sexta-feira, 18 de abril de 2014

Por: F. Santa


Caros camaradas e amigos. Parece que foi ontem mas aí estamos nós novamente na Páscoa. Os dias passaram uns melhores que os outros mas sempre com uma nova esperança de vida, uma vida melhor. A vida, como se diz muitas vezes, é feita de encontros e desencontros, de alegrias e tristezas mas temos que encarar tudo com força de viver.
Camaradas. Desejo a todos da 2415 e família uma Santa Páscoa. Estes votos são extensivos também a todos os camaradas de guerra e a quem visita o nosso blog.

Como disse em cima, a vida é feita de alegrias e tristezas e neste momento estou triste porque acabei de receber uma chamada do João Vieira Rodrigues que me dizia que este ano não ia ao nosso convívio, pois não se sentia bem e em lágrimas foi-me dizendo que há poucos dias morreu o genro num acidente de mota. Daqui, desejo ao João e família os meus sentidos pêsames.

Um grande abraço para todos, do camarada e amigo Santa.


quinta-feira, 10 de abril de 2014

H M R 2 : Uma homenagem e um apelo

Por: F. Santa
CENTRO DE SAÚDE MILITAR DO CENTRO
HOSPITAL MILITAR REGIONAL Nº 2
 Nunca é demais falar do Centro de Saúde militar de Coimbra e, deste modo, através do nosso blog, prestar-lhe também a devida homenagem, por ter prestado e vindo a prestar neste momento, tudo o que é de bom a toda a família militar (de todos os ramos) e muito especialmente àqueles que no Ultramar combateram, mormente aos que ficaram deficientes.


Vamos então contar um pouco da sua história, começando pelo brasão:
Escudo de púrpura três estrelas de oito pontas de oiro; Elmo militar, de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra; Correia de vermelho perfilado a oiro; Paquife de virol de púrpura de oiro; Timbre: uma cabra saltante sainte de oiro; Divisa num listel de branco ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir: “CURAR VENCER”.
 
Simbologia:
As estrelas, em preito de homenagem aos Carmelitas descalços que, no ano longínquo de 1606, para instalar o Colégio de S. José dos Marianos, erigiram o edifício onde hoje se encontra o Hospital; A cabra representa de modo falante o celebrado sino da vetusta Torre da Universidade, inconfundível “ex-libris” da cidade onde se localiza o Hospital e, simultaneamente, o sino dos antigos cujo soar, nas crenças de antanho, tinha o poder de exorcizar o mal e a doença; A Divisa “CURAR É VENCER” resume a mística daqueles que optaram pelo quotidiano combate contra a dor e contra a morte.
O oiro a fé nos próprios recursos enraizada em matura sabedoria; A Púrpura a humana ciência aplicada ao cumprir do dever.
     
                                              COMO NASCEU:
Texto cedido pelo Hospital


Pelos seus anos (dia 26 de maio) aqui vão neste simples blog os parabéns de todos nós e a sincera homenagem a este hospital e muito especialmente ao Exmo. Sr. Director Tcor. Dr. Andrade, médicos, enfermeiros e restante pessoal, que tanto nos têm dado. É graças a todos eles que todos os camaradas da zona centro têm a sua (desculpem a expressão) saúde em dia. Merecem todo o nosso louvor pela sua dedicação e coragem para manter o hospital a funcionar com uma óptima qualidade nos tempos que correm.

                                   UM MUITO OBRIGADO A TODOS


Que os nossos governantes nunca pensem em fechar-lhe as portas!

(imagem do Google)


Do camarada Ex. Furriel Santa, um grande abraço para todos com sabor a amêndoa (ou não estivesse-mos a caminhar para a Páscoa!!).

terça-feira, 8 de abril de 2014

CONVÍVIO 2014 - Toca a reunir !!!

Atenção: O Sul é para cima !!!


Com base no GOOGLE MAPS e nas instruções (acima) do Vivaldo, a seguir vai uma interpretação do Itinerário de aproximação ao objectivo e uma imagem do mesmo (espero ter acertado ! ):

"cliquem" para ampliar



(Utilizei as coordenadas 38.734299,   -9.314189 )


sábado, 5 de abril de 2014

BERLIET TRAMAGAL

Por: F. Santa   


Sempre que se fala na guerra,  comenta-se de tudo. É verdade.
 E nesse tudo, não podiam deixar de estar presentes as histórias em que entrou a “Berliet” como nossa companheira em tantas aventuras por aquelas picadas  fora. É justo também que no nosso blog lhe seja feita a justa homenagem!
Nas densas matas (no nosso caso em Moçambique), a quilómetros de distância, já se ouvia o seu “roncar”. Era inconfundível !!
Aqui está o seu bilhete de identidade:

Nasceu no Tramagal.
Comprimento máximo: 7.28M – largura: 2.4M – Altura 2.7M.
Peso vazio 8oooKg – Capacidade de carga 5000 Kg.
O seu sistema de tracção: 4 rodas motrizes.
Motor: Magik  MK520 multi-combustível 5cl 7900cc Potência 125 cv.
Velocidade Máx: 80 Km/h.
Tanque de combustível: 95 litros.
Autonomia: Mx: 563 Km.
Guincho mecânico.
Bloqueio de diferenciais traseiros
Estanquicidade do motor e depósito de combustível para submersão é até cerca de 1,5 m.

Vamos agora às fotos:






Esta já fora apanhada numa emboscada. São visíveis no pára-brisas três buracos de bala. Resultado: dois mortos e alguns feridos.  (história já contada atras neste blog)

No tempo das chuvas, quantas vezes ela foi a nossa salvação. Os mantimentos escasseavam e só ela poderia ir ter connosco e vencer aquelas picadas lamacentas. Eu que o diga quando estive no célebre aquartelamento de Matipa! Muitos não gostavam dela. Pois é: era preciso conhece-la! Neste caso, tivemos na nossa companhia o nosso camarada condutor (já falecido) Joaquim Maluco!! Era assim que era conhecido. E ele era tão maluco como ela (a Berliet). Eram os dois tão dedicados que obedeciam um ao outro com toda a dedicação sem comprometerem a sua missão. É o que eu digo: conhecendo-a era um prazer conduzi-la. Mas claro: no tempo das chuvas, as picadas também lhe pregavam algumas partidas em que ela própria precisava de ajuda. Uma cavadela de um lado, cavadela do outro e ela fazia o resto. Amiga: bem hajas para sempre! Pois como nós sofremos, muitas das tuas irmãs sofreram com as malditas minas. Muitas delas sucumbiram para sempre (vós que estais aqui nas fotos nunca passastes por isso... pelo menos connosco). Agora ficarem atascadas na lama até ao “joelho”, como na foto, maning de vezes!! Fica a lembrança e a saudade. Nas nossas histórias estarás sempre presente.
Se alguém souber mais alguma coisa sobre ela, que conte.


Para a próxima irei dar a conhecer o Hospital Militar de Coimbra. A sua divulgação é importante.

   Um abraço para todos do SANTA