quarta-feira, 23 de maio de 2012

M.N.F.


Muito curioso este recorte de  jornal (?) sobre noticias de Antonio Enes no ano de (?), colocado no simpático  blog da "Associação dos Ex-Residentes no Parapato" (António Enes), no qual vou passando os olhos habitualmente e que me confirmou, se é que precisava,  que o engano daquela guerra era total.                                                                                                                                                Refiro-me   à preocupação do MNF em animar os soldados nas frentes de guerra.     Para isso,  treinavam outros militares privilegiados em musicos e cantores     que,   com as lindas  e  saudosas canções da longinqua metropole como "Mãezinha estás tão longe de mim" do conjunto Muge  e "Teus óculos de sol" da Natercia Barreto, intercaladas no meio dos grupos de "Ó malhão, malhão" ou daqueles entusiastas que já nasceram agarrados ao  acordeão e que os esgaçavam em todas as  notas, iam  depois, quais embaixadas do entretenimento, pelo mato adentro com a espinhosa  missão  de ajudar a elevar a moral dos coitados  lá longe desterrados.   Até fazia sentido se fosse esse o espirito (digo eu)!
Pensava ser   esta   (além  da  distribuição dos aerogramas, esferograficas de má qualidade e,    pior ainda, os    mata-ratos), a nobre missão do MNF organizado por  senhoras tão distintas da área da politica da época e não só.
Mas,   verifico agora,   que  aquela   organização (acho que no proximo 10 de Junho o alto dignatário da Nação   devia lhe prestar uma homenagem póstuma) andava distraída pois entendeu  que a cidade  de Antonio Enes  era um palco de guerra a 100% e precisada da maior ajuda possivel  de distracção e  regabofe   aos seus militares !
É a unica maneira de entender este equivoco, este engano,   em  detrimento daqueles que lá mais para o interior, no mato profundo nada tinham que os animasse, a não ser um  ou outro companheiro tocador  de gaita de beiços ou de viola desafinada.
A noticia diz que o espectaculo decorreu com brilhantismo e que agradou a toda a simpática população da cidade.   Ainda bem que assim foi e, com toda a certeza,  também  deve ter  animado  os militares lá instalados a 50% (ou menos?).   Do mal o menos, só  lamento tal paródia não ter tocado à  CCav.2415, que me lembre!  
Chamo a atenção para a variedade do programa.

Sem comentários:

Enviar um comentário