* * * * Sábado, 20 de Maio ==> Convívio anual da "BRIOSA" 2415 em Montemor-o-Velho * * * *

terça-feira, 29 de março de 2016

ALMOÇO - CONVÍVIO DA 2415


Segue-se o mapa com a indicação do trajeto para o restaurante EdenBife


Clique no mapa para o ver maior

Para quem vier por auto-estrada (A8/A21) - Melhor trajecto:

- A8 (Sentido Lisboa/Norte ou Norte/Lisboa) 
- Saída A21 (Ericeira/Malveira) 
- Saída Venda do Pinheiro 
- Na 1ª rotunda é sair na 1ª saída para Venda do Pinheiro 
- Nas 2 rotundas seguintes é seguir em frente 
- Após a 3ª rotunda, no cruzamento que surge logo de seguida, segue-se pela esquerda 
- Depois por essa via até ao restaurante EdenBife que surgirá do lado esquerdo 
- Chegou ao destino! Bom almoço!

Para quem vier por estrada nacional (N8/N116):

- Sentido Lisboa/Norte - O restaurante situa-se entre Freixeira e Venda do Pinheiro. Irá surgir do lado direito.
- Sentido Norte/Lisboa - Depois de passar pelo centro de Venda do Pinheiro é seguir até aparecer o restaurante do lado esquerdo.

Olá camaradas da C. Cav 2415. Depois do Soares, aqui estou eu a complementar o acontecimento.
Sei que poucos camaradas da 2415 (digo eu) acedem ao nosso blog, de qualquer maneira aqui deixo uma achega para que todos cheguem ao local do repasto sem enganos.
Mais um ano se passou desde o último convívio. Estamos mais velhos e esfarrapados. As «dobradiças» já nem com óleo nos safamos. Sendo assim, vamos fazer um esforço para que possamos todos estar presentes no EdenBife.
Faço um apelo! Quem tiver fotos levem-nas! Pois podem ser úteis para o nosso blog.

                             Por hoje é tudo. Um grande abraço evamos todos ao EdenBife. Que todos os caminhos nos levem lá!!!

                                                           SANTA



MOBILIZAÇÂO GERAL - Sábado, 7 de Maio

::: Atenção à Caixa do Correio :::


 Acabo de receber a guia de marcha para a nossa reunião anual, o Convívio da 2415, desta vez no restaurante
 EdenBife, na Venda do Pinheiro
(Av. 9 de Julho 22 A, Telef. 965 870 901)
 É o Avelino Torcato Pereira que, mais uma vez, assume a responsabilidade. A nós cabe a parte mais fácil, que é comparecer!

Vamos todos à Venda !!!

(Telem. do Avelino: 919857762)
 

quinta-feira, 24 de março de 2016

PÁSCOA...

Ainda não refeito de tudo quanto se passou em Bruxelas, o que se torna um pouco impossível derivado ao bombardeamento a que estamos sujeitos todos os dias nas televisões e quase sempre com as mesmas imagens, estou aqui neste momento no blog, para desejar a todos que nos visitam, uma Santa Páscoa  em particular a todos os camaradas da 2415 e seus familiares. Votos extensivos, também ás famílias daqueles que já partiram. Que seja uma Páscoa vivida com saúde paz e amor. Que os homens parem para reflectir. Um mundo sem paz e amor não faz sentido. Um mundo em que homem não se dê ao respeito, isto é: que não respeite o seu semelhante, seja qual for a cor, raça, religião ou opção sexual, passa ser um mundo podre sem sentido. O respeito aliado à paz e ao amor é a combinação perfeita para o mundo ser melhor.
                      Uma SANTA PÁSCOA para todos , é o desejo deste vosso camarada amigo, SANTA.

terça-feira, 22 de março de 2016

O QUE DIZER...

O que dizer... Acho que por mais voltas se dê, não existem palavras para dar voz ao pensamento e descrever ou dizer qualquer coisa sobre os acontecimentos de hoje em Bruxelas. O nosso blog não poderia
ficar indiferente a tais acontecimentos. Custa - me aceitar o que tenho estado a ver nas televisões. O que seria este mundo, se em vez do homem fomentar a guerra o ódio e a morte, se lembrasse de fomentar a paz e o amor entre as nações. O que será deste mundo se tudo isto continuar? Onde é que tudo isto vai parar? Cada um de nós quando sai de casa para qualquer lado, voltar a casa (vivo) passa a ser uma incógnita... Nós que andamos na guerra, sentimos tiro isto com outra intensidade. Como eu costumo dizer: que o homem pare para pensar o quer fazer da humanidade.
A família da 2415 e o nosso blog em geral, está neste momento solidário com os nossos irmãos belgas.
                                 Para todos em geral um grande abraço. SANTA.
                   
                                  
         

quarta-feira, 16 de março de 2016

PORQUE SERÁ ?

Porque será? Uma boa pergunta!
Na passada terça - feira, no programa Sociedade Civil no canal dois, vi um programa sobre a guerra do Ultramar. Quanto ao programa não tenho qualquer crítica a fazer. Gostei. Embora (na minha opinião) já não seja novidade para as pessoas. A Guerra do Ultramar, não está fechada enquanto houver deficientes resultantes da mesma. Eu gostava, era de ver um programa bem elaborado sobre aqueles que ainda hoje sofrem na pele os efeitos da dita guerra. Seria muito bom para a sociedade portuguesa saber quanto ainda se sofre com as mazelas causadas. Não é só o deficiente, mas também as esposas e respectivas famílias. Eu falo com pessoas que ficam muito admiradas quando lhes digo que ainda á deficientes acamados em suas casas e com stress de guerra.
Eu sei que talvez seja um pouco incômodo falar sobre o assunto. Mas se assim for, tem de haver coragem para fazer um  programa que fale sobre este assunto. Quando se fala verdade, não há que ter medo! Mesmo para os mais novos, estarem a par do que acontece a quem combateu (depois da guerra) até ao final das suas vidas.





Transporte de um ferido em Moeda. Moçambique.

 Fonte A.D.F.A.

Para todos um abraço. SANTA.















sábado, 12 de março de 2016

NO PASSADO DIA 24...

No passado dia 24 de Fevereiro, Sua Ex.ª o Sr. Presidente da República, professor doutor Aníbal Cavaco Silva, visitou a Associação dos Deficientes das Forças Armadas. Ao terminar o seu mandato quis despedir-se da Associação e deixar uma palavra de reconhecimento a todos os deficientes militares. Não haja dúvida que esteve sempre ao nosso lado dando apoio ás nossas reivindicações. Sua Ex.ª condecorou  o Presidente da Associação Comendador José Arruda, com o grau da Grande Oficial Ordem do Infante D. Henrique. Esteve também presente o General Ramalho Eanes (grande amigo nosso desde a primeira hora), Ministro da Defesa, chefe do Estado - Maior General das Forças Armadas e ainda dos chefes dos Estados - Maiores dos Ramos das Forças Armadas e deputados à Assembleia da República.



SANTA


segunda-feira, 7 de março de 2016

HERÓI DESCONHECIDO. FIM...

Camaradas. Termino hoje o belo trabalho do nosso camarada António Calvinho. Espero que ao terem lido, tenha sido para cada um um momento de reflexão.

E quando braços possantes
De corpos sujos de pó
Cumprindo ordens puxaram
O corpo em fim d`agonia
Numa alma de gigante
Fez-se um silêncio de morte
As aves e os animais
Lançaram gritos ao céu
As flores que lá havia
Romperam em brando pranto
As ervas tombaram por terra

E um grito lancinante
De agonia e desespero
Brotou da árvore impotente
Por se sentir tortura
Por se sentir agredida
E o grito pairou no ar
Ecoou por montes e vales
Ficou vermelha a floresta
Toda a terra estremeceu
« tinha chegado a hora nona»
Nessa tarde d`aflição.

Já a mata era mais pura
Sem as tropas do capitão
E inda o corpo oscilava
Na corda da sepultura
E os olhos baços do negro
De laivos rubros tingidos
Olharam a tarde de morte
Lembrou o Nino e os outros
Sentiu um arrepio de coragem
E só o vento escutou
A sua última mensagem:

- Não passam de instrumentos
Programados para matar
Pelos verdadeiros culpados
Que vivem nos gabinetes
Ricamente alcatifados
Enquanto na sua terra
O povo a que pertencem
É também sacrificado
E quantos destes citados
Não vão deixar na picada
O corpo despedaçado?...

( E... inclinando a cabeça expirou).

                                                            Um grande abraço. SANTA.


sábado, 5 de março de 2016

Portugal e Moçambique naquilo que fazem melhor!!

Pela actualidade e mediatismo aconselho a lerem com a devida atenção o artigo abaixo intitulado "NOVOS RICOS" escrito por um dos meus heróis do século, o Excelentíssimo Senhor Mia Couto, ilustre escritor e articulista do mundo. Grande bem haja para ele, sempre que o leio fico mais "rico"! 
A terminar só deverei acrescentar: Afinal, tanto lá como cá vai dar no mesmo......!


sexta-feira, 4 de março de 2016

Continuando...


E o negro certo da morte
Desde a agonia em Bissau
Voltou-se pró capitão
Dizendo com convicção;
- Desde o primeiro dia
Em que fui iluminado
Desta minha condição
De servo escravizado
Que vejo a morte espreitando
Atrás de mim murmurando
Que já lhe sei a sensação!

- Não temo a morte descansa
Ofereço a minha vida
Já assim despedaçada
Ao povo da minha terra
Mata-me já capitão
É essa a tua missão
Pouco valho neste estado
Mas ao Nino e os seus homens
Esses NÃO !...
- Não serei eu capitão
Quem te dá a promoção!

Quero pedir-te um favor
S`inda existe em ti valor
Se és homem de condição
Se tens honra e tens pudor
Respeito pela minha acção
Depois de me teres matado
Tapa-me bem no chão
Com folhas e ervas da mata
É tudo quanto te peço
No momento da partida
Desta amargurada vida

E mantendo a serenidade
Nuns olhos bons sem maldade
O negro foi conduzido
A um gesto do capitão
Para um local onde havia
Alta árvore verde e fria
E da corda que ele trazia
No pescoço pendurada
Lançaram a outra ponta
Por sobre um tronco alongado
Qu`atravessava a picada.

E o negro de olhos molhados
Muito abertos mas serenos
Nem um suspiro exalou
Nem grito de dor se ouviu
Nem gesto d`arrependimento
E os soldados que ali estavam
Uns prós outros murmuravam:
- Tanto que sofre coitado
E não se houve um lamento
Que força é esta que tem
Lá dentro no seu pensamento!

E o alto negro entroncado
De olhos da cor da verdade
Olhava para seus algoses
Vindos de terras distantes
Feitos feras ferozes
E não havia em seu rosto
Já quase transfigurado
Pelo pó no sangue empastado
Nem ódio e nem rancor
Havia um misto d`espanto
Feito de raiva e amor.

         Para a próxima será a última parte. Até lá, um grande abraço.
                                                   SANTA

Um livro a falar da malta

Um companheiro da nossa guerra de nome Jaime Froufe Andrade fez-me chegar às mãos um e-mail para lhe adquirir um livro escrito pelo próprio e com o sombrio e sugestivo nome "Não sabes como vais morrer".  "Porra", até  por isso mesmo, acabei de bater 3 vezes com os nós dos dedos no tampo de madeira da mesa!
Ainda não o adquiri, mas vou fazê-lo de imediato pois fiquei ansioso pela leitura que sei me irá levar àquelas paragens que continuam no nosso pensamento. São "manias" que nunca perdi e que me dão grande gozo! Que hei-de fazer? Enquanto uns tentam esquecer ou já esqueceram, outros há que apreciam continuar a vivê-las. Afinal, cada um com as suas!
O Santa já aqui deixou uma nota sobre este livro do nosso companheiro mas, em complemento, este e-mail dá todas as indicações necessárias para a obtenção da "obra-prima". Apesar de ainda não ter lido aconselho, até pelo valor da mesma 2,50€, à sua aquisição pois, além do mais, será uma forma de demonstrar-mos a nossa gratidão por aqueles que tudo fazem  em não deixar cair no esquecimento aquela guerra que fomos obrigados a viver  e que tantos dramas terríveis criou nas famílias de Portugal.


quarta-feira, 2 de março de 2016

VAMOS CONTINUAR...

E  Só o peso da corda ao pescoço
Com laço de nó corredio
Era a certeza que o tempo
De ser torturado era breve
Seu corpo pedia água
Quando o sol já alto ia
Deram -  lhe em 'ponta de lança'
Vinagre que rejeitou
Mas nunca seu corpo vergou
Naquela picada minada
Em calvário transformada
Os  passos dos boinas verdes
Iam p,los trilhos dos seus
Certos que por ali
As pernas não rebentavam.
De repente o capitão
Ordena sair da picada
E um jeito na corda esticada
Que servia d, arreata
Atada ao rebenta minas
Faz este parar e virar
Entrando na floresta
Chamava - se  Coboiana
A região que pisavam
Dominada pelo 'Nino'
'Turra' audaz e ladino
Que um 'bando' comandava
Na luta contra o Império
Que tanto debilitava
E os boinas verdes suados
P 'lo esforço da caminhada
Na fresca mata pararam
E a segurança montaram
- Diz - me homem danado
Onde é o covil desse Nino
Desse Nino teu senhor?
- Eu te prometo o perdão
E roupa de condição
Água mulher muito pão
Dar - te - ei a liberdade
Terás uma vida boa
Mangá de patacão
Muita água de Lisboa!
O homem triste sorria
Perante a hipócrisia
Do senhor da vida e da morte
De um Povo em restauração
E disse alto e bom som:
- NÃO!...
- Mas tu ser parvo!,
Retornou o capitão
- Tu não veres:
- Que basta só apontar
- É ali! E toda a vida t, of' reço!
E um corpo dilacerado
De mil chagas povoado
Olhando com mansidão
Um instrumento capitão
Disse: - NÃO!...
- Não vou trair meu irmão!
Nem meus lábios ressequidos
Sabem falar de traição
A vida que tu m' ofereces
É vida de servidão
Não a quero capitão!
                               - Continua -
SANTA. Um abraço.