domingo, 18 de outubro de 2009

AQUARTELAMENTOS DE MOÇAMBIQUE, de Pedro Dias




PALAVRAS PRÉVIAS


Quanto às razões que nos motivaram a escrever sobre a Guerra do Ultramar em Moçambique, já tudo foi dito em obras anteriormente editadas, pelo que não queremos repetir-nos para não cansar os nossos leitores, uma vez que têm uma “árdua tarefa” pela frente, que é percorrer os cerca de 225 300 quilómetros qua-drados, tantos quantos dizem respeito aos Distritos do Niassa e Zambézia, base deste nosso trabalho.
Contudo, seria imperdoável da nossa parte, não prestar alguns esclareci-mentos que a serem omitidos, levariam, porventura, a quem nos lê, a interrogar-se. Porquê de novo os Aquartelamentos do Niassa, se estes já foram abordados em 2002?
A razão principal, deve-se às solicitações de militares que prestaram a sua comissão no Niassa e que nos motivaram a escrever sobre o mesmo tema.
Quando nos debruçámos sobre os Aquartelamentos do Niassa que foram publicados em Número Especial da Revista Batalhão, da qual fomos responsáveis durante 15 anos, fizemo-lo em moldes diferentes daqueles que, posteriormente, utilizámos em relação a Cabo Delgado e Tete.
Assim, estimulados pelas palavras de incentivo recebidas, passámos, de imediato, do projecto à acção.
Deste modo, aproveitámos a oportunidade para agregar, neste livro, o Dis-trito da Zambézia, por sabermos que muitas Unidades, que cumpriram a sua mis-são em zonas de 100% de intervenção, eram transferidas para este Distrito com a incumbência de efectuar patrulhamentos.
Posto isto, iremos tecer umas breves considerações quanto ao conteúdo des-te trabalho, nomeadamente à forma como foi estruturado. Os dois primeiros capí-tulos são destinados aos Distritos do Niassa e Zambézia inserindo os aquartela-mentos, em cada um deles, por ordem alfabética de A a Z. Refira-se, que apenas constam os locais por onde passaram Unidades a nível de Batalhão ou Companhia e nunca aqueles que serviram de Destacamento, excepção feita a Miandica, cujas razões se encontram explícitas na própria página. Quanto às imagens, muitas de-las chegaram-nos em condições muito “envelhecidas”. Apesar disso, resolvemos não as excluir, por encerrarem dentro de si muita história que interessa dar a co-nhecer. Reproduzimos, também, por comparação e sempre que possível, imagens captadas recentemente nas “peregrinações” que muitos combatentes têm efectua-do aos locais por onde andaram há décadas.
Abordámos, ainda, no capítulo terceiro, a maior tragédia ocorrida durante a guerra do Ultramar, o desastre no rio Zambeze, uma vez que ele esteve também ligado ao Distrito da Zambézia.
Antes de finalizar queremos deixar uma palavra de gratidão a todos, sem exclusão alguma, com quem contactámos no sentido de obter fotos ou outros ele-mentos, quer escritos ou verbais, para a elaboração deste livro.
Fica também expresso, por antecipação, os agradecimentos a todos aqueles que nos irão contactar, depois de lerem o livro, dizendo-nos que tinham “imagens magníficas” deste ou daquele lugar…
O Autor


Sumário

Palavras Prévias 6

Instalações 7

PRIMEIRO CAPÍTULO - DISTRITO DO NIASSA
Mapa 13
América 14
Bandece 16
Belém 18
Candulo 20
Cantina Dias 22
Catur 24
Chiconono 28
Chiulézi 30
Cóbuè 33
Galgolíua 36
Ilha de Metarica 39
Lione 40
Litunde 43
Luatize 45
Lunho 46
Macaloge 49
Malapisia 53
Mandimba 55
Maniamba 57
Marrupa 61
Massangulo 66
Maúa 68
Mecanhelas 72
Mecula 73
Melulucas 79
Meponda 80
Metangula 83
Metarica 87
Miandica “Terra do outro Mundo” 89
Muembe 92
Muoco 95
Murama 96
Namicunde 98
Nanlixa 99
Nantuego 100
Nipepe 102
Nova Coimbra 104
Nova Freixo 108
Nova Viseu 111
Nungo115
Olivença 116
Pauíla 121
Rapala 123
Révia 124
Unango 126
Valadim 129
Vila Cabral 133

Sabias que no Niassa138

SEGUNDO CAPÍTULO - DISTRITO DA ZAMBÉZIA
Mapa 143
Alto Molócuè 144
Chire 149
Gilé 151
Ile/Errego 155
Mabo-Tacuane 159
Milange 161
Mocuba 163
Molumbo 167
Morrumbala 172
Quelimane 174
Vila Junqueiro 177

TERCEIRO CAPÍTULO
TRAGÉDIA DO RIO ZAMBEZE 181

Agradecimentos 188
Iconografia 189
Biografia 190


Os interessados podem contactar PEDRO DIAS pelo Telemovel 914631055 ou através do mail : mpdias@netcabo.pt
Cada exemplar custa 15 euros (quinze Euros) mais os respectivos portes

Sem comentários:

Enviar um comentário