segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

* * * * * 2013 * * * * *

Por: F.Santa
Camaradas:
O camarada Santa deseja a todos os camaradas da 2415 e suas famílias um bom ano de 2013 com muita saúde, paz e amor, bem como a todos os camaradas de guerra e visitantes do nosso blog. Que o próximo ano traga para todos nós um pouco mais de alegria e menos sofrimento.

Um abraço para todos deste vosso amigo:
 SANTA.


domingo, 23 de dezembro de 2012

"Ordem de Serviço"

Determino e mando publicar:
.Artigo único:
Ao efectivo desta CCAV 2415, suas Famílias e Amigos:
BOAS FESTAS
e Feliz ANO NOVO!
O Comandante,
António Amaral Amado

sábado, 22 de dezembro de 2012

PARA TODOS OS VOTOS DE UM SANTO NATAL

 
E Novo Ano repleto de saúde !
 Vivaldo             

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

BOAS FESTAS

Os moderadores do blog desejam aos nossos amigos e ex-companheiros da CCav.2415 e suas famílias e a todos aqueles que nos visitam e fazem o favor de nos acompanharem  votos de
FELIZ NATAL E UM ANO NOVO CHEIO DE PROSPERIDADES


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Natal




Camaradas

Estamos mais uma vez na Quadra Natalícia. Os anos passam sem dar conta como se fosse um sonho. O mundo pula e avança (como diz o poeta) para a sua própria destruição.
A relação do homem com a Natureza é de uma exploração sem limites. É triste ver os nossos rios com águas turvas,  ver o mar poluído e cada vez com menos peixe, os nossos campos invadidos por adubos e outras coisas mais que nos afectam a saúde, é o cimento das fábricas e de certas construções aberrantes. Nas cidades cada vez é mais difícil viver, o silêncio não se encontra ou até mesmo respirar. As nossas aldeias são assaltadas de diversas maneiras deixando um rasto de medo. É a violência doméstica, são os abusos sexuais, é o crime em geral, e tudo é feito pela mão do homem que destrói tudo sem apelo nem agravo. E quando certas coisas são feitas em nome da civilização e do progresso? Mas aqui, entram as máquinas inventadas pela inteligência do homem para tudo destruir.
Enquanto o homem recusar a beleza e a harmonia do Universo e a beleza do seu planeta e destruir a ambos, enquanto puser em causa a paz e recusar o amor, o mundo definhará.
Estamos todos em crise. ESTAMOS? NÃO. SÓ ALGUNS. A injustiça do homem (classe política) prevalece sempre sobre os mais pobres, fazendo-os mais pobres e os ricos mais ricos, espalhando a sua indiferença por todos aqueles que vivem na angústia da dita crise. Para ser possível terminar com estas injustiças, bastava a classe política e o homem em geral pôr fora a ânsia do poder, da grandeza, do domínio, e a avareza.
Vamos celebrar o Natal. Que os homens, e especialmente os nossos políticos que nesta quadra nos adoçam com frases sentidas falando ao nosso coração de paz e amor, parem um pouco para pensar na diferença que há entre eles, políticos, e o povo cidadão deste País, um jardim à beira-mar plantado que é Portugal. A maior parte, chega ao fim do mês e tem que pagar a sua casa ao banco ou a renda, e a água, luz, gás, alimentação e ainda as despesas com os filhos. E dinheiro? Sem trabalho, cortes nos salários daqueles que ainda o têm, cortes nas reformas (que algumas são esmolas), não há dinheiro que chegue! Há fome, há miséria, há dívidas, há depressões. E os políticos? É que vocês, governantes e os políticos em geral, têm dinheiro para tudo isto e mais alguma coisa. Dinheiro não falta, fome não passam, dívidas não têm. Que este Natal lhes clarifique as ideias e que nos dêem boas notícias em 2013. De contrário, que as consciências lhes pesem.
Camaradas. O vosso colega e amigo Santa, deseja aos mais desprotegidos, aos mais abandonados, aos mais necessitados, aos pobres, aos injustiçados, aos marginalizados, um Santo Natal na medida do possível junto das famílias e que ele vos traga muita saúde e muita paz. Aos ricos, aos poderosos, aos beneficiados, aos privilegiados, o que desejo? Que mudem de política e se lembrem daqueles que atrás descrevi. Só assim lhes poderei desejar um bom Natal na sua plenitude. Já agora, não se esqueçam também de todos aqueles que andaram na guerra do Ultramar. Dos seus problemas, das suas angústias, e especialmente dos Deficientes e suas famílias, que são tantos e precisam de ajuda. Que a Pátria não os abandone como abandonados estão aqueles cujas sepulturas se encontram espalhadas por terras do Ultramar. 
 NATAL; NATAL; NATAL. Que mudem as mentalidades dos nossos governantes, que os ricos deixem de ser mais ricos e os pobres passem a ser mais ricos. Este é o meu desejo, um desejo de Natal.






Que este Natal de 2012 traga para todos nós camaradas da 2415, e para todas as nossas famílias, muita saúde, paz e amor. Este desejo estende-se também a todos os nossos camaradas de guerra e a todos aqueles que têm visitado o nosso blog. Para todos um Santo Natal!


Que todos em geral, recebam no sapatinho a prenda que mais  desejarem. Deste vosso camarada e amigo, com o espírito Natalício, recebam um abraço do tamanho do mundo.



SANTA


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Preso em Moçambique

 
(Apontamento tirado do caderno de memorias do Paulo Antunes)


Ao ver este pequeno apontamento tirado do caderno de memorias do Paulo Antunes, que até se poderá chamar "curiosidades da guerra", lembrei-me das historias de famosos prisioneiros como o "Papillon", romance do francês Henri Charriere e vivido pelo proprio, que a maioria de nós devorou página a página.
Estes desterrados é que se dedicavam a contar e a escrever os dias que iam passando, talvez imaginando que isso fizesse a terra girar mais depressa. Lembro-me de já ter visto em filmes do género os reclusos a gravarem nas paredes das celas, ao lado das fotos de mulheres fartas, os dias que iam passando e, no fim de cada semana, traçavam-na com um risco.
Há aqui, em meu entender, uma analogia, olhemos o "gráfico" em questão e só temos de aceitar que em vez de semanas o Paulo Antunes prefere os domingos.
E, assim, como um recluso desterrado para terras de África, castigado por um mal que nunca fez, teve a sorte de sofrer só uma pena de 10 séries de 10 domingos + 4 domingos avulso, o que totaliza:   104 domingos preso em Moçambique até lhe ser dado o direito de voltar para junto dos seus. Coisa que, infelizmente, não aconteceu a milhares de muitos de nós.
Sobre os 6 mata-bichos nada me disse. Talvez seja um mistério! Há que respeitar.
 

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Memórias fotográficas do Nuno Vivaldo (IV)





Nao é só o Santa. Eu tambem tenho ...

E tenho mais este louvor !!!


  
Lione, janeiro 69: esperando clientes ...


Já não há viaturas? levamos esta ...




Lione: com o Samuel, junto a árvore de natal em 1968 , no edifício dos oficiais



 Imensas saudades (do sarg. "Carvalhinho")


sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O "matope"... e as armas !!!

Por: F. Santa
 
Esta foto ilustra bem o que era andar pelas picadas no tempo das chuvas. É da autoria da Comp. de Caçadores 2728 que segundo julgo foi a  que esteve no Lione e em Chala a seguir a nós (1970 – 1972). Corrijam-me se estiver enganado.
A picada parece ser a caminho do Lione. Será?
 
E as duas a seguir foram enviadas pelo nosso camarada Dias, de Avintes. Gostava que alguém comentasse tanta fartura !
 
 
 
 
 
 
                  Para todos um abraço. SANTA
 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Memórias fotográficas do Nuno Vivaldo (III)




Lione: Os dois Sargentos e (parece-me...) de costas o Furr. Moreira

Lione, 24/03/69: o batismo do Paulo (que está de costas ao meu lado)


Valadim, Out.69: mina que fez 2 mortos e 6 feridos



Ponte sobre o rio MILULI na picada A.Enes - Moma, construida em 1960


As legendas supra são do Nuno Vivaldo;  as duas fotos  a seguir não a tem, mas o cartaz diz tudo:




segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

QUANDO VAMOS?????

QUANDO VAMOS A MOÇAMBIQUE VISITAR O CASTRO QUE JULGO QUE DEVE MESMO ESTAR  APARTIR PARA LÁ, OU ATÉ JÁ LÁ ESTÁ?

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Quem diz o ano?

 Por: F. Santa  
FALTAVA RECORDAR ESTE CONVÍVIO
 


Foi em Antes, na zona da Mealhada, mas não me lembro do ano. Alguém se recorda?


Tenho visto que somos visitados por muita gente de quase todo o mundo. Para eles vai, da minha parte e, com certeza, também da parte daqueles que criaram este blog, o nosso agradecimento pelo tempo que que ao longo destes anos nos têm  dedicado com a vossa visita. Sempre que queiram, podem comentar os diversos assuntos que aqui são tratados pois torna mais rico o nosso blog. Para todos um bem-haja e um grande abraço! 






Aqui está o menú com que éramos presenteados quando íamos para o mato: nele pode ver-se o leitão, o cabrito, o bom peixe, o bom vinho, … mas O QUE É QUE EU ESTOU A DIZER? Ah! Agora é que vi que estava a sonhar! De tudo aqui representado, vejo as duas latinhas na caixinha do lado esquerdo e as duas latinhas em cima na outra caixa que para mim eram o que sabia melhor. Para quem não sabe, além do armamento, tínhamos também que arranjar espaço para transportar a caixinha ou as caixinhas. Tudo dependia das circunstâncias e da duração do "passeio"!



Para todos um abraço. SANTA

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Joao Americo Rodrigues Afonso


É o 1ro cabo AP METRALHADORA Joao Americo Rodrigues Afonso
Foi o filho Jean stéphane Afonso ( jsaf75@icloud.com ) que as enviou de Paris onde vive, que conhece o nosso blog.
Por acaso lembro-me muito bem do "Afonso", que era do meu Pelotão, o 4º!

Chegou a hora da razão!

Aos habituais "olheiros" do nosso blog, que muito respeito, peço-lhes que me perdoem a ousadia de aqui colocar um tema algo diferente do usual. Mas há momentos que nos deixam de tal modo indignados, precisamente este, que arrisco o abuso e, como se costuma dizer, aqui vai.
Palavras para quê? Foi e continua a ser um grande Senhor da nossa praça.
Já alguém se lembrou de fazer correr na internet uma petição, tão na moda, para uma nova recandidatura (excepcionalmente) a Presidente da Republica?
Tenho certeza que ganharia por uma maioria absoluta, e o País e todos nós, indignados, sairiamos a ganhar. Não é caso único por esse mundo fora, apesar da sua idade.
Chegou a hora da razão. Senhor General a Pátria pede-lhe mais este sacrificio.
Para aqueles que julgam a ideia "pateta", renovo o pedido de desculpas, mas fico com a minha!

 

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Memórias fotográficas do Nuno Vivaldo (II)



Lendo o correio "fresquinho"


Piscina na picada...  e nós sem calção de banho !

Entre Lione e Nova Guarda
Reparem no para brisas os impactos das balas que tinham vitimado o Santos e o Carvalhinho na emboscada do Caracol




segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Memórias fotográficas do Nuno Vivaldo (I)


 Desta vez retrata-se o repouso dos guerreiros durante uma operação de patrulhamento na zona de actuação do Lione, muito provavelmente entre esta localidade e Chala, nas imediações do Malawi. Participaram 2 Grupos de Combate. Como se nota pela descontracção do pessoal, não se esperava contacto com o inimigo... 








 O exemplo vem dos "chefes" ...



  

Desafiamos os "retratados" a dizerem de sua justiça, escrevendo os seus comentários ...

 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A visita ao VILAS BOAS

Por: Amândio Baptista



Conforme publicado em “comentários”, a minha visita ao Vilas Boas, tinha como objetivo proporcionar-lhe a visualização geral do nosso blog. Se por um lado isso foi gratificante para mim, também teve um senão. É que o blog é tão extenso, que por razões de tempo nos limitamos a ver apenas uma parte e, mesmo assim, principalmente os títulos e as fotografias. A propósito, como me parece, há poucas fotografias dele, daquela época, eu queria muito mostrar-lhe a foto onde ele está devidamente equipado e perfilado com os outros membros da equipa, prontos para mais um confronto que nos ia deliciar com mais uma excelente exibição. Já antes abri várias vezes essa página, por acaso. Nesse dia queria encontra-la, mas não consegui. Nas fotografias que fomos vendo, ele também não estava. Assim, terminámos a sessão tirando uma fotografia através da câmara do computador. E aí está ela, apesar dos recursos limitados de que a câmara dispõe, ajuda a documentar esse dia.

«Nota da Redacção» : aqui se reproduz a tal foto com o Vilas Boas equipado e perfilado ...

sábado, 10 de novembro de 2012

Tintins da felicidade!

Como sempre o faço cá estou de novo a divulgar mais um livro do grande romancista António Brito que, como todos nós,  também penou na guerra ultramarina, precisamente em Moçambique.
Especialista em contar histórias sobre o dia a dia dos combatentes, todas baseadas na sua vivência, não poupa na crueza das palavras o que, em meu entender, torna os seus romances autênticas obras primas.  
De certeza que ninguém fica indiferente, pois em cada página que lemos somos atirados  para personagens do livro.  Em tudo, principalmente na pormenorização dos acontecimentos, que nos reaviva a memória e nos enche de gozo.
O livro tem por titulo "Sagal - Um herói feito em África".   O nome do "herói" Sagal  tem a ver com a localidade em Cabo Delgado pois parte da história é passada naquela zona.
A sua leitura leva-nos duma penada à "nossa guerra".  Para os que não se incomodam com isso, recomendo vivamente que leiam a obra.
Aqui fica um pequeno excerto que toca naquele assunto que todos os combatentes, sem excepção (digo eu),  se preocupavam em defender o mais possivel.   Infelizmente muitos não o conseguiram!
(Grande Foice = morte)




quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Recordação de MATIPA

Por:  F. Santa

Já nem sequer me lembrava do objecto que esta foto mostra. Cada vez que remexo no passado, algo aparece que me traz novas lembranças da guerra e, de certa maneira, dos locais onde estive. Pois bem. Este “colar”, feito de sementes, foi feito por uma jovem moçambicana nos confins do mato: ”Matipa”. Foi-me oferecido no dia em que fomos (a pedido do chefe da pequena aldeia) ao mato, para fazer escolta a seis membros da população e ir com eles buscar uma jovem que tinha pisado uma mina. Depois de andarmos alguns quilómetros, a jovem foi encontrada mas já sem vida, vida que (segundo o pai) durou só 16 anos. Não éramos só nós: eles também sofriam com a guerra. Fizemos uma espécie de padiola e transportámos a jovem para a aldeia. Foi então que uma jovem me ofereceu este colar. Como agradecimento? Não sei. Afinal, estávamos ali para o que desse e viesse. Era a nossa missão.


 E mais duas imagens :
 Um Héli, em pleno teatro de guerra. Vejam a perícia que os pilotos tinham para conseguir aterrar sem sofrer danos!
 
   BERLIET atascada!

               Mais uma vez...  do Santa, com um abraço para todos!



terça-feira, 6 de novembro de 2012

"In memoriam" 06-11-1969

Lembrando

JOÃO VAZ DOS SANTOS

que tinha sido ferido no accionamento de mina em 30 de Outubro


domingo, 4 de novembro de 2012

Troféus de guerra em troca de vidas



Estes apontamentos do Paulo Antunes, nosso reporter de guerra "in loco", demonstram uma realidade cruel da guerra que vivemos.
Julgo que, sem se aperceber de tamanha crueldade ia escrevendo, no aconchego da caserna, as folhas do caderno que, passados tantos anos, ainda nos fazem pasmar de incredulidade.    Essa indiferença permitia-lhe juntar na mesma folha tanto o material de guerra capturado ao IN como os nossos mortos e feridos.  Acredito que só a ingenuidade lhe permitia uma mistura algo tétrica dos tais troféus de guerra com os nomes dos companheiros que ficavam sem a própria vida e que, na época, conveniente e orgulhosamente, se dizia: "Em nome da Pátria". Conveniências politicas, podemos lhe chamar.
Não me vou alongar, pois o protagonismo é do companheiro Paulo Antunes com os seus extraordinários apontamentos escritos que ainda hoje perduram nas nossas memórias para, assim, mantermos o direito de continuar a denunciar este hediondo crime de guerra, mais conhecida por "Guerra Ultramarina" que, precocemente, tirou as vidas a muitos milhares de jovens.




quarta-feira, 31 de outubro de 2012

PEDRO DIAS prepara novo livro que inclui a nossa "Briosa"

Foi com imenso gosto que recebemos um e-mail de Manuel Pedro Dias, ex-companheiro de armas e consagrado autor de livros sobre a guerra em Moçambique (alguns deles já  citados no nosso Blog, até com reprodução de algumas páginas), comunicando a sua intenção de publicar mais uma obra, desta feita sobre as Companhias independentes que actuaram naquela ex-colónia, como é o caso, obviamente, da CCAV2415. Mas nada melhor que as suas próprias palavras, pelo que vamos cometer a inconfidência (autorizada...) de transcrever parcialmente o referido e-mail, chamando especial atenção ao desafio nele contido que tomamos a liberdade de sublinhar:

Meus Caros Amigos
Primeiro que tudo a apresentação: Sou Manuel Pedro Dias – autor de alguns livros sobre a Guerra do Ultramar em Moçambique, alguns já publicitados no vosso blog.
Pelo sim, pelo não, aí vai o link da minha página inserido na TW  http://ultramar.terraweb.biz/06livros_ManuelPedroDias.htm
  (...)

Posto isto e em jeito de “mensagem relâmpago” breves questões:
1.º  Para vos dizer que sou um “navegador”, mais ou menos assíduo do vosso Blog, por achá-lo de muito bom conteúdo, quer escrito, quer visual, Parabéns aos que persistem em não deixar “apagar a fogueira”. Eu sei, por experiência própria quão difícil é encontrar as tais “achas” que o Santa (?) fala para manter a “labareda  sempre incandescente”. Força!.
2.º Estou a trabalhar num novo projecto que será feito por várias fases, vamos ver se a “Kokuanice" não me ataca forte para concretizá-los. A primeira fase, já adiantada, trata-se da publicação de um livro com todas as Companhias Independentes que operaram no Niassa, para cada uma delas dedico duas páginas. Onde transcrevo breves resumos extraídos da História da Unidade, ou então algum relato, digno de ser contado, por elementos das referidas Unidades. E também algumas fotografias. 
 (...)
Em anexo envio também o que extraí da vossa história da Unidade no Arquivo Histórico Militar, (ainda não corrigi as eventuais gralhas  e pontuação). Se algum de vós se quiser habilitar a escrever algum episódio que tenha marcado a vossa 2415, será bem aceite.
 Por agora vou terminar já que me estou a contradizer, quando no inicio disse que era uma mensagem relâmpago.
Um abraço para Todos
Manuel Pedro Dias
  
É claro que o elogio ao Blog, vindo de quem vem, nos deixa contentes, embora reconhecendo o exagero simpático... Obrigado!
 E finalizamos  reproduzindo o resumo da "História da Unidade" que nos enviou e teve o trabalho de "desencantar" nas estantes poeirentas do Arquivo Histórico (ressalvamos a inexactidão do número de companheiros mortos aí referida, já que foram nove e não sete; provavelmente não foram contados os dois que pereceram no naufrágio de Mopeia).
Desejamos o maior sucesso na obra a que meteu ombros. Bem haja!

A "equipa" do BLOG                

(clique acima para ler)

terça-feira, 30 de outubro de 2012

"In memoriam" 30-10-1969

Lembramos os companheiros

JOAQUIM FRANCISCO RODRIGUES DA SILVA
e
AVELINO AUGUSTO CORADO

Vítimas de uma mina na picada entre T. Valadim e Luatize.
Neste trágico acontecimento, já várias vezes referido neste Blog, morreu ainda um enfermeiro do Batalhão então sediado em T. Valadim, e houve vários feridos muito graves, entre eles os nossos João Vaz dos Santos, que viria a falecerno dia 6 do mês seguinte, e o radio-telegrafista MOREIRA que continua entre nós e que saudamos com muito gosto !

sábado, 27 de outubro de 2012

A DEVIDA HOMENAGEM - 2

Por:  F. Santa


Depois de homenagear aquela que foi a minha madrinha de guerra, parecia mal não homenagear também aquela que não sendo minha madrinha de guerra, foi talvez o meu Anjo da Guarda quando estive internado no hospital em L. Marques (1969). Onde quer que estejas (espero que estejas ainda entre nós), quero que saibas que também não te esqueci. Tu, Fernanda (ou Nanda como te tratava), foste para mim mais que uma amiga. Foste também uma irmã. Dia sim dia não ias  ver-me e levavas-me comida. E que comida! Conversávamos, líamos o jornal juntos, contávamos histórias, íamos até ao jardim. Não esquecerei nunca a amizade que me dedicaste. De repente, embarquei para Lisboa sem me poder despedir de ti, fiquei sem a tua direcção e o tempo passou e nos desligou. Quem sabe se estas minhas palavras poderão chegar até ti através desta magia que é a internet! Tudo é possível. Bem hajas por todo o carinho que me deste.


          Um abraço.      SANTA.