segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Das águas do Chala... aos pastéis de Belém!

(Por :   F. Santa) 

    Olá Camaradas. Como foi essa passagem de Ano? Espero que tenha sido boa!
Continuação de um bom ano para todos. 


          
         A primeira fotografia mostra uma pausa na guerra tomando banho no rio que atravessava Chala. Logo na parte de cima ficava o nosso destacamento com umas vistas fantásticas para este rio, qual hotel de cinco estrelas!
Era deste rio que vinha a nossa água (pura e cristalina!) para a nossa alimentação e não só. Como podem ver, os nossos banhos eram reconfortantes e derivado à água ser da cor do barro, era como se fosse um elixir para a nossa pele! Não me lembro dos nomes destes dois camaradas que me acompanham, se alguém souber diga. Que têm estilo lá isso tem! Foi aqui em Chala que eu tive a experiência do que é ser “Vago Mestre”, (julgo que é assim que se escreve), mas que experiência mais horrível. Começando pelas instalações onde eram armazenados os géneros alimentícios com aquele ar condicionado e um sistema de frio espectacular, nada se estragava! O chão, que era cimentado (digo eu), também não deixava apodrecer as latas de conserva! E depois? Vinha o racionamento de tudo, pois o que havia tinha de chegar para um certo e determinado número de dias, era racionado os alimentos e o gasóleo para o gerador, se me lembro, acho que só podia trabalhar de vez em quando.
        A segunda foto, mostra o autor do emblema da nossa companhia. Como já disse, ele foi feito num ambiente muito especial, talvez por isso saiu assim. Alguém fez outros, mas foram derrotados à partida (acho que o Soares é que sabe da História) e dos três que eu fiz foi escolhido este. Acho que foi influência da loira da leitaria, que eu sinceramente já não sei se na altura o emblema era giro ou se era a loira que era gira! Boneca era ela. Ainda me lembro de ter ido com ela passear, (atenção passear) para o padrão dos descobrimentos e depois ir aos pastéis de Belém. Aqui tive sorte, não tinha dinheiro e foi ela que pagou. Era assim a vida de um militar!
              Por hoje é tudo, mais um retalho da nossa vida militar. Um abraço para todos.

                                                                                                    SANTA


3 comentários:

  1. Bom dia caros camaradas da 2415.
    Bom ano para todos.
    Aproveitando esta entrada no vosso domínio pedia um pequeno esclarecimento, o nosso camarada F.SANTA tem sido um grande animador deste blog mas penso que ao assinar deveria ser F.SANTO senão vejam as lindas histórias publicadas 16-12-2009 e 04-01-2010 Sortudo era só (passear)SANTINHO digo eu,desculpa é só um aparte.Um grande abraço e continua a fazer-nos inveja.Quimarques

    ResponderEliminar
  2. Do nosso habitual correspondente do centro do país recebemos esta belissima crónica para gáudio dos fiéis e estimados leitores deste Vosso Jornal.
    Julgo que era mais ou menos assim o estilo que os redactores dos jornais usavam há uns anitos atrás!
    Amigo Santa,tiro-te o chapéu e digo-te: fizeste-me sorrir de orelha a orelha! A metaforizada (será que posso empregar este termo?) "Das águas do Chala...aos pastéis de Belém" é, em meu entender, uma curiosa e bem humorada e muito bem contada história.
    Quem pretender deixar a má disposição para trás, aconselho a que a leiam vez em quando!
    Um bom Ano para ti também e até breve.

    ResponderEliminar
  3. Acabei agora de chegar daquela cidade onde se formavam os verdadeiros soldados de cavalaria - SANTARÉM, onde estive a ajudar a minha filha a adaptar-se na nova instalação a que obrigou a sua actividade profissional.
    Bons tempos em que o Paulo, mais propriamente em Julho de 1967, ali assentou praça.
    Está frio na Guarda. Temperaturas negativas. A água não corre, pois gelou no contador, mas penso que vou desenrrascar-me.
    Uma aragem de calor já vem da fotografia que está à minha frente e a água vem no bidão de 200 litros que o meu amigo Santa está obrigado a trazer-me do rio de Chala.
    Amigo Santa também não consigo identificar os camaradas em pano de fundo, mas são tropas. Com que então já querias que os nossos aposentos em Chala já estivessem acimentados?!... Que luxo ou alguém arrancou o cimento. Boas já eram aquelas palhotas que tinham o piso feito com bostas de vaca.
    Um abraço ao pessoal.

    ResponderEliminar