* * * * Sábado, 20 de Maio ==> Convívio anual da "BRIOSA" 2415 em Montemor-o-Velho * * * *

quarta-feira, 29 de junho de 2016

42º ANIVERSÁRIO DA A.D.F.A. DELEGAÇÃO DE COIMBRA

       A Delegação da A.D.F.A. de Coimbra, acabou de celebrar o seu 42º Aniversário nos "Patinhos", Carapinheira, Montemor o Velho. Além de individualidades Civis e Militares, estiveram presentes cerca de trezentas pessoas. Isto mostra que a A.D.F.A. está viva!

Algumas fotos do Aniversário:















Estiveram presentes, o Comendador José Arruda ( Pres. da A.D.F.A ), Presidente da Direção da Delegação de Coimbra, Liga dos Combatentes, Centro de Saúde Militar de Coimbra, Câmara Municipal de Montemor o Velho, Brigada de Intervenção (Coimbra) e Junta de freguesia da Carapinheira. Estiveram também presentes, as Delegações de Lisboa, Porto, Famalicão, Viseu, Bragança e Setúbal.

Com um abraço. SANTA. 

sábado, 25 de junho de 2016

CARLOS SILVA OUTRA VEZ...

DE QUEM PARTICIPOU POR OBEDECER SEM QUERER MATAR NEM MORRER...

Se fiz mal a alguém, foi sem ódio
Nem rancor, nem sequer por querer, nem com outra
Intenção que não a de me defender
Sem ter de matar para não morrer.
Fui inspirado por um coração de mãe a fazer o bem e não olhar a quem
Que Deus a não leve, sem eu a voltar a ver, sei que não
quer perder nenhum dos filhos que tem
Quero ir até ela, tem mesmo que ser
Depois um pé-de-meia juntarei
Para que antes ou depois do sol - pôr
Noutro tempo noutra flor, juro que, as saudades matarei
Com os braços desarmados
Levantados abertos ou em ombros pousados
Esta terra, esta gente hei-de abraçar
Como quem cumpre o melhor dever
Neste chão generoso onde o sol é mais quente
Que a vida não seja seja sempre 
"Sangue, Lágrimas e Suor"
Mas sim! Um ardente poema de amor.



Neste sábado de sol, despeço-me de todos com um grande abraço.

SANTA

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Foi na noite de S. João, em 1969

que perdemos o nosso

JOAQUIM MARCELINO 

relembremos a sua memória clicando aqui.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Mais um poema

  Do nosso camarada Carlos Silva aqui vai um poema que eu achei interessante...
PARA BEM SER, NENHUM SOLDADO ESTE DESTINO DEVIA TER
Antes de a Moçambique chegar
Angola quis que eu de Luanda levasse
Para Lourenço Marques entregar
Um abraço amigo e lho entregasse
Não há guerra sem armas perfiladas
Sem rapazes que  deixem solteiras as namoradas
Sem soldados que contém aos que sobraram
Em homenagem aos que o sangue derramaram
Eu que também para aqui vim
E que vi morrer outros por mim
Em memória dos que outrora aqui terão passado
Depois das tormentas e do cabo dobrado
Quando o paquete "Vera Cruz " aqui apeou
E ouvi toda a gente falar Português
Até a pele e a alma se me arrepiou
Como me sentisse em casa outra vez
Como isto é belo e imenso
Dá deste lado do mar
O lago Niassa doce e extenso
A floresta virgem que nem o sol lá quer entrar
A minha velha " G3 "
Que foi feita para matar
Matasse ela, de, quando em vez
Saudades de quem deixei no cais com o lenço a acenar
Quem fez de nós alvos de guerra
Antes nos mandassem cavar terra
Para que matar, por matar, matar a fome
A quem por nada ter, nada come
Ó guerra que ceifas vidas, inocentes
Ceifa trigo que alimente crianças carentes
Que lhes dê esperança e futuro
E que ele lhes seja mais suave menos duro
As balas que dá mata brotaram
E os corpos dos meus camaradas mutilaram
Eu não fui atingido porque a sorte me protegeu
O sangue que a farda e a pele me atingiram não era meu
Quando cheguei, parei e pensei
Como é possível a natureza ser tão generosa
O homem quer ser senhor e rei
Mas não passa de folha de árvore frondosa
Dois mil quatrocentos e quinze, a saber:
Compª de Cavª a que o destino não foi sortudo
Moçambique que os viu morrer
" A estes bravos a pátria pediu tudo"
Lá deixamos a citação do poeta
Numa improvisada parada militar
Para quando a guerra acabar
Se mantenha está homenagem simples e discreta
Ai se a minha espingarda em vez de arma de guerra
Fosse o mais belo instrumento musical
Que me trouxesse as baladas do sino da minha terra
Quando tão longe dela, tiver que passar o Natal
A natureza semeou á não
Está soberba fauna e flora
Fica sempre parte do coração
Quando a gente se vai embora
Quando para Índia aqui ancorados
Descansavam, reabasteciam  e zarpavam
Em dificuldades, esforço e trabalhos dobrados
Sem ambição de honra, glória e fama
  "Em perigos e guerras forçados
Mais do que permitia a força humana" (Camões)
             Este nosso camarada Carlos Silva que connosco fez parte da 2415, tem uma veia poética desconhecida de muitos. Tenho mais dois poemas que enviarei no seguimento deste. 
  Se fores ao nosso blog, diz um olá á malta! Para ti em nome da 2415 um grande abraço.
                                                                        
                                  Para todos um abraço. SANTA.

terça-feira, 21 de junho de 2016

MAIS UMA BAIXA...

Mais uma baixa. Faleceu um camarada nosso. Não. Não foi da 2415, mas sim um camarada da mesma guerra em que participamos. Faleceu o nosso camarada "Dentinho" (como era conhecido) a quem já fiz referência  no nosso blog. Era o deficiente mais profundo da nossa (") guerra. Quarenta e cinco anos completamente imóvel no seu leito. Sempre consciente, falava para nós como ninguém. Mais um retrato vivo do que passámos e o que foi a guerra colonial. Que a sua alma repouse em paz junto com aqueles camaradas que também já partiram. Á família os nossos pêsames.

                   SANTA

A tragédia de Mopeia foi há 47 anos


http://ultramar.terraweb.biz/RMM_Mopeia_21Jun1969_Relatorios_do_Exercito.htm

Ocorre hoje o aniversário da desgraça que, juntamente com mais de uma centena de camaradas de diversas unidades, nos roubou o DANIEL VIEIRA VICTORINO  e o JOSÉ FERREIRA OLIVEIRA .
Em anos anteriores tivemos diversos depoimentos sobre este terrível acontecimento. Desta vez sugiro uma visita ao interessante site TERRAWEB onde poderemos ler (em PDF) os respectivos relatórios militares oficiais

 

domingo, 12 de junho de 2016

COMO PROMETI...

Olá companheiros! Que lindo dia de sol! Parece que o verão chegou. Será? Vim agora para dentro de casa (17 Horas), pois estive no meu jardim, apreciando a passarada. Fiz um batido de Melancia para refrescar e aqui estou eu para vos mostrar mais algumas fotos da Madeira.


                                               A espetada estava prestes a chegar...


RIBEIRA BRAVA

                                         As tradicionais casas de Santana da Serra.

                                                             Piscinas no Funchal.

            Acima das nuvens a caminho do Pico do Areeiro.

           Uma das vistas a caminho do cabo Girão.

                                                               Na hora do almoço...

            Vista do miradouro do Curral das Freiras.

                                                        Mercado. Frutas tropicais.

                                                         Jardim Botânico do Funchal.

   Instrumento típico que faz parte das danças tradicionais da Madeira.

                                                                   A NATUREZA...

CAMACHA. TRABALHO FEITO EM "VIME".

                                                     Jardim Botânico. "CACTO".



                                Entre  milhares de espécies, aqui está uma: "ORQUÍDEA". 

           Pois é. Termino por hoje, mandando mais uma vez um abraço para todos. SANTA.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

42º ANIVERSÁRIO DA A.D.F.A.

Celebração do Aniversário da Associação dos Deficientes das Forças Armadas.

Do nosso Jornal o "ELO", transcrevo o discurso de S Exª. o Secretário De Estado da Defesa Nacional na visita que fez à Sede Nacional.










                                                                Um abraço. SANTA.













domingo, 5 de junho de 2016

TAMBÉM EXISTE ESPAÇO PARA CONVÍVIO...

Na vida, o convívio entre pessoas é um bem que nos faz ver a vida de outra maneira e onde a saúde sai beneficiada! E então, quando ele é vivido em sã camaradagem com alegria e acima de tudo, dentro dos parâmetros razoáveis da educação.
Ontem, participei a convite de pessoas amigas (de todas as idades) num Rally Paper. Eu, minha mulher e o meu neto. Foi divertido e num ambiente em que a natureza esteve sempre presente. Foi na Mata de Vale de Canas na minha linda Cidade de Coimbra.
Depois da concentração e da verificação das "máquinas" e dos utensílios que a organização nos propunha levar, lá partimos para percorrer um certo itinerário em que se tinha diversas coisas para observar até chegar à mata de Vale de Canas. Aí chegados, fez-se o abastecimento a cada um de nós a nível de combustível comestível!
A partir daqui, a viatura ficava em descanso e era a tripulação que partia a pé para a aventura por trilhos desconhecidos através da mata, onde se tinha que identificar certas e determinadas coisas propostas pela organização. Tudo era um mistério! Depois de terminada aprova, fomos ao almoço tendo este decorrido pela tarde fora em plena mata. Foi um sábado bem passado no seio da natureza, com bastante alegria com música pelo meio! Nestes caso, à sempre voluntários para tocar e cantar!!!
Agora passo a ilustrar com algumas fotos o que se passou:



ENTRADA DA MATA
A MINHA MÁQUINA...


                                             CHEGADA À MATA. ABASTECIMENTO...
                                           INÍCIO DA SEGUNDA PARTE DA PROVA...
CLARO...TAMBÉM HAVIA OBSTÁCULOS!




TERMINADA A PROVA...


ALMOÇO...

                                                                     
                 SOB A BATUTA DO MAESTRO (Meu Neto) COMEÇAVA O ENSAIO...



O CANTOR DE SERVIÇO...

AFINAVA-SE A VIOLA...

E CANTAVA-SE O FADO DE COIMBRA.

E A ENTREGA DE TROFÉUS...

Para terminar, vai uma poesia escrita numa pedra (Penedo da Saudade) que eu achei (na minha opinião), que se enquadra no nosso tempo.

De Carlos Amaro - 23 de Junho 1931.

                               Se esta velha pedra ouvisse
                               O que fomos aos vint`anos
                               Ais D`Amor, sonhos, enganos...
                             - Talvez que a rir se partisse.

                               Mas se tivesse olhos e olhasse
                               Os espectros que hoje somos
                               Tão mudados do que fomos...
                               Talvez a pedra chorasse.

                                           Termino, enviando um abraço para todos e... VIVA A VIDA! 

                                                                                         SANTA




quinta-feira, 2 de junho de 2016

A MADEIRA E O SEU ENCANTO...


Olá malta!

De 18 a 22 de Maio, fui à Madeira com um grupo da Delegação de Coimbra da A.D.F.A. Com a mesma amizade de sempre, compartilho com todos algumas das muitas fotos que tirei. Para quem não conhece espero que gostem.

É muito grande para mim... 

                                                               Não tenho nada a dizer...


                                                           Vista do Curral das Freiras.


                                                                    Foto do Grupo.

Vista do miradouro do Cabo Girão

                                              Não é preciso dizer nada. Está tudo dito...


Uma das vistas do Pico do Arieiro.

                                                       O famoso Atum da Madeira.
                                          Uma das piscinas naturais de Porto Moniz.   


Esta por natureza já tem legenda...

Por hoje é tudo. Para a próxima posso selecionar mais algumas...

Um abraço SANTA.