* * * * Sábado, 20 de Maio ==> Convívio anual da "BRIOSA" 2415 em Montemor-o-Velho * * * *

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Quem diz o ano?

 Por: F. Santa  
FALTAVA RECORDAR ESTE CONVÍVIO
 


Foi em Antes, na zona da Mealhada, mas não me lembro do ano. Alguém se recorda?


Tenho visto que somos visitados por muita gente de quase todo o mundo. Para eles vai, da minha parte e, com certeza, também da parte daqueles que criaram este blog, o nosso agradecimento pelo tempo que que ao longo destes anos nos têm  dedicado com a vossa visita. Sempre que queiram, podem comentar os diversos assuntos que aqui são tratados pois torna mais rico o nosso blog. Para todos um bem-haja e um grande abraço! 






Aqui está o menú com que éramos presenteados quando íamos para o mato: nele pode ver-se o leitão, o cabrito, o bom peixe, o bom vinho, … mas O QUE É QUE EU ESTOU A DIZER? Ah! Agora é que vi que estava a sonhar! De tudo aqui representado, vejo as duas latinhas na caixinha do lado esquerdo e as duas latinhas em cima na outra caixa que para mim eram o que sabia melhor. Para quem não sabe, além do armamento, tínhamos também que arranjar espaço para transportar a caixinha ou as caixinhas. Tudo dependia das circunstâncias e da duração do "passeio"!



Para todos um abraço. SANTA

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Joao Americo Rodrigues Afonso


É o 1ro cabo AP METRALHADORA Joao Americo Rodrigues Afonso
Foi o filho Jean stéphane Afonso ( jsaf75@icloud.com ) que as enviou de Paris onde vive, que conhece o nosso blog.
Por acaso lembro-me muito bem do "Afonso", que era do meu Pelotão, o 4º!

Chegou a hora da razão!

Aos habituais "olheiros" do nosso blog, que muito respeito, peço-lhes que me perdoem a ousadia de aqui colocar um tema algo diferente do usual. Mas há momentos que nos deixam de tal modo indignados, precisamente este, que arrisco o abuso e, como se costuma dizer, aqui vai.
Palavras para quê? Foi e continua a ser um grande Senhor da nossa praça.
Já alguém se lembrou de fazer correr na internet uma petição, tão na moda, para uma nova recandidatura (excepcionalmente) a Presidente da Republica?
Tenho certeza que ganharia por uma maioria absoluta, e o País e todos nós, indignados, sairiamos a ganhar. Não é caso único por esse mundo fora, apesar da sua idade.
Chegou a hora da razão. Senhor General a Pátria pede-lhe mais este sacrificio.
Para aqueles que julgam a ideia "pateta", renovo o pedido de desculpas, mas fico com a minha!

 

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Memórias fotográficas do Nuno Vivaldo (II)



Lendo o correio "fresquinho"


Piscina na picada...  e nós sem calção de banho !

Entre Lione e Nova Guarda
Reparem no para brisas os impactos das balas que tinham vitimado o Santos e o Carvalhinho na emboscada do Caracol




segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Memórias fotográficas do Nuno Vivaldo (I)


 Desta vez retrata-se o repouso dos guerreiros durante uma operação de patrulhamento na zona de actuação do Lione, muito provavelmente entre esta localidade e Chala, nas imediações do Malawi. Participaram 2 Grupos de Combate. Como se nota pela descontracção do pessoal, não se esperava contacto com o inimigo... 








 O exemplo vem dos "chefes" ...



  

Desafiamos os "retratados" a dizerem de sua justiça, escrevendo os seus comentários ...

 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A visita ao VILAS BOAS

Por: Amândio Baptista



Conforme publicado em “comentários”, a minha visita ao Vilas Boas, tinha como objetivo proporcionar-lhe a visualização geral do nosso blog. Se por um lado isso foi gratificante para mim, também teve um senão. É que o blog é tão extenso, que por razões de tempo nos limitamos a ver apenas uma parte e, mesmo assim, principalmente os títulos e as fotografias. A propósito, como me parece, há poucas fotografias dele, daquela época, eu queria muito mostrar-lhe a foto onde ele está devidamente equipado e perfilado com os outros membros da equipa, prontos para mais um confronto que nos ia deliciar com mais uma excelente exibição. Já antes abri várias vezes essa página, por acaso. Nesse dia queria encontra-la, mas não consegui. Nas fotografias que fomos vendo, ele também não estava. Assim, terminámos a sessão tirando uma fotografia através da câmara do computador. E aí está ela, apesar dos recursos limitados de que a câmara dispõe, ajuda a documentar esse dia.

«Nota da Redacção» : aqui se reproduz a tal foto com o Vilas Boas equipado e perfilado ...

sábado, 10 de novembro de 2012

Tintins da felicidade!

Como sempre o faço cá estou de novo a divulgar mais um livro do grande romancista António Brito que, como todos nós,  também penou na guerra ultramarina, precisamente em Moçambique.
Especialista em contar histórias sobre o dia a dia dos combatentes, todas baseadas na sua vivência, não poupa na crueza das palavras o que, em meu entender, torna os seus romances autênticas obras primas.  
De certeza que ninguém fica indiferente, pois em cada página que lemos somos atirados  para personagens do livro.  Em tudo, principalmente na pormenorização dos acontecimentos, que nos reaviva a memória e nos enche de gozo.
O livro tem por titulo "Sagal - Um herói feito em África".   O nome do "herói" Sagal  tem a ver com a localidade em Cabo Delgado pois parte da história é passada naquela zona.
A sua leitura leva-nos duma penada à "nossa guerra".  Para os que não se incomodam com isso, recomendo vivamente que leiam a obra.
Aqui fica um pequeno excerto que toca naquele assunto que todos os combatentes, sem excepção (digo eu),  se preocupavam em defender o mais possivel.   Infelizmente muitos não o conseguiram!
(Grande Foice = morte)




quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Recordação de MATIPA

Por:  F. Santa

Já nem sequer me lembrava do objecto que esta foto mostra. Cada vez que remexo no passado, algo aparece que me traz novas lembranças da guerra e, de certa maneira, dos locais onde estive. Pois bem. Este “colar”, feito de sementes, foi feito por uma jovem moçambicana nos confins do mato: ”Matipa”. Foi-me oferecido no dia em que fomos (a pedido do chefe da pequena aldeia) ao mato, para fazer escolta a seis membros da população e ir com eles buscar uma jovem que tinha pisado uma mina. Depois de andarmos alguns quilómetros, a jovem foi encontrada mas já sem vida, vida que (segundo o pai) durou só 16 anos. Não éramos só nós: eles também sofriam com a guerra. Fizemos uma espécie de padiola e transportámos a jovem para a aldeia. Foi então que uma jovem me ofereceu este colar. Como agradecimento? Não sei. Afinal, estávamos ali para o que desse e viesse. Era a nossa missão.


 E mais duas imagens :
 Um Héli, em pleno teatro de guerra. Vejam a perícia que os pilotos tinham para conseguir aterrar sem sofrer danos!
 
   BERLIET atascada!

               Mais uma vez...  do Santa, com um abraço para todos!



terça-feira, 6 de novembro de 2012

"In memoriam" 06-11-1969

Lembrando

JOÃO VAZ DOS SANTOS

que tinha sido ferido no accionamento de mina em 30 de Outubro


domingo, 4 de novembro de 2012

Troféus de guerra em troca de vidas



Estes apontamentos do Paulo Antunes, nosso reporter de guerra "in loco", demonstram uma realidade cruel da guerra que vivemos.
Julgo que, sem se aperceber de tamanha crueldade ia escrevendo, no aconchego da caserna, as folhas do caderno que, passados tantos anos, ainda nos fazem pasmar de incredulidade.    Essa indiferença permitia-lhe juntar na mesma folha tanto o material de guerra capturado ao IN como os nossos mortos e feridos.  Acredito que só a ingenuidade lhe permitia uma mistura algo tétrica dos tais troféus de guerra com os nomes dos companheiros que ficavam sem a própria vida e que, na época, conveniente e orgulhosamente, se dizia: "Em nome da Pátria". Conveniências politicas, podemos lhe chamar.
Não me vou alongar, pois o protagonismo é do companheiro Paulo Antunes com os seus extraordinários apontamentos escritos que ainda hoje perduram nas nossas memórias para, assim, mantermos o direito de continuar a denunciar este hediondo crime de guerra, mais conhecida por "Guerra Ultramarina" que, precocemente, tirou as vidas a muitos milhares de jovens.