quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

“OS RAPAZES” DO MEU PAÍS (Poema)

Por: F.Santa 
                              
Da autora do livro Mulher Combatente, que mais uma vez  vos digo que devem ler, com a sua devida autorização aqui vai mais um dos três poemas que vos prometi.


De Lurdes Loureiro:

“OS RAPAZES” DO MEU PAÍS 
                          
Tinham eles vinte anos
Os amores de tanta gente
Fosse ele um amor qualquer
Estava sempre uma mulher
A chorar constantemente

Tinham eles vinte anos
Rapazes da minha terra
Com sonhos no peito ardendo
Foram p’la Pátria morrendo
Foram mandados pr’a guerra

Tinham eles vinte anos
Rapazes do meu país
Por uma Pátria maior
Suportaram medo e dor
Que na alma eram raiz

Já não têm vinte anos
Rapazes do meu País
São homens rindo e chorando
O silêncio suportando
De guerra que ninguém quis

Têm bem mais que vinte anos
E ninguém sabe quem são
Incontáveis estilhaços
Cortaram-lhe a alma em pedaços
Magoam o coração

São eles heróis se escolta
Numa Pátria a apodrecer
Só quero gritar revolta
Que da minh’alma se solta
Contra quem nem quer saber!

E se conto em alta voz
Foi porque Deus assim quis
Que jamais nenhum de nós
Esqueça os “Rapazes-avós”
Rapazes do meu País


Devemos sempre ter na nossa mente, tudo o que se passou na nossa juventude no que diz respeito á guerra. Ela foi injusta para todos nós. Ela não acabou definitivamente. Ela só acabará quando morrer o último combatente, o último deficiente, e a última mulher do combatente.

                   Para todos com um grande abraço. SANTA:

Sem comentários:

Enviar um comentário