* * * * Sábado, 20 de Maio ==> Convívio anual da "BRIOSA" 2415 em Montemor-o-Velho * * * *

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Mais 2 "gravuras da época" ...

Por: F. Santa


        A primeira foto é o Alf. Magalhães e o Fur. Paulo.
A 2ª  foto (da esq. para a dir.) é o Fur. Afonso (Transmissões), o Alf. Soares, o baixinho já não me lembro, depois é o fur. Paulo e o Artur Castro. Os outros dois também não me lembro do nome deles. A primeira foto não sei onde se situa, a segunda é em Lione. Espero que haja memórias mais frescas para ficarmos mais elucidados!

                                             
Para todos aqui vai mais uma saudação amiga. Um grande abraço.
                                          
                                                    SANTA



domingo, 27 de maio de 2012

RECORDAR

Por: F. Santa   



Julgo ser em Lione, quando do casamento do Paulo... Será? Ao fundo parece ser a cozinha. Quem souber mais sobre esta foto, avance!
 
Voltando ao nosso convívio, que três!  Artur C.,  Meira e  Magalhães:

Para o ano (segundo espero) o nosso convívio vai ser na zona de Montemor – o - Novo e está a cargo do nosso camarada Carlos Almeida Silva. Espero que a malta do Alentejo e Algarve, para o ano diga presente. Claro que o resto da malta também!

Já agora, deixo aqui um apelo ao nosso camarada Carlos Silva, que me mande a sua direcção correta e o seu número de contacto, pois queria falar com ele para lhe dar duas novas direcções.


Esta foto dá-nos uma ideia do aldeamento do Lione:





Como já bem sendo hábito, para todos um abraço do Santa. 


quarta-feira, 23 de maio de 2012

M.N.F.


Muito curioso este recorte de  jornal (?) sobre noticias de Antonio Enes no ano de (?), colocado no simpático  blog da "Associação dos Ex-Residentes no Parapato" (António Enes), no qual vou passando os olhos habitualmente e que me confirmou, se é que precisava,  que o engano daquela guerra era total.                                                                                                                                                Refiro-me   à preocupação do MNF em animar os soldados nas frentes de guerra.     Para isso,  treinavam outros militares privilegiados em musicos e cantores     que,   com as lindas  e  saudosas canções da longinqua metropole como "Mãezinha estás tão longe de mim" do conjunto Muge  e "Teus óculos de sol" da Natercia Barreto, intercaladas no meio dos grupos de "Ó malhão, malhão" ou daqueles entusiastas que já nasceram agarrados ao  acordeão e que os esgaçavam em todas as  notas, iam  depois, quais embaixadas do entretenimento, pelo mato adentro com a espinhosa  missão  de ajudar a elevar a moral dos coitados  lá longe desterrados.   Até fazia sentido se fosse esse o espirito (digo eu)!
Pensava ser   esta   (além  da  distribuição dos aerogramas, esferograficas de má qualidade e,    pior ainda, os    mata-ratos), a nobre missão do MNF organizado por  senhoras tão distintas da área da politica da época e não só.
Mas,   verifico agora,   que  aquela   organização (acho que no proximo 10 de Junho o alto dignatário da Nação   devia lhe prestar uma homenagem póstuma) andava distraída pois entendeu  que a cidade  de Antonio Enes  era um palco de guerra a 100% e precisada da maior ajuda possivel  de distracção e  regabofe   aos seus militares !
É a unica maneira de entender este equivoco, este engano,   em  detrimento daqueles que lá mais para o interior, no mato profundo nada tinham que os animasse, a não ser um  ou outro companheiro tocador  de gaita de beiços ou de viola desafinada.
A noticia diz que o espectaculo decorreu com brilhantismo e que agradou a toda a simpática população da cidade.   Ainda bem que assim foi e, com toda a certeza,  também  deve ter  animado  os militares lá instalados a 50% (ou menos?).   Do mal o menos, só  lamento tal paródia não ter tocado à  CCav.2415, que me lembre!  
Chamo a atenção para a variedade do programa.

domingo, 20 de maio de 2012

Apontamentos de memórias: "Um super almoço em Lione"

Por: Avelino Torcato Pereira "Choné"

Por causa do que disse o ex-furriel Santa sobre a qualidade da boa comida, principalmente do leitão, que nos foi servida no ultimo convivio, veio-me à memória um grande almoço que nos foi servido em Lione e que passo a relatar: 
Quando estávamos a chegar ao fim da estadia em Lione passou de visita ao aquartelamento  o Comandante do Sector daquela Região Militar.                                                    Para recebermos o Sr. General o pessoal teve de se pôr todo nos trinques e a ementa do almoço nesse dia foi 1/4 de frango grelhado com batatas fritas em vez do arroz ou espagueti que nos davam todos os dias.
O pessoal nem cabia em si de contente pois apesar do quarto de frango não caber na cova dum dente, dava para matar saudades.
Depois da partida daquele grande senhor no helicoptero, fui junto do nosso capitão e  disse-lhe:  "Ó meu capitão a partir de agora requisito a vinda do  nosso general  a Lione todos fins de semana, pois  se for sempre 1/4 de frango com batatas fritas já é suficiente para matar a fome uma vez por semana".
O nosso capitão olhou para mim e respondeu: "Você é sempre o mesmo não tem remédio".
Eu perguntei-lhe:  Mas será que tenho razão ou não? Porque todos sabemos que somos bastante infelizes com respeito às refeições que nos são servidas".
O nosso capitão deu a conversa por terminada, mas antes ainda disse outra vez: "Você é sempre o mesmo".
E pergunto agora a todos: E sabem porquê? Porque eu era o "revolucionário" pela voz da razão e nunca me calava.

Avelino Torcato Pereira "Choné"

             

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Ainda o convívio

Por:  F. Santa   


Nunca é demais dar a conhecer o restaurante onde se realizou o convívio da nossa companhia. Porquê? Salvo a publicidade, fomos bem servidos e por um preço acessível aos dias de hoje e segundo sei foi do agrado de todos. Como organizador, não podia deixar passar em branco e deixar aqui um obrigado à D. Lídia com quem tratei de tudo.

Falando um pouco sobre os convívios, eles são a maneira mais saudável depois de tantos anos passados, relatar os episódios da guerra mais ao pormenor. Felizmente que para muitos o trauma da guerra não os afectou, para outros já o caso muda de figura. Hoje tenho a certeza que os nossos filhos e os nossos netos têm orgulho de nós. Espero também, sobre aqueles que tombaram no teatro de guerra e que já cá deixaram filhos, que alguém saiba  dizer-lhes que os pais morreram como heróis.
Esta guerra do ultramar, é daquelas coisas que por mais voltas que tentemos dar ao pensamento não se consegue entender!
Depois de tudo isto, não seria justo esquecer aqueles e aquelas que guardavam no peito a dor da ausência de todos nós. Eram os pais, as mães, as mulheres e as noivas que por vezes no silêncio da vida, derramavam as suas lágrimas até ao nosso regresso. Queria aqui deixar uma palavra de agradecimento a todas as esposas que nos têm aturado durante estes anos todos. Para algumas tem sido bem difíceis. Também aqui deixo uma palavra para aquelas que receberam os seus filhos, os seus maridos e os seus noivos deficientes e que souberam aceitar a sua condição ao longo de todos estes anos e acompanhá-los com todo o amor e carinho. Não tem sido fácil. Um bem-haja para todas elas, pois também fazem parte da nossa história.

 Já agora, quão saudável é ver nos nossos convívios além das esposas, os nossos filhos com as suas esposas e os nossos netos e até por vezes, amigos!!


Mais uma recordação:



Eis o nosso camarada Furr. Paulo, junto a uma viatura a precisar de bate-chapas!


Um abraço para todos do SANTA

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Os morros de muchém

Por: F. Santa   

           BAGA BAGA / TERMITEIRAS
Quem não se lembra disto? Na célebre viagem de comboio de Nacala para o Catur, ao longo de quase todo o trajecto, olhando pelas janelas, viam-se às dezenas destes autênticos monumentos feitos pelas formigas que lhes dão o nome. Uma termiteira pode atingir mais de 8 metros de altura. Estes monumentos construídos por elas, são duros como pedra!

 

ESTA É A FAMOSA TÉRMITA.
São brancas e moles. Alimentam-se muito especialmente de celulose que se encontra na madeira.








*    *    *    *    *    *    *    *    *


 Aqui está o Santa armado em caçador! Esta foto foi tirada em Lione no dia 2-2-69 num dia de descanso. O nome da ave, já não me lembro muito bem. Seria um abutre? Não sei.

 
Esta foto foi tirada, quando eu tinha 7 dias de guerra. Foi no destacamento de Matipa. Esta viatura que se vê, foi o nosso querido transporte (10 homens). Tínhamos chegado há três dias quando me obrigaram (o alferes da companhia que vinha embora) a fazer o trajecto de Chala para o célebre destacamento de Matipa, pouco mais de 50 quilómetros (de noite) sem qualquer conhecimento da picada nem sequer do que íamos encontrar no destacamento. Ainda cheiravamos à “NAFTALINA.” Podia ter sido mais uma história de guerra com um final triste.
                                                                                     SANTA             



sexta-feira, 11 de maio de 2012

O Cachapela deixou-nos

A má notícia foi-me hoje dada pelo Santa: à lista dos já desaparecidos, homenageados no nosso convívio recente, há que acrescentar o companheiro Armando Cachapela, que creio que residia na Amora (Seixal). Está assim explicada a sua ausência, pelo pior motivo.
Pertenceu ao meu Grupo de Combate. Tenho a certeza de interpretar o sentimento de todos os que o conhecemos, na 2415, ao apresentar à Família os nossos votos de pesar.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

CONVÍVIO 2012 - 3

... Já com o estômago bem aconchegado, chegou o momento do "discurso", em que o incansável SANTA, com a eloquência que já lhe reconhecemos, conseguiu deleitar todos os presentes com as suas palavras que todos sentimos serem sinceras. 
Nestes dois vídeos lembramos a sua alocução, tendo eu muita pena de que a "máquina" não tenha aguentado até ao final ...





A seguir, o Santa continuou a referir alguns dos ausentes por motivo de doença, nomeadamente o Serrano, o Vilas Boas e o nosso Capitão. E prestou homenagem aos camaradas já falecidos, que referiu pelos nomes, incluindo os caídos em África e os falecidos depois do regresso.
A câmara não teve mais memória ... De qualquer forma, "cliquem" nas imagens seguintes, para  ler na íntegra...
- 1 -




- 2 -
- 3 -
             Após a lembrança daqueles que já partiram, foi guardado, em sua memória, um minuto de silêncio:


Seguiu-se a sobremesa, em que os convivas esqueceram por um dia a dieta (eu, pecador me confesso...), com o habitual café e digestivos. E a festa terminou com o habitual Parabéns... à 2415!

E assim termina esta despretensiosa crónica, com uma nota de louvor ao Santa, que três anos seguidos nos recebeu tão galhardamente. Claro que incluo neste agradecimento a sua simpática Esposa, e o neto Paulo,  o seu assessor para a informática  que faz chegar ao Blog os artigos que tanto apreciamos...
Também me parece de justiça realçar o Serviço do Restaurante "O Sancho", que, ao que me foi dado perceber, foi do agrado geral.

Manuel Soares      
 



terça-feira, 8 de maio de 2012

CONVÍVIO 2012 - 2

Entretanto o apetite aumentava, e foi com agrado que, à falta de clarim, soou a ansiada ordem do Santa: TODOS PARA DENTRO !
E valeu a pena: Primeiro as entradas, degustadas em pé como é da praxe, com muito "bom aspecto e paladar"; a seguir à canjinha, o bacalhau do forno e o leitão à moda da região, tudo regado com o "fruto da videira e do trabalho do homem", como reza a liturgia...
E aqui se interrompe o relato, para ilustrar a boa disposição dos comensais:

Ainda falta o discurso e os doces ....


,

segunda-feira, 7 de maio de 2012

domingo, 6 de maio de 2012

CONVÍVIO 2012 - 1

Finalmente chegou o 5 de Maio ! O inverno, que nos visitou este ano na Primavera, fez uma trégua e permitiu uma viagem sem sobressaltos. O nosso anfitrião, o incansável Santa, lá estava no restaurante "O Sancho" recebendo os Cavaleiros com galhardia habitual.
Por hoje ficam os primeiros registos fotográficos da chegada, no parque de estacionamento do restaurante:    (clique em cada foto para ampliar...)
 













E "clique" na seta abaixo para ver a "panorâmica"...