terça-feira, 30 de abril de 2013

ILHA DE MOÇAMBIQUE: Como eu a vi (3)

Manuel Soares
Capela de
 NOSSA SENHORA DO BALUARTE

Fotos de Julho de 1970-M.Soares
Situa-se no extremo norte da ilha, mesmo sobre o mar. Nesse tempo sempre impecavelmente caiada, contrastando com o azul do céu e o do mar! Foi o primeiro templo cristão em Moçambique.
Está fora das muralhas da fortaleza, mas apenas por ela é acessível. Do site "ma-shamba" transcrevo esta linda descrição:
" A pequena capela de Nossa Senhora do Baluarte é a primeira instalação cristã na Ilha de Moçambique e, portanto, em todo o Moçambique. Singela é certo, é o primeiro (e único, diz-se) exemplar do estilo manuelino na África Oriental. Está lá bem na ponta da ilha, até para além da fortaleza, pequeno promontório. Olhando/orando (a)o mar. "

O templo é muito pequeno. Interessante o púlpito, sobre uma coluna, e a cúpula:


E, no chão, sepulturas, como esta do primeiro Bispo do Japão, Sebastião de Morais, aqui falecido em 1588:

Em relação às seguintes, não resisto em reproduzir, em contraponto com as minhas, as recentes que encontrei no já referido site "ma-shamba", à guisa de antes e depois...
São constatações que nos fazem doer a alma. 
 
Em 1970...

.
Estado actual
E este túmulo, na parede, de Fernão Martins Freire Andrade que foi capitão desta fortaleza e morreu na de Sofala em 1516, conforme se podia ler:

Em 1970...

... e agora profanado.

Ficam aqui algumas sugestões para quem se interessar por este marco presença portuguesa:

Capela de Nossa Senhora do Baluarte- Wikipedia

http://ma-schamba.com

 http://www.hpip.org/def/pt/

 http://www.monumentos.pt/Site/APP_


1 comentário:

  1. Tenho acompanhado esta recente "viagem" até à Ilha de Moçambique e ao interior da fantástica Fortaleza de S. Sebastião. Adorei lá viver algum tempo e conhecer o que naquela altura eu já admirava por todos os lados: a Ilha de Moçambique e a fortíssima influencia e presença portuguesa, aliás o único local que conheci em Moçambique em que essa presença e influencia é até comovente. Quero lá voltar!

    ResponderEliminar