quarta-feira, 18 de novembro de 2015

TRISTE...

No sábado passado quando me levantei, e liguei a televisão, fiquei horrorizado com as imagens que me foi dado ver. Porquê? Perguntei eu a mim mesmo. Que raio de seres humanos são eles para matar indiscriminadamente as pessoas? Como é possível desprezar a vida humana quando é o bem mais precioso que podemos ter?. Não existe explicação para tais actos. É horrível ! Até para muitos de nós que andamos na guerra, não nos é indiferente, ouvir os sons dos tiros explosões. É o relembrar o passado. Para quem tem stress de guerra, é muito complicado. Tudo o que vimos, é o ser humano a chegar á escala zero.

Ao contrário do que tinha dito, não acabou a poesia do nosso amigo Sá valores. Encontrei mais algumas e não resisto em publicadas.

Sereno o Sol ia apagando
A luz do dia que finava
Enquanto a noite ameaçava
O perigo que vinha chegando.

Meu corpo o solo rasando
Sorrindo à pedra que o rasgava
E a saudade em mim esboçava,
Alguém que estaria rezando.

Troou   o canhão maldoso e forte
rasgando o ar que a nós chegava
Deixando a terra transformada
Em sangue, suor e maus trilhos.
E veio o monstro que é a morte
Finar vida dos bons filhos.

===========================

Flor
o teu viver é duro
cruel,
mas quando se quer,
não há pedras duras,
nem caminhos intransponíveis .
nem mares,
Não há cardos,
nem lume
nem valados,
e, até nem existe a morte.
As árvores,
quando têm frutos são,
são ainda,
mais olhadas,
mais estimadas,
e, não choram...
ao ver a brisa rasgar,
a bruma das madrugadas.

                        Um abraço. SANTA.

Sem comentários:

Enviar um comentário