quinta-feira, 11 de março de 2010

Ainda VILA CABRAL, e um "episódio inédito"...

Em complemento das imagens do GOOGLE aqui já mostradas, parece-me oportuno este vídeo de 2003, publicado no YOUTUBE  como sendo do " ex-militar Lucio A.M. Alves", a quem ficamos gratos por este trabalho, em que reconhecemos algumas das ruas que pisámos há quatro décadas...



Lembro-me que foi em Vila Cabral que, estando nós a preparar a ida para "intervenção" em Luatize, levei um "puxão de orelhas" (desta vez ainda não deu porrada...)  de um BIG do Sector (seria Major? só recordo que chefiava uma Repartição do QG ), a cujo gabinete fui, como Comandante Interino da Briosa, reclamar da exiguidade dos meios que nos eram concedidos:  
" O nosso alferes não veio para cá para reclamar, mas para cumprir. Para já, tire as mãos de cima da minha mesa e ponha-se em sentido !
 E não me restou alternativa senão destroçar... 


(Alguém me explique por que é que os subordinados (?!) nos tratavam por "meu", e os superiores por "nosso"...)

.

2 comentários:

  1. Boa ideia esta do amigo Soares: Recordar Vila Cabral (Lichinga)! Só não sei se tal é possivel, porque esta de agora prova à evidência que é muito diferente da outra longinqua! Podemos ver o edificio do Governo do Niassa de aspecto envelhecido com falta de manutenção, idem para todos os restantes prédios da cidade. Os Caminhos de Ferro abandonados, será que ainda funcionam?. Rotundas e jardins sem relva, calçadas e passeios carregados do pó vermelho sempre a lembrar-nos que estamos a olhar para África!
    Mas também há coisas boas. Por exemplo, a igreja mantem-se de boa saude, com aspecto limpo e lavado, aliás, parece-me ser o unico! Porque será? Perguntem ao Vaticano! Que a tinta nunca lhe falte! Ah, e tem também "out-doors" com a operadora-mor MCEL de telemóveis(lá conhecido como celulares, inflùência brasileira, claro! Pergunta-se também: Porque será? Aceitam-se respostas) não descura a sua presença! Claro, é dos povos que tem um rendimento per capita mais baixo mas que os telemóveis nunca lhes faltem!!
    E, já agora, há que dizer também que se nota um crescimento demográfico enorme, através do satélite vê-se bem a mancha de aldeamentos sem fim. Isso quer dizer muito mais gente e muito mais fome! Que digam os entendidos se isso é bom ou é mau. Se calhar a maioria dos politicos dizem que é assim-assim!
    Mesmo assim, a vontade de continuarmos a saber coisas daquelas terras irá continuar nas nossas "preocupações"!! Digam lá o que disserem!
    Amigo Soares, vê, aparentemente fácil a sua questão do tratamento de rigor militar: Ou Meu ou Nosso?? E eu não lhe sei responder, lamento! Ou será um "complexo" qualquer, sobre exercicio do poder, de âmbito global? Talvez, prepotência, vinda de cima ou vinda de baixo, quem sabe?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Falar de Vila Cabral é sempre recordar tempos passados, mais ou menos bem, umas vezes, mal outras! Ainda me lembro daquelas infinitas partidas de Poker de dados e do barulho que provocavem, julgo que no Café Planalto! gostava de loccalizar a casa onde nós, que na época eramso alferes, viviamos! Mas tenho procurado bastante e não a consigo identificar nas fotos aéreas nem no google!
    E, quando começamos a pensar ir até lá....com passeios a Lione e a Chala, já não falando em Matipa, que se calhar já foi engolida por alguma cheia do rio que lá passa!
    E quem ainda se lembra da "visita" e espectáculo dado no cinema de Vila CAbral pela Yo Apoloni, se a memória não me atraiçoa e que em Tenente Valadim inaugurou um sanitário para mulheres !!!!!!!

    ResponderEliminar