quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Preso em Moçambique

 
(Apontamento tirado do caderno de memorias do Paulo Antunes)


Ao ver este pequeno apontamento tirado do caderno de memorias do Paulo Antunes, que até se poderá chamar "curiosidades da guerra", lembrei-me das historias de famosos prisioneiros como o "Papillon", romance do francês Henri Charriere e vivido pelo proprio, que a maioria de nós devorou página a página.
Estes desterrados é que se dedicavam a contar e a escrever os dias que iam passando, talvez imaginando que isso fizesse a terra girar mais depressa. Lembro-me de já ter visto em filmes do género os reclusos a gravarem nas paredes das celas, ao lado das fotos de mulheres fartas, os dias que iam passando e, no fim de cada semana, traçavam-na com um risco.
Há aqui, em meu entender, uma analogia, olhemos o "gráfico" em questão e só temos de aceitar que em vez de semanas o Paulo Antunes prefere os domingos.
E, assim, como um recluso desterrado para terras de África, castigado por um mal que nunca fez, teve a sorte de sofrer só uma pena de 10 séries de 10 domingos + 4 domingos avulso, o que totaliza:   104 domingos preso em Moçambique até lhe ser dado o direito de voltar para junto dos seus. Coisa que, infelizmente, não aconteceu a milhares de muitos de nós.
Sobre os 6 mata-bichos nada me disse. Talvez seja um mistério! Há que respeitar.
 

1 comentário:

  1. Esta "linha do tempo" do Paulo Antunes não será a única desenhada em Moçambique: marcadas em calendários ou em paredes de casernas as vi eu, ou então no formato de " FALTAM ... DIAS PARA A PELUDA " em que a contagem decrescente era anotada diariamente, tantas vezes emoldurada por fotos de modelos da playboy...
    Mas a contagem dos domingos num "diário" para a posteridade, deve ser mesmo inédita! E... porquê os domingos? Só o próprio Paulo o saberá!
    Reparem no "preciosismo" da distinção entre Comissão (os 104 domingos, referentes ao dois anos "oficiais" = 52 + 52 semanas) e mata-bicho - o tempo excedente até ao regresso efectivo.
    (Para quem já esqueceu, a expressão mata-bicho, além de significar pequeno almoço, também se referia àquilo que vinha por acréscimo, normalmente uma gratificação ou gorjeta...)
    Um abraço de Boas Festas ao Antunes com o agradecimento por partilhar connosco estas curiosidades.

    ResponderEliminar