quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

"COMPANHIA DE TRANSPORTES" ?

 É a dúvida que ocorre, ao visionar mais estes "filmes" do Chala ... Mas não, é de facto a Companhia de Cavalaria de que, orgulhosamente, fizemos parte...

video
 Estes magníficos registos do Magalhães valem por mil palavras, e demonstram à evidência o óptimo relacionamento que mantínhamos com as populações. Aliás, nas zonas operacionais não havia qualquer rede civil de transportes.
  Em quase todas as colunas, na zona do Lione (que englobava o destacamento de Chala), fazíamos transporte de civis acompanhados das respectivas bagagens. Felizmente não houve acidentes graves, salvo uma ou outra peripécia já relatadas,com muita graça, pelo companheiro Santa e que podemos relembrar "clicando"   aqui    e     aqui....
  Além do espírito de ajuda  aos nativos, que era bem real, também considerávamos esta "benemerência" como uma espécie de "seguro anti-emboscada"...
  No caso de Chala, estas imagens avivam-nos a memória: a mim proporcionaram uma sensação de realidade que eu não esperava. Relembro que o edifício branco era o Posto Administrativo (e residência do Administrador), bem mais confortável que as nossas miseráveis instalações. Neste segundo vídeo conseguimos ver bem a nossa "parada" e a palhota do "comando" do pelotão, a que, a certa altura, chamáva-mos a "Casa da Mariquinhas"...
video

1 comentário:

  1. Pois é Soares.São estas coisas que nos fazem recuar no tempo.Era a nossa juventude, toda no seu explêndor e que hoje nos trazem a nostalgia desse tempo.São as saudades nuas e cruas de uma guerra que apesar de tudo nos deu alguns momentos de prazer, prazer esse que escondeu tantas vezes os maus momentos que passamos.Depois de tanto tempo pasado, ao ver as imagens, parece que foi ontem. O único que reconheci, foi o Morgado.È Bom recordar tudo o que se passou.Estes filmes são autenticas relíquias. Fazem parte da nossa história, muitas vezes sofrida mas com a satisfação do nosso dever cumprido, mediante tudo aquilo a que fomos obrigados.São os ecos da da guerra que perduram para sempre.
    Um abraço. Santa.

    ResponderEliminar