quarta-feira, 28 de maio de 2014

TORRE ESPADA A TITULO PÓSTOMO

Aqui vai mais um poema do nosso camarada capitão Calvinho.

"Se me não promovem a Major
por distinção
vou-me embora!
Vou acabar o curso
a guerra que se lixe"

-- Dizias-me antes da morte.

Querias também acertar contas
com o inconsciente major
que mandara viaturas
sem um só saco de areia
para o chamado "Estado de minas gerais".

--Em Metangula
mandaste o Diniz d´Almeida
para a 2ª viatura
dizendo como dizias
quando brincavas com a morte:

"Se houver mortos
serão só milicianos".

E assim como previas:
(No rescaldo da mina de fósforo
cerca de doze quilos de restos calcinados)
restavam de ti!

E de mim?..

de mim restavam laivos de vida e raiva
--E dores...muitas e horriveis!
A seringa das injecções
tinha o embolo preso:

nem petidina nem morfina;
um sol terrível sobre as chagas
imensas;
três fraturas numa perna
sem talas nem pensos;
E uma mão queimada agarrada aos tomates!...

...Uma berliet aos trambolhões!
E Metangula ainda a 12 quilómetros!

Mas nem tudo estava perdido:
O milagre de um Povo em armas
viria a ressuscitar-me!
Um ano mais tarde.

Tu Valente:
Já não eras capitão.
Já não serias major!...
Infelizmente já não poderias
ressuscitar!...
...
--Mas qual sacrifício póstumo
em honra do «Deus Pátria«:
--Tiveste em cadáver
a mais alta condecoração
e foste promovido!...

(Ainda guardo comigo o galão de alferes
manchado de sangue)
Do teu sangue!
-- Eu como resisti
e não morri
deram-me uma cruz de guerra
-- Que pesa mais que a cruz de Cristo!
...
Sabes Capitão Valente?
Não,não sabes porque morreste!
Mas tem que saber o Povo!
--Falei com teus pais:
Não, eles não ficaram orgulhosos
com o feito sublimado
de saberem um filho calcinado
pelas chamas!

--Ninguém se pode orgulhar
por perder um filho
que lhes foi arrebatado
depois de 20 anos de canseiras
privações e sacrifícios!

Eles, teus pais
dos quais tantas vezes me falavas
queriam-te vivo
e não te trocavam por medalha nenhuma do mundo!...

Eras tu
A tua palavra de viver
A tua generosidade
A tua inconstância
A tua agressividade
o teu orgulho

Os teus vícios
E as tuas virtudes
--A tua presença

Aquilo que,
para eles de mais sagrado existia

O resto
Medalhas
fotografias nos jornais,
nome de rua (?)...
Não! isso não!...

--Eras filho único
Querias acabar o curso
...
Houve tantos que queriam acabar o curso!
Houve tantos que queriam aprender a ler!
Houve tantos que queriam conhecer
os filhos que nunca viram!

                                                       Capitão Calvinho.


UM ABRAÇO. SANTA.

1 comentário:

  1. O Capitão Calvinho passou a ser o meu ídolo, com todo o respeito, o "meu" Fernando Pessoa. Sempre que leio os seus poemas arrepio-me. Tanta verdade, tanta raiva e tanta subtileza nos "gritos" que nos atira através das palavras.
    Se fosse possivel no próximo 10 de Junho gostaria de fazer também à Nação um discurso que começaria assim: "TORRE ESPADA A TITULO POSTUMO" - Se não me promovem a major por distinção ..............................................................
    Houve tantos que queriam conhecer os filhos que nunca viram!"
    Juro que não seria acometido por nenhum colapso vagal.
    Abraço e respeito ao Cap.Calvinho.
    PS. - Santa agradeço informes qual é a editora que lança os seus livros.

    ResponderEliminar