor! A última foto a que se refere, se ver bem é uma máquina a vapor. A chaminé está encoberta por um camarada da minha companhia. O que está em primeiro plano é Furriel Paulo. E ainda lhe digo mais.O nosso comboio era puxado por duas máquinas e na frente delas levava o chamado rebenta minas. Nós viajámos  nele. Aquilo que o meu amigo fala, era outra linha que ia com certeza para os lados de África do sul. Se o amigo ver melhor no nosso blog, verá fotos do comboio que o irão esclarecer melhor.

   Sem outro assunto por hoje, um grande abraço para todos.

                                           SANTA

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

BERLIM. CONTINUAÇÃO...

Como prometi, aqui vão as últimas fotos do meu passeio a Berlim.




   




Estas quatro fotos mostram o memorial da União Soviética.



A convivência com a "passarada"


O homem dos "cachorros"




O pôr do sol visto da Catedral



E pronto. Chega!

Com um grande abraço me despeço até á próxima... 

SANTA


COLEGA DE EQUIPA

A propósito do nosso "herói" surpresa dos tempos modernos que o amigo Soares teve a excelente ideia de aqui destacar, veio-me à lembrança alguns momentos de lazer que há muitos anos ocorreram. Coisa de somenos, só que achei "piada" e, por isso, passo a contar. 
Há muitos anos atrás, julgo que por volta dos anos 80, era eu um jovem, já com mulher e filho, vivendo em Carcavelos, terra de praia que por albergar demasiados lisboetas ao fim de semana, deixava-me sem a mínima "pachorra" de lá pôr os pés.
E, por isso, entendia eu procurar outra praia que fosse mais agradável à vista, e a que mais me agradou, a partir daí, foi precisamente a zona da Costa da Caparica, carregada de várias praias por muitos quilómetros. Mesmo, tendo em conta que para lá chegar teria de passar pelo menos duas horas em trânsito caótico. Afinal, quando se trata de praia, toda a gente vai à mesma hora!
Em suma, valia bem o sacrifício, pois as praias enormes deixavam-nos à vontade.
Quando a maré vazava ficava espaço suficiente para se poder dar uns toques na bola e, assim, se juntava o "maralhal" que surgia de todos os lados. Logo se formavam duas equipas com onze para cada lado. E foi aqui que vim a conhecer o grande "player" Guterres. Constatei, na altura, que o seu grupo, incluía crianças, preferia frequentar a mesma praia que eu, e algumas vezes ficávamos bem próximos. Julgo chamar-se Praia-do-Rei ou Praia-da-Rainha.  
Lembro também que na altura ele já era deputado, pois a palavra logo foi passada durante as "peladas"!
Quanto às suas habilidades futebolísticas estamos conversados. Por isso, acabou a verdade da politica, ou melhor, a politica da verdade por marcar mais golos!
Muitos parabéns Senhor Secretário-Geral, desejo-lhe muita sorte no seu dificil mandato.
Do colega de equipa de futebol de praia.
 

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

terça-feira, 4 de outubro de 2016

VOU PARTILHAR.........

Vou partilhar no nosso blog algumas fotos que tirei na viagem que fiz no dia 24,25, 26 de Setembro á capital da Alemanha (Berlim). Não foi propriamente passear, mas sim, ter acedido ao convite para festejar os anos de uma pessoa de família. Claro que só foram três dias, mas mesmo assim deu para dar umas voltas. Não desgostei do que vi, mas algumas coisas também não me agradaram...
Sendo assim, aqui vão algumas fotos que tirei:





Estas duas fotos, mostram o Checkpoint Charlie. Este local foi assim chamado por ser o local exato onde ficava a parte militar que ligava a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental. Só passavam estrangeiros e membros das Forças Armadas.


Isto é uma parte do muro que serve para tirar fotos de recordação.


Estas pedras no chão marcam o sítio onde passava o muro.


Aqui, não vale a pena dizer nada...



Restos do muro que ficaram para memória futura.


Catedral de Berlim.




Parte das fotos são fáceis de identificar...

Já agora, quanto ás bolas de Berlim meus amigos, não chegam ás nossas!

Para a próxima vai o resto. Um abraço.
SANTA