domingo, 2 de junho de 2013

O Convívio em Montemor-o-Novo

      ... Mas antes, uma  história do Lione:     
O PENTE QUE ME FOI DADO NO ALDEAMENTO DO “LANGA”
 Por: F. Santa
   Procurando umas coisas numa velha caixa, deparei-me com este pente (já um pouco estragado pelo tempo) o qual me trouxe à memória a maneira como ele me veio parar às mãos.  
O pente tem uma história engraçada. Eu fui até ao Langa dar uma olhadela à aldeia. Sentada numa espécie de banco, estava uma “Mué” tratando da sua beleza. Com este pente, tratava o seu cabelo encaracolado. Parei e fitei-a nos olhos. Era linda! Não lhe disse uma palavra sequer. Sorriu. Qual o meu espanto, estendeu a mão (na qual agarrava o pente) para mim. De momento não percebi a intenção. Foi então, que outra “Mué” me disse em palavras que eu entendi muito bem: É para ti! Ainda hoje não sei muito bem a que a levou a este seu gesto, pois nada lhe pedi e nada lhe dei em troca a não ser uma festa na cara. Recordo-me ainda hoje (com uma certa saudade) como ela era. Mexe-se aqui, mexe-se ali, e aparece sempre algo que nos liga ao passado e neste caso à guerra em que estivemos inseridos. Foi o tempo em que estivemos longe dos nossos familiares. Foi o tempo que foi contado vezes sem conta pelo calendário e também pelo relógio. Ainda me lembro daquele calendário de parede em que púnhamos um traço em cada dia que passava! O tempo passou. O regresso chegou. 
Viemos e o tempo continua a passar por nós, mas esse tempo já não o apanhamos, temos sim que apanhar o tempo em que agora vivemos e saboreá-lo da melhor maneira como o saboreámos no passado Sábado (dia 1) em Montemor – o – Novo no aniversário da nossa companhia. O nosso camarada Carlos Silva está de parabéns como realizou e encenou toda a festa. Ultrapassou todas as expectativas. Foi um relembrar saudável do nosso passado na guerra. As palavras não descrevem o que se passou mas sim as fotos que foram tiradas e que irão ser inseridas no nosso blog. Foi pena que muitos tivessem faltado à chamada mas mesmo assim, ainda estiveram presentes muitos camaradas nossos.

Sendo assim, aqui vão algumas fotos que irão dar início à cobertura  panorâmica do 45º aniversário da 2415 .

Apesar do pedido pelo nosso camarada Silva, praticamente só  eu é que fui mais ou menos fardado, e um corneteiro que apareceu não sei de onde!! Só ele sabe!





Estas primeiras fotos dão já uma ideia onde se realizou o nosso convívio. A charrete para dar uns passeios a cavalo pela
Herdade, o respectivo porco no espeto e mais uma panorâmica do local.
A quarta foto sou eu (o Santa) mais ou menos fardado como o nosso camarada Silva me tinha recomendado para aparecer.





A foto seguinte, é o momento em que se canta o hino da 2415. Segue-se outra que mostra já a formatura da companhia (o que vem restando dela) para se dar início à marcha para a cerimónia do hastear da Bandeira Nacional e da C.Cav. 2415 ao toque afinado de um corneteiro.
 
 Seguiu-se um minuto se silêncio em memória dos nossos camaradas já falecidos com a respectiva salva de tiros.



Assim começou um dos capítulos da história do nosso aniversário. Outros se seguirão.


Queria aqui deixar um abraço muito especial da 2415 para o nosso camarada Artur que se encontra por terras de Moçambique. Não te esquecemos. Porquê? Porque os amigos nunca se esquecem.

                  Para todos um grande abraço do Ex. Furr. SANTA

Sem comentários:

Enviar um comentário